sábado, 23 de julho de 2016

EX-VOTOS A SANTA ANA - FOTOS DE AGRADECIMENTOS A AVÓ DE JESUS

File:Ex-voto dit de Pierre Le Moyne d'Iberville.jpg










JPEG


JPEG






JPEG - 675,5 kb

JPEG

JPEG




FONTES:

http://www.les-oratoires.asso.fr/presentation-ex-voto
https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Ex-voto_dit_de_Pierre_Le_Moyne_d%27Iberville.jpg
http://www.les-oratoires.asso.fr/le-sanctuaire-de-sant-anna-di-vinadio
http://www.museevirtuel.ca/edu/ViewLoitDa.do;jsessionid=E5DED49CC7C8B2855086B6EF5E3EE07A?method=preview&lang=EN&id=23358




sexta-feira, 22 de julho de 2016

AGRADECIMENTO A SANTA MARIA MADALENA

Agradeço, Santa Maria Madalena, por tua intercessão neste dia. Obrigado por ter me ajudado nesse momento importante. 
Sei que és uma grande ajuda para nossa Igreja e tenho muita admiração por tua vida e exemplo. 

Não tivestes medo de anunciar a resurreição do Senhor. 
Ensine-me a transmitir a alegria de ver e conhecer Jesus. 
Vejo-o em meu coração e creio em sua ressurreição,
 mas peco pois nem sempre transmito a glória 
e o júbilo de um servo abençoado com a vida de Cristo. 

Esteja comigo
 e me auxilie para que eu ame a Cristo imensamente,
 como amastes, buscando-o na noite escura, 
desejando vê-lo e estar em sua presença, 
como o fizestes ao ir ao sepulcro bem cedo. 

Que o Senhor me ache em sua volta pronto, limpo, puro, 
para que eu possa reconhecê-lo e dizer como dissestes: Mestre!



Francesco Hayez, "Crocifisso con la Maddalena", 1825-1827, Milano, Museo Diocesano:




ORAÇÃO A SÃO COSME E DAMIÃO POR UMA GRAÇA PARTICULAR.

 


São Cosme e Damião creio na vossa intercessão
coloco esse pedido sob vossa confiança
Mártires de Cristo e Irmãos no Senhor
sejam meus irmãos acompanhem minha dor





Dos homens e mulheres desta terra 
socorro não tenho, nem atenção
por isso aos vossos pés deposito 
meu clamor em oração

Como os vinte e quatro anciãos
apresentai a Deus minha questão 
com taças de ouro cheias de meus lamentos
como descrito no Apocalipse de São João

Que Deus me atenda em atenção a vossos méritos
pois meus pecados são grandes, peço conversão
e em consideração aos vossos rogos 
eu veja o Altíssimo cumprir em minha vida sua ação.

Possa aqui profetizar a solução para este problema
Possa aqui eu ecoar como um Arcanjo na trombeta
palavras que se cumpram palavras de poder
Jesus, Maria e José, venham me valer

Glória ao Pai, ao Filho Salvador e
ao Espírito Divino, Trindade de Amor!
Para sempre! Amém. Amém Amém











quinta-feira, 21 de julho de 2016

ORAÇÃO EM VERSOS DE PODER



Deus perdoe meus pecados
e me dê sua proteção
com o sinal da cruz armado
Meus inimigos a Luz verão
Caiam por terra seus planos frustrados
e vitorioso eu saia nesta questão





Pelo poder dos Três que um só são
A Língua da serpente entortete e se morda
e que engula seu próprio veneno e queime
e em meus caminhos nunca mais se mova
a cada passo que eu der dois o Mal dará
sempre para trás e para longe recuará








Com a vela acesa invoco meus Santos
que por mim incansáveis intercedam
 para eu colher sorriso depois do pranto
Soprem ventos de boas novas na janela de meu dia
e tragam faces amigáveis que me guiem nesta lida
Todo mau humor, fofoca, malícia, falsidade e mentira
desterro agora e sempre de minha vida





Homens e mulheres se voltem para mim como anjos
em defesa de minha causa não se veja engano
As portas fechadas hão de se abrir
pelo sopro do Espírito Santo as barreiras vão cair
A força desta oração as trevas do atraso dissiparão
com raios do poder da fé já tenho em minhas mãos
o que quero, que peço, o que desejo
assim se fará
Pelo poder que em mim carrego, da Cruz de Cristo.
Assim será
Três dias o Senhor no sepulcro ficou, mas em glória ressuscitou.
Assim também orarei e chorarei, mas a vitória, como Cristo, também terei.
Assim seja. Assim seja. Assim seja.



  

domingo, 17 de julho de 2016

FILME - MARTÍRIO DE FREIRAS CARMELITAS NA REVOLUÇÃO FRANCESA - Diálogo das Carmelitas (1960)









Carmelitas de Compiègne ou Mártires Carmelitas de Compiègne ou Mártires de Compiègne, ou, na sua forma portuguesa, de Compienha, são dezesseis religiosas do Carmelo de Compiègne assassinadas por revolucionários franceses do Comitê de Salvação Pública que as levaram à guilhotina por ódio à religião, no segundo período do Terror da Revolução Francesa, no dia 17 de julho de 1794, no local hoje denominado "Place de la Nation", na época "Place du Trône Renversé".







