quinta-feira, 18 de julho de 2013

MENTIRA: A IGREJA CATÓLICA ACEITAVA A REENCARNAÇÃO ATÉ 553?
















Escolhemos  como base para a nossa análise um artigo 

que ganhou notoriedade na Internet, de autoria do Sr. 

Vivaldo J. de Araujo, que é espírita.




No texto, o autor tenta provar - muito embora não 

apresente qualquer prova histórica - que até o sexto século 

a Igreja e todo o cristianismo seriam reencarnacionistas, ou 

seja, que a reencarnação faria parte da fé cristã e que o II 

Concílio de Constantinopla teria extirpado o 

reencarnacionismo da fé cristã.




O referido texto tem sido objeto de debates acalorados - e 

desnecessários - acerca da veracidade do que é proposto 

pelo artigo, que muito embora careça fundamento histórico, 

bíblico e até lógico, ganhou status de verdade doutrinária 

entre alguns grupos espíritas. 


Vejamos o artigo do Sr. Vivaldo e em seguida as nossas 

ponderações a respeito:






"O Concílio de Constantinopla – 553 D.C.

Vivaldo J. de Araújo



Até meados do século VI, todo o Cristianismo aceitava a 

Reencarnação que a cultura religiosa oriental já 


proclamava, milênios antes da era cristã, como fato 


incontestável, norteador dos princípios da Justiça Divina, 


que sempre dá oportunidadeao homem para rever seus 


erros e recomeçar o trabalho de sua regeneração, em nova 


existência.


Aconteceu, porém, que o segundo Concílio de 


Constantinopla, atual Istambul, na Turquia, em decisão 


política, para atender exigências do Império Bizantino, 


resolveu abolir tal convicção, cientificamente justificada, 


substituindo-a pela ressurreição, que contraria todos os 


princípios da ciência, pois admite a volta do ser, por 


ocasião de um suposto juízo final, no mesmo corpo já 


desintegrado em todos os seus elementos constitutivos.

É que Teodora, esposa do famoso Imperador Justiniano, 


escravocrata desumana e muito preconceituosa, temia 


retornar ao mundo, na pele de uma escrava negra e, por 


isso, desencadeou uma forte pressão sobre o papa da 


época, Virgílio, que subira ao poder através da criminosa 


intervenção do general Belisário, para quem os desejos de 


Teodora eram lei.


E assim, o Concílio realizado em Constantinopla, no ano de 


553 D.C, resolveu rejeitar todo o pensamento de Orígenes 


de Alexandria, um dos maiores Teólogos que a 


Humanidade tem conhecimento. As decisões do Concílio 


condenaram, inclusive, a reencarnação admitida pelo 


próprio Cristo, em várias passagens do Evangelho, 


sobretudo quando identificou em João Batista o Espírito do 


profeta Elias, falecido séculos antes, e que deveria voltar 


como precursor do Messias ( Mateus 11:14 e Malaquias 


4:5).


Agindo dessa maneira, como se fosse soberana em suas 


decisões, a assembléia dos bispos, reunidos no Segundo 


Concílio de Constantinopla, houve por bem afirmar que 


reencarnação não existe, tal como aconteceu na reunião 


dos vaga-lumes, conforme narração do ilustre filósofo e 


pensador cristão, Huberto Rohden, em seu livro"Alegorias", 


segundo a qual, os pirilampos aclamaram a seguinte 


sentença, ditada por seu Chefe D. Sapiêncio, em suntuoso 


trono dentro da mata, na calada da noite: " Não há nada 


mais luminoso que nossos faróis, por isso não passa de 


mentira essa história da existência do Sol, inventada pelos 


que pretendem diminuir o nosso valor fosforescente ".


E os vaga-lumes dizendo amém, amém, ao supremo chefe, 


continuaram a vagar nas trevas, com suas luzinhas 


mortiças e talvez pensando - " se havia a tal coisa chamada 


Sol, deve agora ter morrido ". É o que deve ter acontecido 


com Teodora: ao invés de fazer sua reforma íntima e 


praticar o bem para merecer um melhor destino no futuro, 


preferiu continuar na ilusão de se poder fugir da verdade, 


só porque esta fora contestada pelos deuses do Olimpo, 


reunidos em majestoso conclave.


Vivaldo J. de Araújo é Professor e Procurador de Justiça do Estado de Goiás."
















Analisando e respondendo ao artigo: O concílio de 

constantinopla (Vivaldo J. de Araujo)






1 - O II Concílio de Constantinopla não visava em nenhum 

momento combater uma pretensa crença 

reencarnacionista. 


Por sinal em nenhum momento a palavra "reencarnação" 

ou sequer qualquer derivativo da mesma aparece nos 

capítulos do concílio, bem como qualquer tema que remeta 

ao reencarnacionismo. 


E o Sr. Vivaldo em nenhum momento nos apresenta 

qualquer ata ou capítulo do concílio que trate do assunto 

(VEJA OS CÂNONES DO CONCÍLIO MAIS ABAIXO). 



É simples, o concílio de Constantinopla jamais debateu tal 

tema, bem como qualquer concílio cristão lhe dedicou uma 

única linha. 





Ao final deste artigo disponibilizamos os 5 capítulos, 

síntese remanescentes deste concílio e nada há que 

evidencie qualquer menção ao reencarnacionismo.




2 - Se é mesmo verdade que em algum momento da 

história o reencarnacionismo foi parte integrante da fé cristã 

e a mesma foi abolida, onde estão as evidência 

documentais e históricas a comprovar isso, haja vista todas 

as heresias combatidas da época foram documentadas, 

todas chegaram ao nosso conhecimento?



Houve o Arianismo, O Donatismo, A Sola Fide, a Sola 

Scriptura e tantas outras. Será mesmo que uma heresia 

chamada Reencarnacionismo  passaria em brancas 

núvens, ou apenas existiu na imaginação de seus 

defensores? 



Se era mesmo tão vasta a sua crença e a sua aceitação, 

então como passou tão desapercebida na história, já que 

tantas outras heresias tão ou mais audazes que o 

reencarnacionismo em suas proposições marcaram suas 

épocas? 


E mais, se o reencarnacionismo nunca foi sequer 

considerado uma heresia a ser combatida, por quê não 

sobreviveu no seio do cristianismo? 



Enfim, o reencarnacionismo jamais esteve no bojo da fé 

cristã, que sempre foi por gênese e essência 

fundamentado na ressureição.


















3 - Digamos que a "poderosa" Teodora, reencarnacionista, 

muito embora escravocrata cruel segundo o Sr. Vivaldo, 

tenha mesmo influenciado nas decisões do concílio. Então 

há um contra-censo terrível e uma contradição brutal com a 

doutrina espírita:


Olhando a questão sob a ótica do próprio espiritismo, 

chega-se facilmente à conclusão que, mesmo que a dita 

senhora tivesse hipoteticamente o poder de influenciar 

todos os concílios do mundo, ainda assim não conseguiria 

alterar aquilo que estava completamente fora do seu 

controle, o seu próprio  "carma".



Segundo o espiritismo a "terrível Teodora"  poderia 

reencarnar em qualquer corpo, mesmo em outro sexo, em 

qualquer raça, em qualquer época segundo esse mesmo 

carma. E independentemente de sua posição social, não 

poderia efetuar essa escolha em vida, ou seja, não poderia 

escapar da possibilidade de reencarnar como uma escrava 

negra apenas por tentar modificar os destinos de um 

concílio ou por qualquer outro gesto, conforme ensina o 

espiritismo.



