sexta-feira, 12 de agosto de 2011

MILAGRES DE SANTA CLARA APÓS SUA MORTE I










Endemoninhados libertados



Um menino de Perusa, chamado Tiaguinho, mais que doente parecia possuído por um dos piores demônios.

 Às vezes, jogava-se desesperado no fogo, ou se debatia no chão.

Também mordia as pedras até quebrar os dentes, ferindo muito a cabeça e machucando-se até ficar com o corpo todo ensangüentado.

De boca torcida, língua de fora, virava muitas vezes os membros com tão estranha habilidade que se transformava numa bola, passando a perna pelo pescoço.



Essa loucura o atacava duas vezes por dia; nem duas pessoas podiam impedi-lo de tirar a roupa.

Procuraram a ajuda de médicos competentes, mas não encontraram nenhum que conseguisse resolver o caso.



Seu pai, Guidoloto, não tendo encontrado entre os homens remédio algum para tamanho infortúnio, recorreu ao poder de Santa Clara e rezou:



"Ó virgem santíssima! Ó Clara, venerada pelo mundo, eu te ofereço meu pobre filho, e te imploro na maior súplica que o cures".





Cheio de fé, foi logo ao sepulcro e, colocando o rapaz em cima da tumba da virgem, obteve o favor enquanto o pedia.




De fato, o menino ficou livre na mesma hora daquela doença e nunca mais foi molestado por nenhum mal parecido.



Outro Milagre



Alexandrina de Fratta, na diocese de Perusa, era atormentada por um demônio terrível.

 Dominara-a tanto que a fazia revolutear como um passarinho em cima de uma alta rocha que se erguia à beira do rio.

Depois, ainda a fazia escorregar por um galho de árvore muito fino que pendia sobre o Tibre, como se estivesse brincando.

Além disso, como tinha perdido completamente o lado esquerdo por causa de seus pecados e tinha uma mão torcida, tentara muitas curas, mas não havia melhorado nada.








Foi compungida ao túmulo da gloriosa virgem Clara e, invocando seus méritos contra a tríplice desgraça, obteve um salutar efeito com um só remédio.








Pois a mão encolhida se abriu, o lado ficou curado, e ela se livrou da possessão do demônio.

Na ocasião, diante do túmulo da santa, outra mulher do mesmo lugar teve a graça de se livrar do demônio e de muitas dores.



Cura de um louco furioso





Um jovem francês do séquito da Cúria fora atacado de loucura furiosa, que o fizera perder a fala e agitava monstruosamente o seu corpo.

Ninguém conseguia segurá-lo de modo algum, pois se revirava horrivelmente nas mãos dos que tentavam contê-lo.




Amarraram-no a um esquife, e seus compatriotas levaram-no à força à igreja de Santa Clara.







Puseram-no diante do sepulcro, e ficou completamente curado, na hora, pela fé dos que o levavam.



Cura de um Epilético



Valentim de Spello estava tão minado pela epilepsia que seis vezes por dia caía no chão onde estivesse.

Além disso, sofria de uma contração da perna e não podia andar livremente.

Levaram-no montado num jumento ao sepulcro de Santa Clara, onde ficou estendido durante dois dias e três noites.

No terceiro dia, sem que ninguém o tocasse, sua perna fez um ruído enorme e ele ficou imediatamente curado das duas doenças.









Cura de um cego





Jacobelo, conhecido como filho da espoletana, doente de cegueira havia doze anos, andava com um guia e não podia ir sem ele a lugar nenhum senão ao precipício.

Uma vez, deixou o menino um pouquinho e caiu num buraco, quebrando um braço e machucando a cabeça.



Uma noite, dormindo junto à ponte de Narni, apareceu-lhe em sonhos uma senhora que disse:







"Tiaguinho, por que não vem a mim em Assis para ficar curado?".









Quando acordou, de manhã, contou tremendo essa visão a outros dois cegos.

 Eles disseram: "Ouvimos falar, há pouco, de uma senhora que morreu na cidade de Assis, e se diz que o poder do Senhor honra seu sepulcro com graças de cura e muitos milagres".



Ouvindo isso, tratou de pôr-se a caminho sem preguiça e, hospedando-se à noite em Espoleto, teve outra vez a mesma visão. Voou ainda mais rápido, só pensando em correr, por amor à vista.



Mas, ao chegar a Assis, encontrou tanta gente acorrendo ao mausoléu da virgem que não conseguiu de modo algum chegar perto do túmulo. Pôs uma pedra embaixo da cabeça e, com muita fé, apesar da dor de não poder entrar, dormiu ali fora.

Então, pela terceira vez, ouviu a voz dizendo: "Tiago, o Senhor lhe concederá o favor, se você puder entrar".

 Por isso, ao acordar, rogou chorando à multidão, gritando e implorando que o deixasse passar, por amor de Deus.

Aberto o caminho, jogou os sapatos, despiu-se, passou uma correia no pescoço e foi tocar humildemente o túmulo, onde caiu num sono leve.





"Levante-se, disse a bem-aventurada Clara, levante-se que está curado".







 
Levantou-se na hora e, dissipada toda cegueira, sem nenhuma escuridão nos olhos, viu claramente a claridade da luz, graças a Clara.

Glorificou a Deus, louvando-o, e convidou todos a bendize-lo por tão maravilhoso portento.













SENHORA SANTA CLARA,
 OFEREÇO AS POSTAGENS QUE COLOCO FALANDO DE TEUS MILAGRES
PARA HONRAR-TE
E PARA TE SUPLICAR
QUE EU NUNCA ME ESQUEÇA DO AMOR DE DEUS.

QUE VENDO TEU EXEMPLO DE VIDA
EU ME DESAPEGUE DE TUDO O QUE ME PRENDE A ESTE MUNDO
 E PERCEBA BEM NO ÍNTIMO DE MEU SER
QUE O IMPORTANTE É AMAR:
AMAR A DEUS ACIMA DE TUDO ,
 AMAR A MIM MESMO, 
AMAR QUEM ME RODEIA, MESMO MEUS INIMIGOS ,
AMAR O UNIVERSO,
ASSIM COMO TU E FRANCISCO.

ESTEJA COMIGO SANTA CLARA, QUANDO ME SINTO PERDIDO
CLAREAI MEUS PENSAMENTOS COM TUA ORAÇÃO ,
PARTICIPAI DE MINHA VIDA COM TUA PRESENÇA AMIGA
E ALCANÇAI DE CRISTO
QUE EU SEJA TÃO CLARO E BELO COMO TU.

SEI QUE É PEDIR MUITO, POIS SOU O MAIS INDIGNO PECADOR E SERVO.
MAS PEÇO MUITO PARA ME CONTENTAR COM O POUCO.
QUERO SER BOM MAS SEI QUE SOU FRACO.,
POR ISSO PEÇO-TE INTERCEDA POR MIM.

TAMBEM REZO PELA IGREJA.
SANTA CLARA PROTEGEI-NOS!






Nenhum comentário:

Postar um comentário