Antes de serem executadas ajoelharam-se e cantaram o hino Veni Creator, após o que todas renovaram em voz alta os seus compromissos do batismo e os votos religiosos. A execução teve início com a noviça e por último foi executada a Madre Superiora 'Madeleine-Claudine Ledoine (Madre Teresa de Santo Agostinho) (Paris22 de setembro de 1752), professa em 16 ou 17 de maio de 1775. Durante as execuções reinou absoluto silêncio. Seus corpos foram sepultados num profundo poço de areia em um cemitério em Picpus. Como neste areal foram enterrados 1298 vítimas da Revolução, é pouco provável a recuperação de suas relíquias. Foram solenemente beatificadas em 27 de maio de 1906 pelo Papa São Pio X.
O Papa João Paulo I sobre elas disse: Durante o processo ouviu-se a condenação: "À morte por fanatismo". E uma, na sua simplicidade, perguntou: — "Senhor Juiz, se faz favor, que quer dizer fanatismo?". Responde o juiz: — É pertencerdes tolamente à religião". — "Oh, irmãs!" — disse então a religiosa — "ouvistes, condenam-nos pelo nosso apego à fé. Que felicidade morrer por Jesus Cristo!". Fizeram-nas sair da prisão da Conciergerie, meteram-nas na carreta fatal e elas, pelo caminho, foram cantando hinos religiosos; chegando ao palco da guilhotina, uma atrás doutra ajoelharam-se diante da Prioresa e renovaram o voto de obediência. Depois entoaram o "Veni Creator"; o canto foi-se tornando, porém, cada vez mais débil, à medida que iam caindo, uma a uma, na guilhotina, as cabeças das pobres irmãs. Ficou para o fim a Prioresa, Irmã Teresa de Santo Agostinho; e as suas últimas palavras foram estas: "O amor sempre vencerá, o amor tudo pode". Eis a palavra exacta: não é a violência que tudo pode, é o amor que tudo pode. 
O grupo de religiosas carmelitas lideradas por Madre Teresa de Santo Agostinho era composto por 16 mulheres: 10 freiras, 1 noviça, 3 irmãs leigas, 2 irmãs rodeiras:
Nome civilNome religiosoFunçãoIdade
Madeleine-Claudine LedoineMadre Teresa de Santo Agostinhopriora41
Anne-Marie-Madeleine ThouretIrmã Carolina da Ressurreiçãomonjasacristã78
Anne PetrasIrmã Maria Henriqueta da Providênciamonja34
Marie-Geneviève MeunierIrmã Constançanoviça29
Rose Chretien de la NeuvilleIrmã Júlia Luísa de Jesusviúva, monja53
Marie-Claude Cyprienne (ou Catherine Charlotte) BrardIrmã Eufrásia da Imaculada Conceiçãomonja58
Marie-Anne (ou Antoinette) BrideauMadre São Luíssub-priora41
Marie-Anne PiedcourtIrmã de Jesus Crucificadomonja79
Marie-Antoniette (ou Anne) HanissetIrmã Teresa do Imaculado Coração de Mariamonjac. 54
Marie-Francoise Gabrielle de CroissyMadre Henriqueta de Jesusantiga priora49
Marie-Gabrielle TrezelIrmã Teresa de Santo Ináciomonja51
Angelique RousselIrmã Maria do Espírito Santoirmã leiga51
Julie (or Juliette) VerolotIrmã São Francisco Xavierirmã leiga30
Marie DufourIrmã Santa Martairmã leiga51
Catherine Soironrodeira52
Thérèse Soironrodeira46




FONTES:
http://www.carmel.asso.fr/-Carmelites-de-Compiegne-.html
https://www.youtube.com/watch?v=zcyVn5JkrGI
https://pt.wikipedia.org/wiki/Carmelitas_de_Compi%C3%A8gne

POR QUE ALGUMAS IGREJAS E O MUNDO ODEIAM A DEVOÇÃO À VIRGEM MARIA?




Porque ...
Ela foi Virgem e o Mundo apela ao sexo;

Foi Simplicidade e o Mundo prega ostentação;

Foi Humildade e o Mundo nos convida à soberba;

Foi Serva e o Mundo quer que sejamos deuses e deusas;

Foi Pureza e o Mundo apela para a sensualidade;

Foi Pobre e o Mundo valoriza apenas o Rico;






Foi Virgem Viúva e o Mundo nos cobra a exibição de um casamento perfeito ou de relacionamentos;

Foi Mãe e as cobranças do sucesso no Mundo, às vezes, exige a abdicação da maternidade.

A Virgem Maria disse sim a uma gravidez na adolescência, mas o Mundo prega o aborto.

A Virgem Maria fez sacrifícios para cuidar de seu Filho, mas o Mundo prega apenas a busca egoísta do prazer.

A Virgem Maria renunciou a tudo dedicando-se ao Filho, mas o Mundo nos ilude para buscarmos nossa realização primeiro sempre e nega a importância do sacrifício em prol do coletivo.








Algumas Igrejas repudiam a Virgem Maria, porque...

Maria é simplicidade e algumas Igrejas pregam ostentação;

Maria é Virgem Pobre e as igrejas pregam mulheres de sucesso (riqueza);

Maria é renúncia e as igrejas pregam realização e busca de prazer neste mundo ;

Maria é Virgem e algumas igrejas pregam apenas realização no casamento e não na castidade e virgindade cristã;

Maria é Mãe de Deus e algumas igrejas pregam Deus sem Mãe, sem história, sem família, são igrejas sem passado;

Maria é Virgem e Mãe, foge do padrão científico e social, e algumas igrejas e o Mundo não aceitam quem foge do padrão, do esperado, do previsível.

