segunda-feira, 14 de julho de 2014

AS INDULGÊNCIAS BÍBLICAS - ALGUMAS INDULGÊNCIAS DA BÍBLIA





A ESMOLA, A CARIDADE CONCEDE INDULGÊNCIAS:

"Dai antes em esmola o que possuís, e todas as coisas vos serão limpas."
Lucas 11,41

"Antes de tudo, mantende entre vós uma ardente caridade, porque a caridade cobre a multidão dos pecados (Pr 10,12)."
I Pedro 4,8

" porque a esmola livra do pecado e da morte, e preserva a alma de cair nas trevas.  A esmola será para todos os que a praticam um motivo de grande confiança diante do Deus Altíssimo."
Tobias 4,11-12


"porque a esmola livra da morte: ela apaga os pecados e faz encontrar a misericórdia e a vida eterna;"
Tobias 12,9

"A água apaga o fogo ardente, a esmola enfrenta o pecado."
Eclesiástico 3,33




Santa Isabel da Hungria




AS LÁGRIMAS, ORAÇÃO, PENITÊNCIA NOS DÁ INDULGÊNCIA:

No Segundo Livro dos Reis (20,1-6), lemos um exemplo de indulgência:

"Naquele tempo, Ezequias foi atingido por uma enfermidade mortal. Veio o profeta Isaías, filho de Amós, ter com ele e disse-lhe: Eis o que diz o Senhor: Põe em ordem a tua casa, porque vais morrer; não sararás. Então Ezequias voltou-se para o lado da parede e orou ao Senhor, dizendo:
3. Senhor, lembrai-vos de que andei fielmente diante de vós, e de que com lealdade de coração fiz o que é bom aos vossos olhos. E, dizendo isso, derramava abundantes lágrimas.
4. Isaías não tinha ainda deixado o átrio interior, quando a palavra do Senhor lhe foi dirigida nestes termos:
5. Volta e dize a Ezequias, chefe de meu povo: Eis o que diz o Senhor, Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas. Por isso vou curar-te. Dentro de três dias subirás ao templo do Senhor.
6. Vou acrescentar quinze anos aos dias de tua vida; além disso, salvar-te-ei, a ti e a esta cidade, das mãos do rei da Assíria, e protegerei esta cidade por amor de mim mesmo e de Davi, meu servo."


O JEJUM, ORAÇÃO, PENITÊNCIA NOS DÁ INDULGÊNCIA:

No livro de Jonas (3,4-10) temos outro exemplo de indulgência: 

. Jonas foi pela cidade durante todo um dia, pregando: Daqui a quarenta dias Nínive será destruída.
5. Os ninivitas creram (nessa mensagem) de Deus, e proclamaram um jejum, vestindo-se de sacos desde o maior até o menor.
6. A notícia chegou ao conhecimento do rei de Nínive; ele levantou-se do seu trono, tirou o manto, cobriu-se de saco e sentou-se sobre a cinza.
7. Em seguida, foi publicado pela cidade, por ordem do rei e dos príncipes, este decreto: Fica proibido aos homens e aos animais, tanto do gado maior como do menor, comer o que quer que seja, assim como pastar ou beber.
8. Homens e animais se cobrirão de sacos. Todos clamem a Deus, em alta voz; deixe cada um o seu mau caminho e converta-se da violência que há em suas mãos.
9. Quem sabe, Deus se arrependerá, acalmará o ardor de sua cólera e deixará de nos perder!

10. Diante de uma tal atitude, vendo como renunciavam aos seus maus caminhos, Deus arrependeu-se do mal que resolvera fazer-lhes, e não o executou.









A LEITURA DA BÍBLIA, DO EVANGELHO, NOS DÁ INDULGÊNCIA:

"1. Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o agricultor. Todo ramo que não der fruto em mim, ele o cortará;
2. e podará todo o que der fruto, para que produza mais fruto.
3. Vós já estais puros pela palavra que vos tenho anunciado.

4. Permanecei em mim e eu permanecerei em vós. O ramo não pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Assim também vós: não podeis tampouco dar fruto, se não permanecerdes em mim."
João 15, 1-4





A indulgência é o perdão das penas devidas por nossos pecados (Num 20,12; 1 Sam 3, 14.17-18; 2Sam 12, 13-14; Jon 1,12 ; At 5, 3-5.9-10; Jó 2, 8 ), pois todo pecado produz uma mancha (Mateus 15,18-20), uma pena, uma culpa que deve ser expiada, mesmo depois de perdoada,  através de algum castigo ou sofrimento (1 Samuel 3, 14.17-18; 2 Samuel 12, 13-14; I Coríntios 11,30-32).
 As indulgências nos livram desses castigos ou penas.
A Igreja recebeu o poder de perdoar os pecados(João 20, 21-23; 2 Coríntios 5, 18-20) e dar indulgências pelo poder das chaves de ligar e desligar (Mateus 16, 19; 18,17-18).

Também podemos aplicar as indulgências que recebemos em favor dos outros (Gálatas 6,2), pois devemos orar para que nossos irmãos tenham seus pecados perdoados (1 João 5,16-17 ) sejam os vivos ou os mortos ( II Macabeus 12,43-44; I Coríntios 15,29; II Coríntios 5,9).

O sacrifício de Cristo nos livra da pena eterna no inferno, e nos purifica pela fé no batismo, mas após o batismo pecamos e ainda estamos sujeito às penas temporais devidas pelo pecado.

Enquanto estamos vivos todo pecado que cometemos deve ser expiado por nosso arrependimento e boas obras através de Cristo. 







Para conseguir uma indulgência plenária é preciso:

1 – Confissão bem feita rejeitando todos os pecados graves e leves;
2 – Participar da missa e comungar;
3 – Rezar pelo Papa, no mínimo, um Pai-Nosso, uma Ave-Maria e um Glória.

4 – Fazer uma das 4 alternativas: 

4.1- um Terço em família diante de uma imagem sagrada; 

4.2 - ou 30 minutos de adoração do Santíssimo na Igreja; 

4.3- ou fazer a Via Sacra na Igreja, seguindo as 14 estações; 

4.4 - ou 30 minutos de leitura meditada da Bíblia.




                                          











Nenhum comentário:

Postar um comentário