Enfim, além de ser um argumento sem qualquer base 

histórica - o que mais sugere tratar-se de um pretexto 

absurdo - carece de um mínimo de lógica e contradiz a 

própria doutrina espírita. Teria sido mais sábio e honesto 

por parte do autor ter fundamentado a justificativa de sua 

tese em algo que pudesse ser comprovado, o que não é o 

caso.






4 - Se a decisão dos bispos da época tinha cunho político 

de abolir uma crença cientificamente justificada, qual 

ciência então já a justificava na época? Se era mesmo uma 

crença que já naqueles dias gozava da apreciação 

científica, então as ciências a baniram da mesma forma 

como teria feito a Igreja segundo o Sr. Vivaldo?


Ademais, se a crença reencarnacionista era tão comum na 

época, se englobava aquela cultura há milênios e nela 

estava inserida, no quê ela poderia ser pivô de disputas 

políticas? E se foi objeto de tais disputas fantasiosas, quem 

seriam seus partidários? Ou seja, não há qualquer sentido 

nisso, não há lógica, além de não haver base histórica. Ou 

seja, uma afirmação indigna até mesmo de ser levada em 

consideração.




5 - Se o reencarnacionismo era aceito por todo o mundo 

cristão, como a supressão dessa crença passou 

desapercebida? E que mundo seria esse, se mesmo o 

paganismo romano que ainda teimava em resistir NÃO era 

reencarnacionista?






A reencarnação sempre foi uma crença afeta ao paganismo 

hindu, egipcio e babilônico. Notemos ainda que o povo 

judeu, segundo a Biblia, esteve sob o jugo egípcio e 

babilônio, mas jamais sucumbiu às crenças religiosas 

desses povos.



6 - Em nenhum dos concílios que antecederam ou se 

seguiram ao II Concílio de Constantinopla há qualquer 

condenação ao reencarnacionismo, ou seja, essa crença 

jamais foi ponto de fé entre os cristãos. Não mereceu 

qualquer citação por mínima que fosse, que justo 

desprestígio.







7 - Orígenes: É interessante a menção de Orígenes no 

artigo do Sr. Vivaldo, e talvez toda a valides desta 

argumentação esposada pelos espíritas que coadunam 

com essa tese gira em torno de uma má compreensão da 

doutrina ensinada por Orígenes, assim preferimos supor.


Orígenes, ao contrário do que alegam muitos espíritas, não 

acreditava na reencarnação, mas na ressurreição. Mais 

especificamente, Orígenes acreditava erroneamente num 

tipo de preexistência das almas (que muitos espíritas 

erroneamente confundem com reencarnação). 



Segundo Orígenes toda pessoa já havia sido criada no céu 

como espírito, e lá tinha uma existência similar à nossa, e a 

terra funcionava como um tipo de provação às mesmas. 




pessoa viria à terra de acordo com seu pecado em sua 

preexistência (no céu). Ela poderia aceitar a fé cristã 

durante a sua caminhada nesta terra e ir para o céu 

novamente ou então rejeitá-la e perder-se eternamente no 

inferno, mas em nenhum momento essa doutrina 

origenista fala sobre a reencarnação. 



Muito pelo contrário, muito embora Orígenes errasse em 

sua proposição antibíblica de uma preexistência, acertava 

quando afirmava que após essa vida, não haveria retorno, 

ou o céu ou o inferno como fim único e nunca um retorno a 

esta terra, só é dado ao homem viver uma única vez: 

Heb 9,27.


É digno de nota que esta doutrina foi elaborada por 

Orígenes como uma solução para o problema filosófico do 

mal, mas como não havia base bíblica para tal, foi 

sabiamente condenada neste Concílio. Não podemos ver ai 

nenhuma ligação com a doutrina kardecista da 

reencarnação, persistir nisso seria distorcer a realidade dos 

fatos.


Há de se ressaltar ainda que este Concilio nunca 

condenou nenhuma passagem sequer dos Evangelhos, ou 

seja, a Bíblia permaneceu incólume, não há na mesma 

qualquer dubiedade em favor do reencarnacionismo. 






Nenhum espírita conseguiu provar o contrário disso até 

hoje, mesmo assim preferem permanecer na pertinácia em 

afirmar esta história mítica inventada com o fito de 

solucionar a suposta omissão da reencarnação na Bíblia e 

na história da Igreja. Ou seja, prefiro imaginar que tais 

afirmações decorram de falta de base ou de uma pesquisa 

francamente empobrecida do que em afirmação desonesta.













8 - João Batista era a reencarnação de Elias? 

- Bom, segundo o Sr. Vivaldo Araujo, SIM, mas apenas 

segundo as suas palavras. Essa tese redunda em 

equívocos absurdos, vejamos porquê:


a) João Batista disse abertamente, sobre essa questão, 

quando lhe perguntaram: "És tu Elias?", ele respondeu 

imediatamente: "NÃO SOU" (João 1:21). Se é que a 

reencarnação era mesmo uma crença tão comum, mesmo 

milênios antes da fé cristã, João Batista certamente nunca 

acreditou nela.






b) Quando Jesus fez esta comparação, eles tinham 

acabado de ver Elias e Moisés no monte da transfiguração.
Se Elias fosse João Batista reencarnado os espíritas 

entrariam em contradição com sua própria doutrina, veja:
João nesta altura já havia sido decapitado por Herodes, 

portanto estava morto. 



Ora, o próprio Kardec afirmou que "a reencarnação é a 

volta da alma à vida corpórea, mas em outro 

corpo especialmente formado para ela e quenada tem 

de comum com o antigo". Como então, João Batista, 

apareceu no velho corpo na transfiguração? Não teria ele 

que aparecer (de acordo com a doutrina espírita) com o 

atual, da ultima reencarnação, isto é, com o corpo de João 

e não de Elias?



Ainda, segundo a doutrina espírita, o tal espírito se 

reencarna para purgar suas faltas do passado para 

progredir até ser espírito puro. Diz Kardec: "Toda a falta 

cometida, todo o mal praticado é uma dívida contraída 

que deverá ser paga." (O Céu e o Inferno, pág. 88) 

Certamente, Elias mesmo sendo um profeta de Deus, 

tendo intimidade com Ele, parece que não havia progredido 

muito, visto que passou novamente pelas mesmas "provas" 

(como João Batista) para "limpar" seu suposto "carma" do 

passado.



Repetimos, a Bíblia diz categoricamente que "Está 

ordenado ao homem morrer uma só vez vindo depois disto 

o juízo" (Hebreus 9:27). 


Não existem várias mortes, mas uma só.



















C) Se a reencarnação é o ato ou efeito de reencarnar, 

pluralidade de existência com um só espírito, é evidente 

que um vivo não pode ser reencarnação de alguém que não 

morreu. Isso mesmo! Fica claro assim que João não era 

Elias já que Elias NÃO MORREU, como erroneamente 

quer fazer entender e com muita dificuldade o Sr. Vivaldo. 

Conforme narra a Bíblia, Elias tendo sido arrebatado vivo 

para os céus (conf. II Crônicas 2:11). 


Ou seja, uma mesma Bíblia vista sob uma ótica meramente 

de conveniência pois é impensável que tal detalhe tenha 

passado desapercebido.
