Maria é Santa porque pratica a justiça e algumas igrejas pregam santidade sem obras, basta levantar a mão;

Maria é silêncio e algumas igrejas são gritos e histeria;

Maria é denúncia ao sistema de exploração do pobre e algumas igrejas são  apenas sistemas de exploração dos pobres;

Maria critica os ricos e poderosos e algumas igrejas exaltam o poder e a riqueza deste mundo;

Maria é a Mulher vestida de sol e algumas igrejas se vestem de trevas de mentira, engano, falsidade;

Maria é caridade sem interesses ao visitar Isabel e alguns igrejas não fazem caridade e quando fazem é por interesse de proselitismo;

Maria vivia milagres em silêncio e algumas igrejas fabricam e berram milagres constantes;

Maria viu a Igreja nascer, quando seu Filho nasceu e o Espírito Santo veio em Pentecostes sobre os Apóstolos unidos, e algumas igrejas nasceram depois, fruto de desunião, brigas, interesses de poder.

A Virgem Maria esteve  aos pés da Cruz e algumas igrejas negam e repudiam a Cruz.

A Virgem Maria ouviu Jesus prometer levar o ladrão para o céu e algumas igrejas negam a vida dos Santos no céu.

A Virgem Maria carregou seu Filho Morto e algumas igrejas pregam um Jesus sem Morte e negam o respeito aos mortos.

Senhora Santa Maria sofreu o luto da morte de Jesus e algumas igrejas pregam vitória sem dor, sem choro.

Maria viu Jesus ressuscitado subir ao céu e depois voltou para Jerusalém  e algumas igrejas continuam olhando apenas para o céu, esquecendo da terra.

Maria foi elevada em plenitude ao céu, corpo e alma,  mas  algumas igrejas pregam o arrebatamento apenas para um grupinho seleto, julgando antecipadamente quem está salvo. 













quarta-feira, 6 de julho de 2016

QUE TEU SANGUE ME CONECTE À REDE ETERNA





Que o teu sangue derramado
acalme a pressa de minha alma
inquieta com o mundo inquieto
agitada como uma mulidão

Tudo ao redor me leva
a querer com ânsia alegrias
fotos, mensagens, curti, enviei,
recebi, salvei, postei, ouvi, gravei,
deletei, fotos, aplicativos, mensagens,
redes sociais, hashtags...

E o silêncio não faço
E tuas gotas de sangue não colho
E tua cruz não traço
E para o céu não olho
E com orações não me carrego

Possa teu sangue precioso
prender minha mente e alma na cruz
Possa o terço de teu sangue
coroar minha fronte com teu nome, Jesus
E quando a bateria deste mundo se acabar
à rede eterna venha a me conectar



segunda-feira, 4 de julho de 2016

TERÇOS, LADAINHA E ORAÇÕES DO PRECIOSÍSSIMO SANGUE DE JESUS

Rosário do Preciosíssimo Sangue

    Oferecimento:
      Eterno Pai, eu vos ofereço o Sangue Preciosíssimo de Jesus Cristo em desconto dos meus pecados, pelas benditas almas do Purgatório e pelas necessidades da Santa Igreja.

    Nas contas do Pai-Nosso: 
      Salve Precioso Sangue, que jorrais das Chagas de Nosso Senhor Jesus Cristo Crucificado, e lavais os pecados de todo o mundo.

    Nas contas da Ave-Maria: 
      Suplicamo-Vos, Senhor, Vos digneis socorrer os Vossos servos que resgatastes, com o Vosso Precioso Sangue.

    No Final rezar três vezes: 
      Recordai-Vos Senhor, da Vossa criatura, que remistes com Vosso Precioso Sangue.

    E ainda, se possível, rezar a Ladainha do Preciosíssimo Sangue.









Terço do Sangue de Jesus
        Rezar na primeira conta do Pai Nosso: Pelo poder do Sangue de Jesus, veremos prodígios.
        Na conta da primeira Ave-Maria: Sangue de Jesus, libertai-nos!
        Na conta da segunda Ave-Maria: Sangue de Jesus, curai-nos!
        Na conta da terceira Ave-Maria: Sangue de Jesus, salvai-nos!
        Em todas as contas do Terço: Sangue de Jesus, eu confio em Vós.










Terço da vitória pelo Sangue de Jesus


Rezar no primeiro Mistério do Pai-Nosso: “Pelo poder do Sangue de Jesus, veremos prodígios”.

1º Mistério

No primeiro mistério, clamamos o Sangue de Jesus para que nos lave, nos purifique e liberte dos nossos pecados.
Pai Nosso…
Nas contas pequenas, reza-se: “Eu sou vitorioso pelo Sangue de Jesus”. (10 vezes)

2º Mistério
No segundo mistério, clamamos pelo Sangue de Jesus para que quebre todas as maldições sobre nós e nossos familiares.
Pai Nosso…
Nas contas pequenas, reza-se: “Pelo poder do Sangue de Jesus, quebro todas as maldições sobre nós e nossos familiares”. (10 vezes)

3º Mistério
No terceiro mistério, clamamos pelo Sangue de Jesus sobre nossos relacionamentos afetivos, pelos nossos pais, esposos, filhos, amigos e pelos que amamos.
Pai Nosso…
Nas contas pequenas, reza-se: “Pelo poder do Sangue de Jesus, quebro e dissolvo toda desarmonia, desavença e falta de compreensão em nossa vida para que flua o amor”. (10 vezes)

4º Mistério
No quarto mistério, clamamos pelo Sangue de Jesus para quebrar todas as dificuldades em nossos trabalhos e pastorais.
Pai Nosso…
Nas contas pequenas, reza-se: “Pelo poder do Sangue de Jesus, quebramos todas as dificuldades em nossos trabalhos”. (10 vezes)

5º Mistério
No quinto mistério, clamamos pelo Sangue de Jesus, pela nossa saúde e pela saúde de todos aqueles pelos quais somos responsáveis e que nos pedem oração.
Pai Nosso…
Nas contas pequenas, reza-se: “Pelo poder do Sangue de Jesus, seja restaurada a nossa saúde e a de todos aqueles pelos quais somos responsáveis e que nos pedem orações”. (10 vezes)









Reze:
Consagre-se ao Preciosíssimo Sangue de Jesus:

Senhor Jesus Cristo, em Vosso nome e com o poder de Vosso Sangue Precioso, selamos cada pessoa, fato ou acontecimento por meio dos quais o inimigo nos queira prejudicar.

