sábado, 23 de maio de 2015

O SACRÁRIO - O SANTO DOS SANTOS DO NOVO TESTAMENTO






O Sacrário ou Tabernáculo é um pequeno cofre colocado sobre o altar (nas igrejas antigas) para guardar a Âmbula onde está a Eucaristia.

Âmbula, também designado por cibório ou píxide, é um tipo de cálice no qual se colocam as hóstias para serem consagradas, ou mesmo as que já foram consagradas. Geralmente feita de ferro, com o interior dourado e tampa, pode ser usado como ostensório. 

 No Antigo Testamento, o tabernáculo guardava um vaso de ouro com o maná (Hebreus 9,3-4), o pão caído do céu.

 No Novo, o sacrário guarda numa vaso de "ouro" o verdadeiro maná vindo do céu, Jesus (João 6, 31-35), que se faz carne em toda Missa, tornando-se presente corporalemente em nosso meio sob as espécies de pão e vinho, carne e sangue (I Coríntios 10,16).




estava um vaso de ouro, que continha o maná, 
Hebreus 9,3-4



  Depois do Concílio Vaticano II, o Altar passou a ficar no centro da igreja, e o sacrário, em muitos casos, passou  ser disposto em uma capela própria, a Capela do Santíssimo.

Na Igreja Primitiva, sacerdotes e leigos, após tomarem pão consagrado nas celebrações eucarísticas, os guardavam nos sacrários a fim de dá-los para os doentes e outros não conseguiram assistir à celebração. Quando se iniciou a Paz na Igreja, terminando a perseguição aos cristãos, foi estabelecida a prática de manter a Eucaristia sempre nestes recipientes. Quando as condições financeiras tornavam possíveis, o recipiente era feito geralmente de ouro, com uma pomba dentro normalmente de prata.




Sacrário de uma Igreja


Esse lugar na Igreja equivale ao Santo dos santos do Templo de Jerusalém  (Hebreus 9,3), que era o lugar mais sagrado do tabernáculo e também do templo, pois nele ficava a arca da aliança, que simbolizava a presença do Deus vivo no meio do povo.

 Somente o Sumo Sacerdote (o “chefe” de todos os sacerdotes) podia entrar nesse lugar uma vez por ano para fazer expiação os pecados do povo (Lv 16. 34).  O Santo dos santos, era separado do Santo Lugar por um espesso véu (Ex 26. 33).

No Novo Testamento, Jesus Cristo rasgou o véu que nos separava da presença de Deus e nos deu livre acesso ao Pai, fazendo-se presente em nosso meio, espiritual e corporalmente, na forma de pão e vinho. Assim como o maná, o pão do deserto e as tábuas da lei, a Palavra, eram guardados na Arca da Aliança no Santo dos Santos:


Mas depois do segundo véu estava o tabernáculo que se chama o santo dos santos,
Que tinha o incensário de ouro, e a arca da aliança, coberta de ouro toda em redor; em que estava um vaso de ouro, que continha o maná, e a vara de Arão, que tinha florescido, e as tábuas da aliança;
Hebreus 9,3-4


Jesus, o verdadeiro Pão descido dos céus (João 6, 31-35), e a Palavra Viva, o Verbo de Deus (João 1,1.14), é guardado em nossos sacrários, atualmente, numa capela própria para ele, pois o culto dos cristãos é a ceia centrada no Altar.

O Sacrário passou a existir como uma necessidade da Igreja e apesar de não ser o centro litúrgico do culto da Igreja, ele é um espaço de adoração ao Senhor presente na hóstia consagrada.

A Igreja nos diz que devemos ter reverência por esse espaço e nos estimular a adorar o Senhor presente no Santíssimo Sacramento:


"Uma vez que Cristo em pessoa está presente no Sacramento do Altar, devemos honrá-Lo com culto de adoração. «A visita ao Santíssimo Sacramento é uma prova de gratidão, um sinal de amor e um dever de adoração para com Cristo nosso Senhor»."
( Catecismo da Igreja Católica, 1413, 1418)

Ao passar diante do sacrário, devemos fazer uma genuflexão (ajoelhar-se com um dos joelhos).



Image result for genuflexionImage result for genuflexão



A genuflexão, que se faz dobrando o joelho direito até ao solo, significa adoração; é por isso reservada ao Santíssimo Sacramento

Também devemos fazer esta genuflexão com os dois joelhos quando o Santíssimo Sacramento estiver exposto na Custódia, para nossa adoração.emails de pessoas juridicas de rio de janeiro




 AS IGREJAS SÃO ESPAÇOS SAGRADOS - O ALTAR É SANTO:

Sobre a sacralidade do espaço de oração, o Templo, ou a Igreja ( o Templo dos cristãos), Jesus nos diz que o Altar é santo e a Igreja, templo sagrado, também é :

"Insensatos e cegos! Pois qual é maior: o ouro, ou o templo, que santifica o ouro?
E aquele que jurar pelo altar isso nada é; mas aquele que jurar pela oferta que está sobre o altar, esse é devedor.
Insensatos e cegos! Pois qual é maior: a oferta, ou o altar, que santifica a oferta?
Portanto, o que jurar pelo altar, jura por ele e por tudo o que sobre ele está;
E, o que jurar pelo templo, jura por ele e por aquele que nele habita;"
Mateus 23,17-21

De fato, em nossas igrejas, Deus habita corporalemente, não só espiritualmente, pois além de habitar em nossos corações, já que nosso corpo é o Templo do Senhor por excelência (Ou não sabeis que o vosso corpo é o templo do Espírito Santo, que habita em vós, proveniente de Deus, e que não sois de vós mesmos? 1 Coríntios 6,19), habita também nos sacrários de nossas igrejas guardado sob a espécie de pão eucarístico (1 Cor 10,16).

 Nosso Deus se fez carne e se doa por nós na comunhão (João 6,51-58). Esse discurso escandaliza os protestantes, como escandalizou os judeus (João 6,60-67), por isso para eles o pão é símbolo e não espírito e vida, carne e sangue (I Coríntios 10,16).








Nenhum comentário:

Postar um comentário