Então porque Jesus disse que João era o Elias que havia 

de vir? 





Não precisamos recorrer à fantasiosa doutrina 

reencarnacionista para explicar esse ponto, deixemos que 

Bíblia interprete a própria Bíblia.


João Batista iria adiante de Jesus no ESPIRITO E 

PODER de Elias e não que seria Elias reencarnado. (Lucas 

1:17); Isto tem a ver com o ministério de ambos e não 

com reencarnação dos espíritos. Se seguirmos esta linha 

de pensamento, teremos de admitir que Elizeu e não João 

Batista era a reencarnação de Elias, pois diz a Bíblia 

que "Vendo-o, pois, os filhos dos profetas que estavam 

defronte dele em Jericó, disseram: O espírito de Elias 

repousa sobre Eliseu" (2 Reis 9:15). 



Mas um não poderia ser a reencarnação do outro, pois 

ambos viveram ao mesmo tempo. Quando vemos uma 

pessoa com as mesmas características de outra dizemos: 

este é um Pelé, um Picasso. Com isso não queremos dizer 

que um é a reencarnação do outro! Vejamos então as 

semelhanças entre o ministério de ambos os profetas:






ELIAS

JOÃO BATISTA
Profetizou em tempos de apostasia
Profetizou para aproximar o povo de Deus
Vestia –se com roupa de pele de ovelhas
Acabe (o rei) tinha medo de Elias
Jezabel pediu a vida de Elias
Pregava sobre o arrependimento e castigo
Profetizou em tempos de apostasia
Profetizou para aproximar o povo de Deus
Vestia-se com roupa de pele de ovelhas
Herodes tinha medo de Elias
Herodias pediu a vida de João
Pregava sobre o arrependimento e castigo










9 - Se a Bíblia foi alterada pela Igreja cristã com vistas a 

excluir completamente o reencarnacionismo de seu 

conteúdo, como isso pôde ser feito sem que qualquer 

vestígio palpável dessa violação houvesse sobrevivido 

mundo a fora? Lembremos que grande parte do antigo 

testamento era e continuou sendo patrimônio do judaísmo 

não há sequer menção por mínima que seja do 

reencarnacionismo em suas linhas. 




Notemos ainda que há centenas de citações do antigo 

testamento presente nos Evangelhos e não há nem longe 

qualquer correlação com a reencarnação. 




Nem mesmo os manuscritos do Mar Morto citam algo 

semelhante. Vários escritos patrísticos são anteriores ao 

cânone bíblico, e nos mesmos não há vestígio de qualquer 

adulteração com vistas a suprimir o reencarnacionismo.


 Ou seja, a tese da adulteração das escrituras carece até 

mesmo de lógica, trata-se de uma das mais absurdas

teorias de conspiração de nosso tempo, e como toda teoria 

de conspiração, é mais digna de um gibi do que de uma 

obra séria.




É interessante fazer notar que nem a história oficial 

consagrou o reencarnacionismo como parte integrante da 

fé cristã em nenhum momento, são crenças integralmente 

dissociadas em todos os seus fundamentos doutrinários, 

nem mesmo o próprio Alan Kardec fez assertiva 

semelhante a do Sr. Vivaldo. 


Pelo contrário, tanto Kardec quanto os primeiros teóricos 

do espiritismo colocavam a fé espírita como algo que veio 

para "aperfeiçoar" o cristianismo. Colocavam o espiritismo 

como o "consolador" prometido por Jesus.



Ou seja, alguns grupos espíritas acusam a Igreja e o 

cristianismo de ter "desvirtuado" a verdadeira mensagem 

cristã, coisa difícil de merecer crédito quando vemos esses 

mesmos grupos espíritas desvirtuando até mesmo a 

mensagem original de seus mestres.





















------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Os Cânones do II Concílio de Constantinopla (553)




1. Se alguém não reconhece a única natureza ou 


substância (oysia) do Pai, Filho e Espírito Santo, sua única 


virtude e poder, uma Trindade consubstancial, uma só 


divindade adorada em três pessoas (hypostáseis) ou 


caracteres (prósôpa), seja anátema. Porque existe um só 


Deus e Pai, do qual procedem todas as coisas, e um só 


Senhor Jesus Cristo, através do qual são todas as coisas, e 


um só Espírito Santo, no qual estão todas as coisas.



2. Se alguém não confessa que há duas concepções do 


Verbo de Deus, uma antes dos tempos, do Pai, intemporal 


e incorporal, e a outra nos últimos dias, concepção da 


mesma pessoa, que desceu do céu e foi feito carne por 


obra do Espírito Santo e da gloriosa Genitora de Deus e 


sempre virgem Maria, e que dela nasceu, seja anátema.



3. Se alguém disser que existiu um Deus-Verbo, que fez os 

milagres, e um Outro Cristo, que sofreu, ou que Deus, o 

Verbo, estava com Cristo quando nasceu de uma mulher, 

ou que estava nele como uma pessoa em outra, e que ele 

não era um só e o mesmo Senhor Jesus Cristo, encarnado 

e feito homem, e que os milagres e os sofrimentos que ele 

suportou voluntariamente na carne não pertenciam à 

mesma pessoa, seja anátema.



4. Se alguém disser que a união de Deus, o Verbo, com o 

homem foi feita quanto à graça, ou à ação, ou à igualdade 

de honra ou autoridade, ou que era relativa ou temporária 

ou dinâmica1 ou que era conforme o beneplácito (do 

Verbo), sendo que o Deus Verbo se comprazia com o 

homem...



5. Se alguém conceber a única personalidade (hypóstasis) 

de nosso Senhor Jesus Cristo de tal modo que permita ver 

nela diversas personalidades, tentando introduzir por este 

meio duas personalidades ou dois caracteres no mistério 

de Cristo, dizendo que dessas duas personalidades

introduzidas por ele provém uma única personalidade

quanto à dignidade, à honra e à adoração, como Teodoro e

Nestório escreveram em sua loucura, caluniando o santo

Concílio de Calcedônia ao alegar que a expressão "uma

personalidade" foi por ele usada com essa ímpia intenção;

e se não confessar que o Verbo de Deus foi unido à carne

quanto à personalidade (kath' hypóstasin)...



6. Se alguém aplicar à gloriosa e sempre virgem Maria o 

título de "genitora de Deus" (theotókos) num sentido irreal 

não verdadeiro, como se um simples homem tivesse

nascido dela e não o Deus Verbo feito carne e dela 

nascido, enquanto o nascimento só deve ser "relacionado"

com Deus o Verbo, como dizem, porquanto ele estava com

o homem que foi nascido...



10. Se alguém não confessar que aquele que foi 

crucificado na carne, Nosso Senhor Jesus Cristo, é o

verdadeiro Deus e Senhor da glória, parte da santa

Trindade, seja anátema.



[Os quatro cânones restantes tratam com mais pormenores das opiniões dos três teólogos.]