Com o poder do Sangue de Jesus, selamos toda potência destruidora no ar, na terra, na água, no fogo, abaixo da terra, nos abismos do inferno e no mundo do qual hoje nos moveremos.

Com o poder do Sangue de Jesus, rompemos toda interferência e ação do maligno. Nós Vos pedimos, Senhor, que envieis ao nosso lar e local de trabalho a Santíssima Virgem Maria acompanhada de São Miguel, São Gabriel, São Rafael e toda sua corte de santos anjos.

Com o poder do Sangue de Jesus, lacramos nossa casa, todos os que nela habitam (nomear cada um), as pessoas que o Senhor a ela enviará, assim como todos os alimentos e os bens que generosamente nos concede para nosso sustento.

Com o poder do Sangue de Jesus, lacramos terras, portas, janelas, objetos, paredes e pisos, o ar que respiramos, e na fé colocamos um círculo de Seu Sangue ao redor de toda nossa família.

Com o poder do Sangue de Jesus, lacramos os lugares onde vamos estar, neste dia, e as pessoas, empresas e instituições com quem vamos tratar.

Com o poder do Sangue de Jesus, lacramos nosso trabalho material e espiritual, os negócios de nossa família, os veículos, estradas, ares, ruas e qualquer meio de transporte que haveremos de utilizar.

Com Vosso Preciosíssimo Sangue, lacramos atos, mentes e corações de nossa Pátria, a fim de que Vossa paz e Vosso Coração nela reinem.

Nós Vos agradecemos, Senhor, pelo Vosso Preciosíssimo Sangue, pelo qual nós fomos salvos e preservados de todo mal. Amém.









Terço do Preciosíssimo Sangue de Jesus



Oferecimento:
 Eterno Pai, eu vos ofereço o Sangue Preciosíssimo de Jesus Cristo em desconto dos meus pecados, pelas benditas almas do Purgatório e pelas necessidades da Santa Igreja.


Nas contas do Pai-Nosso: 
Salve Precioso Sangue, que jorrais das Chagas de Nosso Senhor Jesus Cristo Crucificado, e lavais os pecados de todo o mundo.


Nas contas da Ave-Maria: 
Suplicamo-Vos, Senhor, Vos digneis socorrer os Vossos servos que resgatastes, com o Vosso Precioso Sangue.


No Final rezar três vezes: 
Recordai-Vos Senhor, da Vossa criatura, que remistes com Vosso Precioso Sangue.













Ladainha do Preciosíssimo Sangue


Senhor, tende piedade de nós.
Cristo, tende piedade de nós.
Senhor, tende piedade de nós.

Jesus Cristo, ouvi-nos.
Jesus Cristo, atendei-nos.

Deus Pai dos céus, tende piedade de nós.
Deus Filho, redentor do mundo tende piedade de nós.
Deus Espírito Santo, tende piedade de nós.
Santíssima Trindade, que sois um só Deus, tende piedade de nós.

Sangue de Cristo, Sangue do Filho Unigênito do Eterno Pai, salvai-nos.
Sangue de Cristo, Sangue do Verbo de Deus encarnado, salvai-nos.
Sangue de Cristo, Sangue do Novo e Eterno Testamento, salvai-nos.
Sangue de Cristo, correndo pela terra na agonia, salvai-nos.
Sangue de Cristo, manando abundante na flagelação, salvai-nos.
Sangue de Cristo, gotejando na coroação de espinhos, salvai-nos.
Sangue de Cristo, derramado na cruz, salvai-nos.
Sangue de Cristo, preço da nossa salvação, salvai-nos.
Sangue de Cristo, sem o qual não pode haver redenção, salvai-nos.
Sangue de Cristo, que apagais a sede das almas e as purificais na Eucaristia, salvai-nos.
Sangue de Cristo, torrente de misericórdia, salvai-nos.
Sangue de Cristo, vencedor dos demônios, salvai-nos.
Sangue de Cristo, fortaleza dos mártires, salvai-nos.
Sangue de Cristo, virtude dos confessores, salvai-nos.
Sangue de Cristo, que suscitais almas virgens, salvai-nos.
Sangue de Cristo, força dos tentados, salvai-nos.
Sangue de Cristo, alívio dos que trabalham, salvai-nos.
Sangue de Cristo, consolação dos que choram, salvai-nos.
Sangue de Cristo, esperança dos penitentes, salvai-nos.
Sangue de Cristo, conforto dos moribundos, salvai-nos.
Sangue de Cristo, paz e doçura dos corações, salvai-nos.
Sangue de Cristo, penhor de eterna vida, salvai-nos.
Sangue de Cristo, que libertais as almas do Purgatório, salvai-nos.
Sangue de Cristo, digno de toda a honra e glória, salvai-nos.

Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, perdoai-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, ouvi-nos, Senhor.
Cordeiro de Deus, que tirais os pecados do mundo, tende piedade de nós, Senhor.

