sábado, 25 de abril de 2015

O DRAGÃO DE SÃO JORGE E A BÍBLIA


A cultura cristã foi quem mais influenciou a nossa visão contemporânea dos dragões.  O dragão na concepção bíblica e cristã simboliza o mal, o demônio, a serpente enganadora.










Muito da visão dos cristãos a respeito de dragões é herdado das culturas do médio oriente e do ocidente antigo, como uma relação bastante forte entre os conceitos de dragão e serpente (muitos dragões da cultura cristã são vistos como simples serpentes aladas, às vezes também com patas), e a associação dos mesmos com o mal e o caos:



"Não te alegres, tu, toda a Filístia, por estar quebrada a vara que te feria; porque da raiz da cobra sairá um basilisco, e o seu fruto será uma serpente ardente, voadora."
 Isaías 14,29


Os dragões tipificam os inimigos do povo de Deus, como em Ezequiel 29,3:

"Fala, e dize: Assim diz o Senhor DEUS: Eis-me contra ti, ó Faraó, rei do Egito, grande dragão, que pousas no meio dos teus rios, e que dizes: O meu rio é meu, e eu o fiz para mim."
Ezequiel 29,2-3


 Ao fazer isso, associa-se a ideia das mitologias de povos próximos, para dar maior entendimento aos israelitas. 

É por isso que a Septuaginta, na sua narrativa da história de Moisés, traduz "serpente" por "dragão". (Êxodo 7,9-12).





DRAGÃO NO ANTIGO TESTAMENTO - A SERPENTE, O LEVIATÃ

Há ainda, no antigo testamento, no Livro de Jó 41,10-21, a seguinte descrição do Leviatã:

18 Os seus espirros fazem resplandecer a luz, e os seus olhos são como as pestanas da alva.
19 Da sua boca saem tochas; faíscas de fogo saltam dela.
20 Dos seus narizes procede fumaça, como de uma panela que ferve, e de juncos que ardem.
21 O seu hálito faz incender os carvões, e da sua boca sai uma chama.



Isaías também fala sobre o leviatã:

"Naquele dia o SENHOR castigará com a sua dura espada, grande e forte, o leviatã, serpente veloz, e o leviatã, a serpente tortuosa, e matará o dragão, que está no mar."
 Isaías 27,1



O Leviatã, a serpente/crocodilo cuspidora de fumaça do livro de Jó, também é considerado um dragão bíblico, embora não seja apresentado como um ser maligno e sim como uma criação de YHWH (Jeová, nome de Deus). 












Em Isaías 30,6, há citado um "áspide ardente voador" (versão ARC), junto com outros animais, para ilustrar a terra para onde os israelitas serão levados, pois o contexto do capítulo é sobre a repreensão deles. 




O DRAGÃO NO NOVO TESTAMENTO - PERSONIFICAÇÃO DO MAL , SATANÁS

No Novo Testamento, acha-se apenas no Apocalipse de São João, utilizado como símbolo de satanás.

Os dragões nas histórias da cristandade acabaram por adotar esta imagem de maldade e crueldade, sendo como representações do mal e da destruição, como lemos no Apocalipse:








E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos; Apocalipse 12,7

E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, chamada o Diabo, e Satanás, que engana todo o mundo; ele foi precipitado na terra, e os seus anjos foram lançados com ele. Apocalipse 12,9

E, quando o dragão viu que fora lançado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho homem. Apocalipse 12,13

E a terra ajudou a mulher; e a terra abriu a sua boca, e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca. Apocalipse 12,16

E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra ao remanescente da sua semente, os que guardam os mandamentos de Deus, e têm o testemunho de Jesus Cristo. Apocalipse 12,17

E a sua cauda levou após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que havia de dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe tragasse o filho. Apocalipse 12,4

E da boca do dragão, e da boca da besta, e da boca do falso profeta vi sair três espíritos imundos, semelhantes a rãs. Apocalipse 16,13












O DRAGÃO NA IMAGEM DE SÃO JORGE -  O PAGANISMO, INIMIGO DA IGREJA.

O caso do mais célebre dragão cristão é aquele que foi morto por São Jorge, que se banqueteava com jovens virgens até ser derrotado pelo cavaleiro. 

Esse dragão, na verdade, simboliza o mal, o paganismo, o Imperador e a Roma pagã enfrentados pelo cristão Jorge.
São Jorge mata o dragão vence o mal, a tentação de negar o Cordeiro e adorar a Besta do paganismo:


E adoraram o dragão que deu à besta o seu poder; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? Quem poderá batalhar contra ela? Apocalipse 13,4

São Jorge preferiu a morte a ter de negar Cristo, derrotou seus próprios medos e a morte, pois encontrou a vida em Cristo.

O dragão está ali na imagem de São Jorge para nos lembrar que a luta não acabou, nós que peregrinamos nesta terra temos de lutar contra a Besta e o Dragão do capitalismo e do neoliberalismo, do egoísmo, da intolerância, do ateísmo, e de todos os males de nossa contemporaneidade.










A jovem defendida por São Jorge e ameaçada pelo Dragão nada mais é que a Igreja, a Mulher perseguida pelo Dragão no Apocalipse.  Em nome da fé da Igreja, São Jorge aceita a morte e vence o dragão do paganismo.







Nenhum comentário:

Postar um comentário