Nota:
1 [katà] anaphorán, ê, schésin, ê dynamin, talvez: "feita por promoção ou possessão ou poder".
Fonte: Documentos da Igreja Cristã, Bettenson, Henry (Editor)
Ed. Aste/Simpósio - São Paulo, 1998 - nº 129 - Pág. 159-

160



Fontes:








41 comentários:

  1. A Igreja Católica é a aquela que queimava pessoas que acreditavam que a Terra girava entorno do Sol e não o contrário?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É aquela que acertou errou como qualquer instituição humana e não se omitiu em pedir perdão e buscar acertar.
      A Igreja Católica é a instituição organizada mais antiga do mundo e seria muita ilusão alguém acreditar que ela passaria mais de dois mil anos sem cometer um erro, erros humanos por parte de seus membros.
      Lembre-se também que cada época histórica teve uma filosofia, uma política, um meio social e econômico que influenciou os rumos da história a Igreja.
      A Igreja nunca negou seus erros.
      Mas quando falamos de doutrina dogmática a Igreja nunca se contradisse. Nunca um Papa promulgou uma Bula anulando alguma doutrina oficial da Igreja.
      Nós, católicos, que cremos em Cristo e em sua Palavra, sabemos que as portas do inferno não prevalecerão sobre a Igreja Mateus 16,18.

      Excluir
    2. TEXTO INCONSISTENTE.

      Apesar de o autor falar em falta de provas, artigos, ou outros elementos de convicção, seu texto padece dos mesmos erros.

      Dito isto, recomendo a leitura da bíblia em profundidade, além das mitologias gregas e egípcias e, por fim, um aprofundamento maior na teoria reencarnacionista.

      Feito, isto e, com algumas correções na configuração da página, talvez venha algo mais consistente.

      Por fim, onde estão os escritos do concilho de constantinopla (Os originais).

      Atenciosamente.
      JM

      Excluir
    3. Inconsistente é
      você levantar temas que nem sequer tem um documento como base.
      1- Se você não sabe ler, os textos originais do Concílio de Constantinopla estão aí escritos nos cânonanes do Concílio, no texto acima, e eles não fazem menção sobre a reencarnação.
      2- Como você crê que o Concílio de Constantinopla disse algo que nem documentação tem?
      3- Qualquer leitura bíblica em profundidade identifica apenas uma crença: a ressurreição. Nunca é mencionada a reencarnação.
      4- Vocês fazem interpretações distorcidas, sem base alguma, de certos trechos do evangelho de João que nada mencionam sobre morrer e nascer de novo literalmente.
      5- Mitologia grega e egípcia não é doutrina cristã.
      6- A reencarnação como doutrina sempre existiu em culturas pagãs.
      7- Nós somos cristãos católicos e essa doutrina nunca fez parte de nossa fé.
      8- O Espiritismo, como conhecemos hoje, é apenas uma costura de doutrinas pagãs com as noções de amor e solidariedade de nosso Cristianismo, ou seja, o espiritismo não traz revelação nenhuma, apenas é uma releitura de outras doutrinas já existentes.
      9- Quando a gente se sente ofendido e não tem base para argumentar, a tática é ofender o outro, como você ao falar da configuração da página. Não sou muito bom em tecnologia mesmo, isso é um erro, mas a argumentação está escrita para quem sabe ler e quer entender.
      10- Leio os textos espíritas e nunca encontrei nada nem filosoficamente, nem cientificamente, nem teologicamente falando que me leve a crer em tal crença.
      Se você crê, lembre-se que milhões não creem. Este é um Blog católico feito para católicos e não para espíritas.

      Excluir
    4. A Igreja Católica cometeu sim inúmeros erros, e veio nos pedir desculpas pelas suas enormes falhas. Falhas essas que até hoje as feridas estão abertas, não cicatrizadas. Será que tais feridas cometidas pela instituição católica, durante séculos não foram cometidas devido às manifestações de intelectuais que sabiam muito e queriam revelar-nos as coisas divinas, que foram seladas até hoje pelas doutrinas cristãs? Aliás, os documentos do Concílio, na verdade, os originais, não serão jamais expostos pela igreja, pois a igreja não permitirá isso. É conveniente e sempre foi, para o catolicismo e as demais ramificações, desde a reforma cristã, que o homem :é um jogo de controle de poder influenciado pela igreja, como sempre foi, desde o passado. Para que o povo fosse controlado e manipulado, houve a omissão do que é verdadeiro. Melhor dizendo: convém a igreja, em suas ramificações, controlar o pensamento humano. Visto que, se o homem souber a verdade, os templos não se incharão de pessoas, para a contribuição com o capital humano. Isso é notório! Pois Jesus, em momento algum precisou de templo feito por mãos para pregar as boas novas ao povo. Seus sermões eram feitos ao ar livre, nas montanhas e tampouco, pedia quaisquer tipo de quantia, para realizar seus feitos. Ora, assim também a igreja tomou por posse a palavra santa, e a traduziu conforme seus interesses e objetivos. Pois a Bíblia de hoje não é a mesma Bíblia original, portanto foi mudada de acordo com suas diversas traduções. Você que é formado em Letras sabe disso, muito bem. Assim, como eu sei.

      Excluir

    5. Alguns membros da Igreja cometeram erros ao longo da história. A Igreja aprendeu com esses erros e procura sempre servir o Cristo na perfeição, mas ela é composta por pecadores, então está sempre caindo e levantando.

      Jesus escolheu 12 apóstolos e sabia que 1 deles o iria trair e os demais o iriam abandonar na hora da cruz, apenas 1 deles ficou até o fim. Nem por isso, após sua ressurreição, ele abandonou sua Igreja, ao contrário, veio ao encontro dela Jo 20,19, pois prometeu que a Igreja não seria vencida pelo inferno Mateus 16,18.

      Sua tese de que os documentos originais nunca serão apresentados é ridícula.

      Mesmo que não tivéssemos uma só ata de um Concílio, deveria ter existido algum registro histórico de sua teoria de reencarnação na época do Cristianismo nascente. Algo que não há, logo sua tese vem abaixo.

      Temos o registro de todas as heresias, menos da sua. Assim, sua tese é uma invenção. Se houve a omissão de alguma doutrina verdadeira, onde estão as provas?

      Você faz argumentações sem provas históricas nenhuma, além das invenções sem sustentação.

      Você não deve ler muito a Bíblia, já que é espírita, né?

      Jesus pregava nos campos, mas ia ao Templo de Jerusalém Jo 7,10.14; 10,22s e chamava o Templo de a Casa de seu Pai Jo 3,16, participava do culto como qualquer judeu, também ensinava no Templo Luc 2,46ss; 19,47 e incentivou o dízimo ao elogiar a viúva pobre do Templo Luc 12,41ss.

      A Bíblia usada pela Igreja Cristã desde o início foi a Bíblia grega chamada dos Setenta, que foi traduzida para o latim por um dos maiores estudiosos da época, São Jerônimo, e ainda hoje é usada pela Igreja Católica.

      Nada foi tirada dela. Nenhuma linha que legalize a crença na reencarnação existia ou existe na Bíblia. Ainda que se tenham feitas possíveis traduções diferentes isso em nada comprovaria qualquer tese espírita.

      A Igreja Católica foi fundada por Cristo Mateus 16, 18 e recebeu dele a autoridade para definir e interpretar tudo o que se relaciona com a doutrina cristã Mat 16,19; 18,18.

      Jesus manda-nos ouvir a Igreja Mateus 18,17.

      Foi com essa autoridade que ela fez a lista dos livros da Bíblia já no Concílio de Nicéia, em 300 d.c.

      A Igreja é a coluna e sustentáculo da verdade, como nos diz I Timóteo 3,15 e a interpretação da Bíblia não é pessoal II Pedro 1,20.