V. Remistes-nos, Senhor com o Vosso Sangue.
R. E fizestes de nós um reino para o nosso Deus.

Oremos:
Todo-Poderoso e Eterno Deus, que constituístes o Vosso Unigênito Filho, Redentor do mundo, e quisestes ser aplacado com o seu Sangue, concedei-nos a graça de venerar o preço da nossa salvação e de encontrar, na virtude que Ele contém, defesa contra os males da vida presente, de tal modo que eternamente gozemos dos seus frutos no Céu. Pelo mesmo Cristo, Senhor nosso. Assim seja.






Oferecimento
Eterno Pai, eu Vos ofereço o Sangue preciosíssimo de Jesus Cristo em desconto dos meus pecados, em sufrágio das santas almas do Purgatório e pelas necessidades da Santa Igreja e por todos os doentes.









Súplica a Nossa Senhora
Mãe Dolorosa, peço-vos pelo Vosso sofrimento na morte de Vosso Filho, que ofereçais ao Pai Eterno o precioso Sangue que jorrou das Chagas de Nosso Senhor Jesus Cristo Crucificado pelos pobre Sacerdotes transviados, que se tornaram infiéis a sua sublime vocação, para que quanto antes voltem junto ao Bom Pastor.


















terça-feira, 21 de junho de 2016

JESUS NEGRO - CRUCIFICADOS NEGROS



O SENHOR DO VENENO





Em 1602, chegou ao México, então Nova Espanha, uma delegação de dominicanos, trazendo para o seu seminário um belo crucifixo de tamanho natural, com a imagem de Jesus de alvura impressionante.
Essa imagem foi entronizada no lado esquerdo, próximo à entrada da igreja.

Ali havia um clérigo, o qual dedicava especial devoção àquele Cristo. Não deixava passar um dia sem fazer as orações diante dEle e oscular piedosamente Seus venerandos pés.







 Certa vez, esse sacerdote atendeu em confissão um homem que declarou ter roubado e matado cruelmente. Ante a revelação de tal crime, o religioso afirmou que Deus perdoaria sempre, desde que restituísse o roubado e se entregasse à justiça, pois não bastava se confessar, mas era também necessário se arrepender e reparar o dano sofrido. O criminoso recusou-se a fazê-lo, retirando-se do confessionário furioso. Temendo ser denunciado, maquinou um pérfido plano para assassinar o sacerdote.

Escondido pelas sombras da noite, furtivamente se introduziu na capela e molhou os pés do Cristo com um poderoso veneno. Ninguém o viu e, sorrateiro como havia chegado, ocultou- se num canto sombrio.





 No dia seguinte, depois de fazer as orações costumeiras, aproximou-se o padre para beijar os pés da imagem, quando, para seu espanto, ela dobrou os joelhos milagrosamente, levantando os pés, de modo a impedir que estes fossem osculados. Enquanto isso, a imagem absorveu o veneno, em consequência do qual sua cor se tornou negra.

O religioso teve ainda maior surpresa quando ouviu soluços provenientes de alguém oculto atrás de uma coluna. Era o assassino do dia anterior, que ali aguardava o efeito de seu maligno plano. Verdadeiramente arrependido ao testemunhar tão maravilhoso prodígio, em prantos, fez por fim uma sincera confissão e logo em seguida entregou-se à justiça, disposto a pagar por seus crimes.

Desde então, a milagrosa imagem passou a chamar-se "Senhor do Veneno". Todos concordavam que o Cristo não só havia protegido seu devoto, absorvendo o veneno, mas Seu misericordioso ato também simbolizava como Nosso Salvador toma a Si nossos pecados, estes sim um terrível veneno, que mata a alma, impedindo- a de alcançar a vida eterna.

Anos depois, a imagem foi transferida para a catedral metropolitana. Quando a igreja de Porta Coeli foi entregue aos sacerdotes do rito Greco-melquita em 1952, o pároco desta incumbiu um renomado artista de esculpir uma cópia, a fim de que o "Cristo do Veneno" pudesse ser venerado também na sua igreja de origem. Darío Iallorenzi (Revista Arautos do Evangelho, Fev/2009, n. 86, p. 39)





O CRISTO DE ESQUIPULAS





O Cristo Negro de Esquipulas é uma imagem de Jesus Crucificado reverenciada por milhões de fiéis na América Central que está na Basílica de Esquipulas , na cidade de mesmo nome, na Guatemala , uma distância de 222 km da Cidade da Guatemala.

É conhecido como Preto , porque ao longo de mais de 400 anos de madeira veneração que foi esculpida adquiriu uma tonalidade mais escura, embora esta lista é muito recente. Desde o século XVII é conhecido como o "Miraculous Senhor de Esquipulas" ou como o "Crucifixo Milagrosa venerada na cidade chamada Esquipulas".






O SENHOR DOS MILAGRES




Imagem da Jesus Cristo é venerado no Peru como "Senhor dos Milagres", "Cristo Moreno" ou "Cristo de Pachacamilla".

Na pintura aparece Jesus Crucificado e sobre a cruz está o Espírito Santo e Deus Pai. À direita do Senhor está Sua Santíssima Mãe com Seu coração traspassado por um punhal de dor e à esquerda do Senhor está Santa Maria Madalena.








Uma das maiores festas religiosas da América, teve origem em 1661, quando, segundo a tradição, um escravo negro pintou a imagem de um Cristo moreno nas paredes de uma casa no bairro de Pachacamilla, pintou uma simples imagem no salão onde reunia-se sua confraria.

Esta parede de adobe era rústica e mal acabada e localizava-se próxima de um córrego que afetava suas fundações, apesar disso e de outras adversidades a imagem conservou-se surpreendentemente, deu origem a um culto que, paulatinamente, foi crescendo no decorrer dos séculos.








No dia 13 de Novembro de 1655 um terremoto pavoroso e arrasador estremeceu Lima y Callao, causando o desmoronamento de muitas igrejas e edifícios. Como era de se esperar, o sismo afetou a zona de Pachacamilla, onde estava situada a confraria dos angolanos e, apesar de haver caído grande número de paredes, o muro de adobe onde estava pintada a imagem do Cristo Crucificado ficou ileso.

O mesmo aconteceu em 20 de Outubro de 1687, quando um maremoto arrasou com Callao e parte de Lima e derrubou a capela edificada em volta da imagem do Cristo, ficando em pé somente a parede com a imagem pintada.

Tão terrível desígnio fez com que se criasse uma cópia pintada a óleo da imagem e, pela primeira vez, saísse em andor pelas ruas do bairro de Pachacamilla, estabelecendo-se que a partir desse momento a procissão ocorresse nos dias 18 e 28 de Outubro de cada ano.

As multidões de todas as raças e condições sociais celebram juntas a procissão do Senhor dos Milagres, não só no Peru mas também onde quer que haja comunidades peruanas, unindo a todas as pessoas numa grande aliança de uma só crença, uma só fé, uma só esperança no milagre que algum dia recairá sobre nós, não apenas no Peru mas onde quer que estejam os peruanos.









domingo, 12 de junho de 2016

AO IRMÃO SANTO ANTÔNIO - ORAÇÃO



Irmão Santo Antônio,
 peço tua ajuda, tua oração,
 tua força para enfrentar os caminhos da vida.
O que sou e o que serei, onde estarei ,
 tudo está nas mãos de Deus. 
Só Deus me conhece inteiramente.

Ajude-me, Santo Antônio, 
a escolher a pobreza de Cristo, como escolhestes. 
Que eu veja a felicidade nas coisas simples da vida,  
no nada ter e no abandonar-se inteiramente à vontade de Deus.

Sei que fostes exemplo de castidade 
e és considerado protetor dos namorados e casamenteiro, 
e peço-te que me ajudes a viver minha afetividade e sexualidade com equilíbrio. 
Que eu ame a todos e tudo ao meu redor 
com o amor de Deus seguindo teu exemplo. 
Que eu aspire ao amor de Cristo acima de tudo
 e me sinta amado por Ele e encontre nele o amor eterno.
Sei, Antônio, que fostes conhecido como Arca do Testamento, 
por isso peço que me ajudes com tua intercessão 
a não pecar e ser obediente aos mandamentos de Deus e da Igreja com a simplicidade de uma criança, 
como o Jesus criança em teus braços. 
Leva-me até ao Senhor e apresenta minha causa. 
Creio na força de tua oração
 e sei que Jesus me enviará sinais do amor Dele sobre mim. 
Santo Antônio, interesse-se por minha salvação 
e me ajude a caminhar com firmeza na fé,
 pois sou fraco e pequeno.
Orai por mim,
 Santo Antônio, Irmão na fé, 
para que Cristo me aceite entre os seus no Reino Eterno. 
Amém.












terça-feira, 31 de maio de 2016

SANTOS ÍNDIOS - CATÓLICOS




SÃO JOÃO DIEGO ( SAN JUAN DIEGO)





É o primeiro santo americano de origem indígena.
 Era um índio nativo nascido em 1474, que antes de ser batizado tinha o nome de Cuauhtlatoatzin, traduzido como “águia que fala” ou “aquele que fala como águia”.

Era um índio pobre, pertencia à mais baixa casta do Império Azteca. Atraído pela doutrina dos padres franciscanos que chegaram no México em 1524, se converteu e foi batizado, junto como sua esposa. Receberam o nome cristão de João Diego e Maria Lúcia, respectivamente.

A esposa Maria Lúcia ficou doente e faleceu em 1529. Ele então foi morar com seu tio, diminuindo a distancia da igreja para nove milhas. Fazia esse percurso todo sábado e domingo, saindo bem cedo, antes do amanhecer.

Durante uma de suas idas à igreja, no dia 09 de dezembro de 1531 por volta de três horas e meia entre a vila e a montanha, ocorreu a primeira aparição de Nossa Senhora de Guadalupe, num lugar hoje chamado “Capela do Cerrinho”, onde a Virgem Maria o chamou em sua língua nativa, nahuatl, dizendo: “Joãozinho, João Dieguito”, “o mais humilde de meus filhos”, “meu filho caçula”, “meu queridinho”.

A Virgem o encarregou de pedir ao Bispo, o franciscano João de Zumárraga, para construir uma igreja no lugar da aparição. Como o Bispo não se convenceu, Ela sugeriu que João Diego insistisse. No dia seguinte, domingo, voltou a falar com o Bispo, que pediu provas concretas sobre a aparição.

Na terça feira, 12 de dezembro, João Diego estava indo à cidade, quando a Virgem apareceu e o consolou. Em seguida pediu que ele colhesse flores para Ela no alto da colina de Tepeyac. Apesar do frio inverno, ele encontrou lindas flores, que colheu, colocou no seu manto e levou para Nossa Senhora. Ela disse que as entregasse ao Bispo como prova da aparição.





 Diante do Bispo ele abriu sua túnica, as flores caíram e no tecido apareceu impressa a imagem de Nossa Senhora de Guadalupe. Tinha então cinqüenta e sete anos.