      A verdadeira doutrina, a única fé foi confiada uma vez para sempre à Igreja Católica Judas 1,3; Efésios 4,4-6.

      Excluir
  2. Todos nós espíritas sabemos que o homem é imperfeito e cada um possuidor de um Espírito diferente, com várias vivências. Nós sabemos que a Igreja Católica esconde muitas verdades de seus fiéis. Se não existe reencarnação, mesmo usando os ensinamentos católicos como Cristo teria vindo a Terra? O Espíruto Puro de Jesus encarnou ou reencarnou como queiram. Falar sobre crença pagã não é novidade para a Igreja Católica Apostólica Romana que foi fundada em 381 antes de Cristo, por um decreto imperial "Cunctus Populus" com os povos por Teodósio I. Os que frequentavam a Igreja na época da sua fundação eram somente a ralé e os pagãos daquela época.. O próprio João em seu Evangelho afirma: " Sai dela". Encobrir o reencarnacionismo dentro do Cristianismo é querer tapar o sol com a peneira. O pior é que ainda tem espíritas que acreditam que Jesus nasceu por Obra e graça do Espírito Santo, outras celebridades antes de Jesus, inclusive Ciro teria nascido assim. Lamentamos que alguém descredite de fatos notórios, talvez seja por que uma maioria de "pretensos" espíritas sejam oriundo do catolicismo. Os Evangelhos apócrigos receberam esse nome por São Jerônimo e com que autoridade espiritual ele usou esse termo. Quem ler o Evangelho de felipe, de Thomé se assusta. Talvez por isso, a igreja tenha escolhido os evangelos de Lulas e Marcos que nunca conheceram Jesus. Minha gente a verdade só a Deus pertence, no entanto, Justiniano existiu, a Teodora existiu e ela era contra a reencarnação, pois não queria ser em nova vida negra, prostituta e escrava. A Igreja Católica Apostólica Romana ainda vai arcar pelos erros cometidos no passado. A Inquisição, as cruzadas e os Templários foram fase negra da história. Será que o Vaticano também explica porque proibiu que os Papas , clérigos e outros membros da igreja continuassem casados, por Cristo não ser casado? Não ela proibiu , pois no futuro não poderia arcar com as despesas dos dependentes que cresciam a passos largos. As histórias de carochinhas precisam ser trocadas por histórias de verdade que a ICAR vem escondendo desde muito tempo dos seus fiéis. Os trinta Papas que envergonharam a humanidade eles não falam disse. De São Domingos de Gusmão que massacrou 60.000 mouros e judeus que se não quiseram rzar o terço. E aí amigo o que eu vou dizer lá em casa e o que vou repassar para os meus filhoe e netos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Como já disse abaixo, você demonstra total fanatismo, acrescentando ideias de teorias de conspiração.

      Você diz: "nós sabemos que a Igreja esconde verdades", então quais são suas provas históricas disso? Ou quais são essas tais verdades que só vocês sabem? A reencarnação que não tem prova nenhuma, nem científica? Que provas vocês têm, afirmando que o Espiritismo é uma ciência, quando não conseguem provar empiricamente a existência de espíritos?

      Sobre o paganismo, quem mais deve saber são vocês mesmo já que sua doutrina é apenas uma costura de doutrinas pagãs com as cristãs.

      E ainda usam nossos Evangelhos e orações em suas reuniões para induzir católicos a acharem que Espiritismo e Catolicismo é a mesma coisa, quando não é.

      Outro erro seu é dizer que a Igreja foi fundada em 381, quando existem cartas de Bispos do ano 100-300 mencionando o nome da Igreja Católica e quando já haviam morrido mais de 30 Papas, Bispos de Roma, antes de 381. O certo é que partir do ano 300, a Igreja deixou de ser perseguida.

      Loucura é você tentar provar que os Apóstolos pregavam a reencarnação, quando todos os evangelhos e cartas deles falam da Ressurreição.

      Quem decretou os evangelhos apócrifos não foi São jerônimo, mas a Igreja que menciona o cânon da Bíblia já no Concílio de Nicéia em 300, antes de Jerônimo em 400.

      O texto acima já falou e refutou sua tese fantástica do Imperador Justino e de Teodora.

      A Igreja tem 2000 anos e não passaria pela Idade Média sem cometer erros.

      Sua religião nasceu na era moderna, não enfrentou mouros que queriam destruir sua fé, nem viveu num contexto bárbaro como ela. Ou seja, sua religião não tem a história que a minha tem de mais de 1000 anos.

      Julgar o povo medieval, como São Domingos de Gusmão, sem entender o contexto social da época é um erro que demonstra total falta de conhecimento antropológico, sociológico e mesmo psicológico de sua parte.

      A Igreja não precisa lembrar dos Papas pecadores. Ela tem ,por obrigação, lembrar dos Papas santos para que sirvam de exemplo aos demais.

      O que você deve dizer aos seus filhos é a verdade.

      A Igreja tem erros e imperfeições como sua religião tem erros e imperfeições.

      Sua religião tem uma imensidão de imperfeições, a doutrina espírita não é uma unanimidade entre os espíritas, existem grupos, na Europa, que discordam dessa doutrina.

      As irmãs Fox, grandes responsáveis pelo início do movimento espírita, se retrataram, depois de um tempo, dizendo que inventaram manifestações espíritas falsas. Muitos escritores só usam a ideologia espírita para vender livros.

      Isso sem falar nos erros científicos de Allan kardec falando de Júpiter, Marte , dos astros,etc. Se ele diz ter recebido revelações dos espíritos errou tanto por quê?

      Excluir
  3. Respostas
    1. "Este é um blog feito para católicos." Essa afirmação é para que você se toque que você não é o dono da verdade e aqui pregamos as verdades católicas.

      Se você não gosta do que lê, então procure um blog espírita.
      Discriminação é desprezar o outro colocando-o como inferior.

      Aqui, a palavra certa é afirmação.
      O diálogo ecumênico proposto por nossa Igreja, nos leva a aceitar todos os que creem em Deus e ver os pontos positivos de cada religião.

      Ver as qualidades de uma religião não significa aceitar sua doutrina.
      Seu problema é misturar as coisas.

      Do mesmo jeito que você tem blogs espíritas que falam de sua doutrina e nós, católicos, temos todo o direito de afirmar nossa fé na ressurreição.

      Sobre interpretar a Bíblia, lembre-se que ela é uma seleção de livros feita e confirmada por católicos para católicos em diferentes Concílios. Quem fez essa seleção não sabe interpretá-la? Quem teve autoridade para escolher esses livros não sabe lê-los?

      Sua interpretação sobre a passagem de Lucas 9,60 que fala dos mortos é a mesma que fazemos.

      Nós sabemos que os fiéis santos estão vivos em Deus, essa fé existe em nossa Igreja, lembre-se que quem usa a doutrina cristã e seus livros de empréstimo é o Espiritismo que se baseou em nossa fé sobre amor e misericórdia e vida após a morte.

      Sobre a inquisição, é bom você lembrar que sua religião foi inventada na modernidade e não passou pelas limitações humanas da era da Idade Média, com sua mentalidade bárbara de sobrevivência.

      Você apenas demonstra fanatismo em suas afirmações, dizendo que eu não sei a verdade, mas você, sim, que é o dono dela.