Após o milagre de Guadalupe, foi morar numa sala ao lado da capela que acolheu a sagrada imagem, depois de ter passado seus negócios e propriedades ao seu tio. Dedicou o resto de sua vida propagando as aparições aos seus conterrâneos nativos, que se convertiam. Ele amou profundamente a Santa Eucaristia, e obteve uma especial permissão do Bispo para receber a comunhão três vezes na semana, um acontecimento bastante raro naqueles dias.

João Diego faleceu no dia 30 de maio de 1548, aos setenta e quatro anos, de morte natural.

O Papa João Paulo II durante sua canonização em 2002, designou a festa litúrgica para 09 de dezembro, dia da primeira aparição, e louvou Santo João Diego pela sua simples fé nutrida pelo catecismo, como um modelo de humildade para todos nós.








SANTA CATARINA TEKAKWITHA






Beatificada juntamente com Pe. José de Anchieta, era uma Índia pele-vermelha, nascida em 1656 em Ossemon, perto de Port Orange, atual Albany, filha de pai iroquês pagão e de mãe algonquina cristã. Tendo ficado órfã muito cedo, conseguiu sobreviver a uma epidemia de varíola com grave diminuição da visão e com o rosto desfigurado; foi então recolhida por um tio, chefe da aldeia, ajudando doravante a sua esposa no cuidado da casa.

O nome de Tekakwitha, que lhe foi dado nos anos de infância, significa "a que coloca as coisas em ordem", ou, com referência à enfermidade da visão, "a que avança e põe algo diante". 

Crescida na inocência, rejeitou propostas de matrimónio e em 1675 entrou em contacto com os missionários católicos do Canadá, recebendo o batismo em 18-4-1676, dia de Páscoa, das mãos do Pe. Jacques de Lamberville, que lhe impôs o nome de Kateri(Catarina). Ameaçada pelo tio pagão, fugiu para buscar refúgio na missão de S. Francisco Xavier, em Sault, perto de Montreal, onde recebeu a eucaristia e deu exemplo de extraordinária piedade, mas com grande discreção.







Afastava-se por longo tempo na floresta onde, junto à cruz por ela traçada na casca de uma árvore, ficava por muito tempo em oração, sem porém descuidar das funções religiosas, do serviço da comunidade e da família que a hospedava. Passou por provas terríveis. Em 25-3-1679 fez voto perpétuo de castidade. Extenuada pela doença e pelos sofrimentos, morreu em 17 de abril de 1680 e rapidamente se difundiu a fama das suas virtudes. Note-se que Catarina aprendera a religião católica com a mãe e desde menina, apesar da mãe ter morrido, conservou o que esta lhe ensinara, observando a moral cristã e rezando regularmente. Quando veio a encontrar pela primeira vez os missionários, já estava preparada para o baptismo. Amou, viveu e conservou o seu cristianismo só com a ajuda da graça, longe de qualquer outro companheiro de fé por muitos anos.

Canonizada em 2012 por Bento XVI.




BEATOS JOÃO BATISTA E JACINTO DOS ANJOS








João Batista e Jacinto dos Anjos, índios zapotecos da Serra Norte de Oaxaca, nasceram no ano de 1660 em S. Francisco Cajonos.

João Batista se casou com Josefa da Cruz, com quem teve uma filha chamada Rosa. Jacinto dos Anjos se casou com Petrona dos Anjos, com quem teve dois filhos chamados João e Nicolasa. Ambos pertenciam à Circusncrição de S. Francisco Cajonos, atendida pelos padres dominicanos Gaspar dos Reis e Alonso de Vargas.

De ambos sabemos que foram pessoas íntegras em sua vida pessoal, matrimonial e familiar, assim como no cumprimento dos seus deveres civis, de modo que desempenharam diversos cargos públicos próprios do seu tempo como regidores, presidente, síndico e prefeito, mostrando assim o respeito pelas tradições culturais e a responsabilidade para o cumprimento dos deveres civis.

Igualmente, consta que os dois foram pessoas batizadas, evangelizadas e catequizadas, desempenhando também os diversos cargos aos quais os fiéis tinham acesso neste tempo como acólito, sacristãos maior e menor e outros.

Finalmente desempenharam o cargo civil e eclesiástico de Fiscal, que os missionários introduziram ou fomentaram entre os indígenas. O III Concílio Provincial Mexicano celebrado em 1585 queria que "em cada povo se escolha a um ancião distinguido por seus impecáveis costumes, que ao lado dos párocos seja perpétuo censor dos costumes públicos"(Pe. Antonio Gay, História de Oaxaca, II.V.2) "É seu ofício principal inquirir os delitos e vícios que perturbam a moralidade, revelando ao sacerdote os adultérios, divórcios indevidos, perjúrios, blasfêmias, infidelidades, etc." (Ibíd; Cf. III Concilio Mexicano L I, Tít. IX, 1,23).

Na noite do dia 14 de setembro de 1700, os dois Fiscais descobriram que um bom grupo de pessoas do povoado de S. Francisco Cajonos e da redondeza estavam realizando em uma casa particular um culto de religiosidade ancestral; os Fiscais avisaram aos padres dominicanos; os Fiscais e os Padres acompanhados do capitão Antônio Rodríguez Pinelo foram ao lugar dos fatos, suupreenderam aos autores, dispersando a reunião, recolhendo as oferendas do culto e regressando-se ao convento.