      Viva sua fé, pois, nós, católicos, continuaremos afirmando a nossa.
      Diálogo ecumênico não significa perca de identidade.

      A minha identidade católica afirma a vida após a morte em Deus no céu, aguardando à ressurreição no fim do mundo.

      Reencarnação e almas vagando e baixando em terreiros ou centros fazem parte de sua identidade espírita, não da minha.

      Excluir
  4. Um querendo justificar o seu ponto de vista.....
    O entendimento é individual, sempre oque q tem o poder de persuadir, convence o próximo que é assim e pronto...
    Por isso acho que o que nos basta é seguirmos os 10 mandamentos...

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. "Antes de tudo, sabei que nenhuma profecia da Escritura 'e de interpretacao pessoal." II Pedro 1,20

      Ou seja, devemos ouvir a interpretacao da Igreja como nos diz Jesus:

      "Se recusa a oouvi-los, dize-o 'a Igreja, E se recusar ouvir a Igreja seja ele para ti como um pagao e um publicano" Mateus 18,17

      Pois Sao Paulo disse que:

      "ainda que alguem - nos ou um anjo baixado do ceu - vos anunciasse um evangelho diferente do que vos temos anunciado,que ele seja anatema (excomungado)"
      Galatas 1,8

      Assim, ainda que acredita-se que espiritos revelaram tal doutrina da reencarnacao, ela nao foi revelada pelos Apostolos, logo, seguindo Sao Paulo (Gal 1,8), devemos considerar tais espiritos como sendo falsos.

      E o tema da questao 'e provar que a reencarnacao existia como doutrina da Igreja e isso 'e uma mentira, pois nao ha um documento historico, nem registro de ninguem da epoca afirmando tal heresia.

      Todas as heresias do inicio da Igreja chegaram ao nosso conhecimento, menos essa? Algo improvavel.

      Excluir
  5. Prezado Sr. Príncipe Órion.
    Você respondeu ao Sr. "JORNALISMO PELO BRASIL", com a seguinte pergunta:
    "A reencarnação que não tem prova nenhuma, nem científica?"
    Daí lhe pergunto: Que provas científicas o Sr. tem para provar a ressurreição de cristo?
    Não seria mais justo e educado de sua parte dizer que o que você diz é apenas resultado do que você acredita?
    Amigo, fique em paz na sua fé e deixe cada um exercer a sua própria fé, e pare de falar bobagens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Sr Anonimo,
      sobre seu questionamento acima, devo lhe lembrar que o Espiritismo afirma ser uma ciencia, diferente da Igreja Catolica, que se coloca como uma relgiao, por isso perguntei ao Sr "JORNALISMO PELO BRASIL",quais sao as verdades que ele afirmava que minha Igreja esconde, se essa verdade seria a reencarnacao, que tanto voces espiritas pregam e da qual voces nao tem uma prova cientifica.

      Sobre ser educado, veja que voces se sentem na autoridade de difamar minha Igreja e acham que nos, catolicos, devemos nos calar?

      Se voces dizem o que querem, tambem devem estar prontos a ouvir o que nao querem.

      Discutir e apontar o erro um do outro nao leva a nada, por isso lhe digo, pregue o que voce acha certo em seu blog, em seu site espirita, mas aqui, como catolico, defendo minha fe.

      Para defender minha fe, nao vivo apontando os erros dos outros, mas tenho de rebater as argumentacoes que nao condizem com a historia da Igreja, como afirmar que a Igreja acreditava em reencarnacao.

      Isso, sim, 'e uma bobagem.

      Excluir
    2. Fala fala e não disse nada. Muito blá blá

      Excluir
    3. Anônimo disse:"Fala fala e não disse nada. Muito blá blá " - Traduzindo: " Eu não sei ler."

      Excluir
  6. Prezado Sr. Príncipe Órion,
    Complementando.
    Na sua crítica questionou bastante a falta de referências.
    Portanto, recomendo a leitura do texto contido no seguinte link e demais referências citadas.
    http://jefferson.freetzi.com/Supressao3.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Existem referencias suficientes no texto acima. Li seu link e vi quanta coisa sem logica, ao meu ver, voce argumenta, fazendo questao de difamar a Igreja para tentar apresentar-se como "a grande Verdade revelada'...verdadeira heresia. Em breve continuarei a postar sobre a tema.

      Excluir
  7. Não é preciso nem debater esse assunto da Inquisição. Não se pode seguir uma instituição que diz ser seguidora de Cristo e não cumpre com seus ensinamentos. Jesus condenou o assassinato ou qualquer forma de agressão ao próximo, mas pelo visto a Igreja não entendeu. Assim, torturou e assassinou milhares de pessoas, apenas por sua intolerância. Seu dever diante desse fato é abaixar a cabeça e concordar que o catolicismo é contraditório e disperso. Fatos são fatos, e contra fatos não há argumentos. Quer embasamento? Posso listar milhares de livros de história caso deseje.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então você segue qual instituição? Sobre a inquisição você estudou apenas o que diziam os professores das décadas passadas?
      Você já leu sobre a revisão que os historiadores estão fazendo sobre a inquisição? Você já estudou e procurou entender o contexto da época, como era a pena de morte, que muitos ladrões blasfemavam só para serem presos em prisões da Igreja que eram melhores do que as prisões reais (seculares)? Você já estudou que a tortura era comum na Idade Média, e usada pelo poder dos reis? E que a Inquisição não a usou como os historiadores das décadas passadas dizem? Já estudou que a Inquisição foi vítima da Imprensa usada pelos países protestantes? Você já estudou que os protestantes mataram mais com a Reforma do que em toda a Inquisição?
      Você sabia que essa história de que foram milhões de mortos na Inquisição é pura invenção dos historiadores ateus e iluministas?
      Você já estudou o que a Bíblia diz sobre pena de morte (Ex 21,12,16; 22,19; Lev 20,10? Onde Jesus fala contra a pena de morte? Ele falou contra assassinato. Assassinato não é pena de morte.
      O apóstolo Paulo definitivamente reconheceu o poder do governo para instituir a pena de morte onde fosse apropriado Rom 13,1-5.
      Se você usa o argumento de que a Igreja matou por isso ela é falsa, então use o mesmo argumento sobre a Bíblia, pois Moisés, Elias, Josué, mataram homens, mulheres e crianças em nome de Deus. Você os condena ou entende o contexto em que tudo isso aconteceu?
      Hoje, entendemos diferente, mas cada momento histórico deve ser analisado com maturidade e não com um argumento adolescente como o seu. O conceito de tolerância não existia na Bíblia, não existia na Idade Média, não existia para os muçulmanos.
      Não julgue a história sem entender o contexto. Há muitos livros modernos sobre as atas da inquisição abertas pelo Vaticano. Estude.
      O Catolicismo com seus dogmas é pleno em verdade, os homens são contraditórios. Uma é a doutrina, outra coisa é o pecado de seus filhos. Temos muitos, milhares de Santos, mas também temos pecadores.