No dia seguinte, o povo se amotinou, exigindo a entrega das oferendas confiscadas e dos Fiscais. Refugiando-se no convento os Padres, os Fiscais e a Autoridade, passaram a tarde entre exigências e negociações. Finalmene, ante as ameaças e o perigo crescentes de matar a todos e incendiar o convento, o capitão Pinelo decidiu entregar os Fiscais, sob a promessa de respeitarem as suas vidas.

Os Padres no aceitaram a entrega. Os Fiscais, porém, deixaram as suas armas aceitando a perspectiva de morrer, se confessaram, receberam a Comunhão, dizendo João Batista: "vamos morrer pela lei de Deus; como eu tenho a sua Divina Majestade, não temo nada nem hei de necesitar armas"; e ao ver-se em mãos de seus carrascos disse: "aqui estou, já que me matarão amanhã, que me matem agora". Quando eram açoitados na coluna da praça pública, os carrascos disseram aos Padres que observavam desde a janela: "Padres, encomendem-nos a Deus"; e quando os carrascos se burlavam deles dizendo-lhes: "estava saboroso o chocolate que os padres te deram?", eles respondiam com o silêncio.

No dia 16 os carrascos conduziram os Fiscais a S. Pedro, onde novamente os açoitaram e os encarcelaram. Quando os verdugos convidavam os Fiscais a renunciar à fé católica e seriam perdoados, eles responderam "uma vez professamos o Batismo, continuaremos sempre a seguir a verdadeira religião". Logo os levaram subindo e descendo pelas ladeiras, até o monte Xagacía antigamente chamado "Monte das Folhas", onde amarrados os derrubaram, quase os degolaram e os mataram a golpes de machado, lhes arrancaram os corações e os jogaram aos cães que não os comeram. Os verdugos Nicolás Aquino e Francisco López beberam o sangue dos mártires, para recuperar o ânimo e fortalecer-se segundo o costume de beber sangue de animais de caça, porém também como sinal de ódio e coragem, segundo um ditado ancestral que ainda hoje se escuta "vou tomar o teu sangue". Foram sepultados no mesmo monte, desde então chamado "Monte Fiscal Santos".

Alguns opinam que os Fiscais não são Mártires mas delatores de seus compatriotas e traidores da sua cultura; porém é claro que os Fiscais estavam designados civil e religiosamente para o exercício do cargo público na cidade e na comunidade religiosa. Mais ainda, desde o princípio do proceso civil que se realizou entre 1700 e 1703 e no processo eclesiástico até o dia de hoje, permanece a fama do martírio e da santidade, que finalmente a Igreja reconhece com a Beatificação.










NOSSA SENHORA DE GUADALUPE





 Essa imagem retrata Nossa Senhora com características indígenas.

Num sábado, no ano de 1531, a Virgem Santíssima apareceu a um indígena convertido chamado Juan Diego (canonizado pelo Papa João Paulo II em 2002 e mencionado acima).

Nossa Senhora disse então a Juan Diego que fosse até o bispo e lhe pedisse que naquele lugar fosse construído um santuário para a honra e glória de Deus.

O bispo local, usando de prudência, pediu um sinal da Virgem ao indígena que, somente na terceira aparição, foi concedido.  Seguindo o pedido da Virgem, São Juan Diego levou sua tilma cheia de rosas, colhidas em pleno inverno, para o Bispo.
O prelado viu não somente as rosas, mas o milagre da imagem de Nossa Senhora de Guadalupe, pintada prodigiosamente no manto do humilde indígena. Ele levou o manto com a imagem da Santíssima Virgem para a capela, e ali, em meio às lágrimas, pediu perdão a Nossa Senhora. Era o dia 12 de dezembro de 1531.






O grande milagre de Nossa Senhora de Guadalupe é a sua própria imagem. O tecido, feito de cacto, não dura mais de 20 anos e este já existe há mais de quatro séculos e meio. Durante 16 anos, a tela esteve totalmente desprotegida, sendo que a imagem nunca foi retocada e até hoje os peritos em pintura e química não encontraram na tela nenhum sinal de corrupção.







No ano de 1971, alguns peritos inadvertidamente deixaram cair ácido nítrico sobre toda a pintura. E nem a força de um ácido tão corrosivo estragou ou manchou a imagem. Com a invenção e ampliação da fotografia descobriu-se que, assim como a figura das pessoas com as quais falamos se reflete em nossos olhos, da mesma forma a figura de Juan Diego, do referido bispo e do intérprete se refletiu e ficou gravada nos olhos do quadro de Nossa Senhora. Cientistas americanos chegaram à conclusão de que estas três figuras estampadas nos olhos de Nossa Senhora não são pintura, mas imagens gravadas nos olhos de uma pessoa viva.

Coroada em 1875 durante o Pontificado de Leão XIII, Nossa Senhora de Guadalupe foi declarada “Padroeira de toda a América” pelo Papa Pio XII no dia 12 de outubro de 1945.









NOSSA SENHORA DE CAACUPÊ







Mostra que a Virgem Maria, assim como em Guadalupe, é Mãe do índios, aparece e olha por eles.

 A pequena imagem de madeira que ocupa os principais altares paraguaios, a Virgem de Caacupê, foi esculpida por um índio guarani fugitivo.

Vendo-se encurralado pelos índios que o perseguiam e que iriam matá-Io, ele se esconde atrás de uma grande árvore e promete que se fosse salvo faria com aquele tronco que o protegia uma imagem de Nossa Senhora.

Fora de perigo, pois milagrosamente seus perseguidores passaram ao seu lado sem o terem percebido, o índio guarani esculpiu duas imagens da Virgem, uma grande, que destinou à igreja da aldeia, e outra menor, que fez para sua devoção particular