      Excluir
  8. Existem pessoas que se tivessem poder na Igreja seriam iniciadores da nova Inquisição...
    o pior religioso é aquele que é fanático! A palavra heresia deveria ser riscada dos dicionários, porque ela é carregada dos mais pérfidos significados. E é através dessa crença estúpida de que existem hereges que os católicos condenaram e já foram responsáveis pelas torturas mais abominantes da história.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Renata, pessoas fanáticas existem em todas as religiões e até no meio de ateus e seculares.
      A palavra heresia não pode ser retirada dos dicionários porque simplesmente ela existe, e algo ruim e que provoca divisões do seio da Igreja e é falada na Bíblia em muitas passagens, como:

      No passado surgiram falsos profetas no meio do povo, como também surgirão entre vocês falsos mestres. Estes introduzirão secretamente heresias destruidoras, chegando a negar o Soberano que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição.
      2 Pedro 2:1

      Quanto àquele que provoca divisões, advirta-o uma primeira e uma segunda vez. Depois disso, rejeite-o.
      Tito 3:10

      Sua afirmação de que os católicos foram responsáveis pelas torturas mais abominantes da história só mostra que você pouco sabe e estuda sobre a História da Humanidade:

      primeiro porque a Inquisição em muitos países foi mais um poder nas mãos do rei do que da própria Igreja, tanto é que muitos papas escreveram criticando e excomungando inquisidores que exageraram no zelo da fé;

      segundo que outras religiões e movimentos ateus e seculares praticaram mais mortes e torturas do que a Inquisição, só a Revolução francesa matou em um dia o que Inquisição não condenou em séculos, a Inquisição protestante matou mais bruxas do que a católica e sem falar na ditadura, nas guerras incentivadas direta ou indiretamente pelos Estados Unidos ou nos muçulmanos que ainda perseguem os de outra religião em seus países.

      Lembre-se de estudar o contexto e as provas reais sobre a Inquisição, as ideias e o governo da Idade Média em nada se assemelha às nossas ideias e governo atuais.

      A Bíblia também relata que Moisés, Josué, Elias, etc mataram em nome da fé, então, por isso vou jogá-la fora ou vou buscar entender o contexto desses fatos?



      Excluir
  9. JOÃO BATISTA A REENCARNAÇÃO FÍSICA DE ELIAS

    As cinco provas bíblicas que confirmam a reencarnação do profeta Elias

    1) Na profecia escrita pelo profeta Malaquias 4. 5 – eis que eu vos envio o profeta Elias, antes que venha o grandioso dia do Senhor (Antigo Testamento bíblico há 400 anos antes do Cristo);

    2) Na palavra do anjo Gabriel ao Sacerdote Zacarias, em aparição espiritual no Templo de Jerusalém, quando anunciou a gravidez da mulher de Zacarias: " a tua oração foi ouvida, tua mulher dará a luz um filho e lhe porás o nome de JOÃO; porque será grande diante do Senhor, cheio de Espírito santificado desde o VENTRE materno, e converterá muitos filhos de Israel ao Senhor seu Deus, e irá adiante dele no ESPÍRITO E VIRTUDE DE ELIAS" (evangelho de Lucas 1. 5 - 19)

    3) NA PALAVRA DE JESUS quando deu um bom testemunho da missão de João Batista, chegando a engrandecer o nível intelectual de João, na época: “dos nascidos de mulher não apareceu ninguém maior que João”; depois Jesus revela confirmando a profecia de Malaquias 4. 5-6, do Antigo Testamento bíblico prevista há 400 anos passados: “Porque é este de quem está escrito. Eis que diante da tua face envio o meu mensageiro, que preparará diante de ti o teu caminho” – Evangelho de Mateus 11. 10

    4) Na palavra de Jesus ao reafirmar a profecia: “E, se quereis dar crédito, é este o ELIAS que havia de vir” (Mateus 11. 14), vide profecia de Malaquias 4. 5 “Eis que vos envio o profeta Elias”


    5) Na palavra de Jesus no Monte Tabor, após a transfiguração: “Mas digo-vos que Elias já retornou e não o reconheceram... ENTÂO OS DISCÍPULOS ENTENDERAM QUE JESUS LHES FALARA DE JOÃO BATISTA (Mateus 17. 13)

    Estas são expressões da verdade bíblica que testificam a volta do profeta Elias ao plano físico terrestre em nova reencarnação nos fluidos da vida humana, fato este que se confirmou na pessoa humana de João Batista.

    Aliás, essa história do profeta Elias foi toda truncada pelas mãos dos doutores bíblicos nas reformas religiosas que a Bíblia sofreu durante os séculos exatamente para dificultar o sentido da imortalidade, da preexistência, e da reencarnação que este grandioso ser foi submetido pela Providencia Divina a fim de servir de exemplo para humanidade.

    http://vozqclamabr.blogspot.com.br/2013/12/joao-batista-reencarnacao-fisica-de.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. As provas bíblicas que confirmam que Elias não reencarnou:

      1- Elias não morreu. Para reencarnar é preciso morrer. Elias foi arrebatado ao céu de corpo e alma (II Crônicas 2:11). , assim como que cremos que aconteceu com Maria Santíssima em sua assunção.

      2- O versículoe "irá adiante dele no ESPÍRITO E VIRTUDE DE ELIAS" (evangelho de Lucas 1. 5 - 19) não prova que João é a reencarnação de Elias, simplesmente porque essa expressão é usada também para Eliseu: "O espírito de Elias repousa sobre Eliseu" (2 Reis 9:15). Mas Eliseu não posia ser a reencarnação de Elias, porque conviveu com Elias até ele ser arrebatado ao céu.
      A expressão "ESPÍRITO E VIRTUDE DE ELIAS" significa apenas que João tinha a mesma missão de Elias.

      3- João não era a reencarnação de Elias, porque os judeus fizeram essa pergunta formalmente a ele e ele disse que não era Elias:

      "És tu Elias?", ele respondeu

      imediatamente: "NÃO SOU" (João 1:21).

      4- Jesus disse que João era o Elias que devia vir, porque João teve a mesma missão e carisma espiritual de Elias:
      Comparando a vida de João com a de Elias vemos as semelhanças:

      ELIAS:
      Profetizou em tempos de apostasia
      Profetizou para aproximar o povo de Deus
      Vestia –se com roupa de pele de ovelhas
      Acabe (o rei) tinha medo de Elias
      Jezabel pediu a vida de Elias
      Pregava sobre o arrependimento e castigo


      SÃO JOÃO BATISTA:
      Profetizou em tempos de apostasia
      Profetizou para aproximar o povo de Deus
      Vestia-se com roupa de pele de ovelhas
      Herodes tinha medo de João
      Herodias pediu a vida de João
      Pregava sobre o arrependimento e castigo

      5- João não podia ser a reencarnação de Elias, porque quando os Apóstolos viram Jesus conversando com Moisés e Elias (São Lucas 9,30), eles reconheceram não a alma de João Batista, mas a do profeta Elias. Pela doutrina espírita, os espíritos aparecem na forma do seu último corpo do qual "desencarnou".

      A Bíblia foi uma lista de livros sagrados feita pelos Bispos católicos e nenhum católico alterou uma letra dela, porque os primeiros cristãos acreditavam piamente na sagrada escritura e temiam a Deus profundamente.

      A ideia da reencarnação é uma teoria pagã e nada tem a ver com o Cristianismo.
      Ser cristão é crer em Cristo como Salvador, não preciso reencarnar, pois Cristo, só Cristo pode me fazer santo e me salvar, não preciso reencarnar e sofrer nessa vida de novo.

      Cristo já sofreu por mim. Por mais que faça o bem, eu não mereço o céu. Cristo quem me dá o céu porque Ele me ama e não porque eu mereço, mas também devo fazer por onde receber esse céu dele.

      Excluir
  10. HEBREUS 9: 27 : E o HEBREUS 9: 28 ? Nao se comenta por que ? " Assim também Cristo, oferecendo se uma vez, para tirar os pecados de muitos, aparecerá segunda vez, sem pecado aos que o esperam para a salvaçao. " VEJAMOS ENTAO. Por que Jesus oferece duas oportunidades para a salvaçao? Uma vez que muitos leem e entendem que morremos uma vez , apos disso o juizo, quer dizer que seremos julgados e iremos para o ceu ou inferno ? Na verdade , quando Jesus nos oferece oportunidades apos o julgamento, imagina se que temos que fazer o acerto de contas com DEUS.
    Pois quando Jesus disse a Nicodemos que para ele mudar deveria voltar ao ventre de sua mae, entende se que era para nascer de novo. e ainda disse que o " HOMEM É COMO O VENTO , NINGUEM SABE DE ONDE VEIO E NINGUEM SABE PARA ONDE VAI " Nao se pode ter dúvidas quanto a esses argumentos, é somente ler e pensar o quanto é real a interpretaçao de HEBEUS 9: 28 , ligando o fato de Jesus e Nicodemos o principe de Israel. Muito grato e muita paz a todos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, a Bíblia é um livro feito por católicos para católicos não tente interpretá-la sem auxílio confiável da Igreja.

      O texto que você cita de HEBREUS 9: 28 diz apenas que Cristo morreu só uma vez para tirar os pecados dos homens e voltará segunda vez ( no fim do mundo), como ele afirma em Mateus 25,31-46.

      Sua oportunidade de ser salvo é apenas nesta vida pois a Bíblia (Hebreus 9,27) diz que:

      "27 Da mesma forma, como o homem está destinado a morrer uma só vez e depois disso enfrentar o juízo, "

      Após sua morte você será julgado (Hebreus 9,27). Se estiver puro irá para o céu (Lucas 23,42), se tiver pecados leves a purificar passará pelo que chamamos de Purgatório (1 Coríntios 3,15) , mas se não tiver no amor de Deus irá ao Inferno (Lucas 16,22-25).
      No último dia todas as almas serão unidas aos seus corpos pela ressurreição (João 5,25; 1 Tessalonicenses 4,16) e participarão do julgamento universal (Mateus 25,31-46), todos saberemos tudo sobre a história da humanidade e os pecados de todos. A partir daí só existirá céu ou inferno (Apocalipse 21,1-8).


      Excluir
    2. O texto de Nicodemos ( João 3) nem pode ser entendido ao pé da letra como voltar ao ventre da mãe e nascer de novo, nem pode ser entendido como reencarnação, pois não existia essa fé entre os hebreus e nem era a ideia entendida pelos Apóstolos e escritores bíblicos.

      Nascer de novo significa mudar agora de atitude, ser uma nova pessoa e não esperar para nascer numa nova vida. O Batismo é esse sinal deixado por Jesus para quem quer nascer para Deus e ser seu filho:

      Respondeu Jesus: "Digo a verdade: Ninguém pode entrar no Reino de Deus se não nascer da água e do Espírito. O que nasce da carne é carne, mas o que nasce do Espírito é espírito.
      João 3:5-6

      Isso é nascer de novo. Sempre que você rejeita o vício e pratica a virtude você nasce de novo:


      e isso é representado pelo batismo que agora também salva vocês - não a remoção da sujeira do corpo, mas o compromisso de uma boa consciência diante de Deus - por meio da ressurreição de Jesus Cristo,
      1 Pedro 3:21

      Excluir
  11. O amigo que critica o sr. Vivaldo talvez queira ser o dono da verdade. Amigo nesse mundo de "Provas e Expiações" ninguém é dono da verdade. A reencarnação não pode sofrer agressões por você . É digno de nota que esta doutrina foi elaborada por Orígenes como uma solução para o problema filosófico do mal, mas como não havia base bíblica para tal, foi sabiamente condenada neste Concílio. faz. A Doutrina Espírita é uma coisa e o Espiritismo é outra. A Doutrina é bela quer queiram quer não. O Espiritismo é o movimento que é feito por homens imperfeitos, assim como acontece com o catolicismo. A Doutrina espírita foi criada na França berço da civilização em 1857. Vocês sempre discriminaram -na. Você se lembra do auto de fé de Barcelona. Vocês cresceram sobre os auspícios da violência, do dinheiro e vendiam indulgências. Leia os "Trinta Papas que envergonharam a humanidade". A igreja Católica cresceu sobre o rito do paganismo, desde as vestimentas, até a adoração do rei sol, por isso, mudaram o dia do descanso para domingo. O Natal que se diz que é a festa magna da cristandade é uma festa pagã. A missa vocês trouxeram do Egito. A Doutrina espírita foi fundada por homens, assim como sua religião também, pois Jesus não criou nenhuma religião. Os Concílios de que você muito fala é coisa humana e não divina. Dizer que Elias não morreu é heresia, pois ele não era superior a Jesus, que apesar de ser um Espírito Puro foi morto e crucificado três anos pós o início da sua poetização. Quantas prostitutas Teodora mandou matar? Quantos seguidores de Moisés foram mortos a mando dele depois da adoração do bezerro de ouro. São Domingos de Gusmão mandou matar 60.000 judeus, mouros e protestantes porque se opuseram a rezar o terço e por esse "ato heroico foi canonizado e tornado santo em 1215. Dizem que a Bíblia é a palavra de Deus, mas não é, pois Jesus desmistificou o que pensavam os profetas antigos quando ele disse: "Ninguém vai ao Pai senão por mim". Vocês foram eternos criminosos , desde a Inquisição, Cruzadas e hoje muitos próceres da sua igreja são acusados de pedofilia. As religiões orientais são reencarnacionistas e não temos direito de criticar crença nenhuma. Vocês não sabem nem a data certa em que Jesus veio ao mundo. Dizer que Jesus nasceu por Obra é graça do Espírito Santo. Com que autoridade a igreja retirou dos 116 evangelhos existentes apenas quatro, pois os outros contam muitas verdades e a igreja sempre escondei isso dos fiéis. Durma-se com tanto barulho. Paulo já afirmava em suas cartas que todo ser humano é dotado de um corpo espiritual e aí ? Dizer que só morremos uma vez é outra balela, pois o que se acaba é apenas a carne e o espírito permanece. Será que na subida de Jesus aos céus ele foi fazer o que lá. N´s temos o mundo material e o mundo espiritual e se assim não fosse Deus não existiria. Pense mais e julgue menos, pois uma dia você voltará para pagar os seus pecados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você se contradiz o tempo todo.
      1- Você diz que ninguém é dono da verdade, mas em seu discurso se coloca como o DONO DA VERDADE, ao afirmar que a reencarnação não pode ser criticada.
      2 - Orígenes elaborou a teoria da pré-existência da alma e não da reencarnação. E como você mesmo disse, se contradizendo para tal, "não havia base bíblica", " foi sabiamente condenada neste Concílio".
      3- Você diz que a Doutrina espírita é bela e que Espiritismo é dos homens, mas então fale que sua Doutrina foi inventada por um HOMEM, chamado Allan Kardeck, e esse HOMEM ERROU ao falar que marte, a lua, etc, eram planetas habitados por espíritos evoluídos e se ele errou nisso, quanto mais no resto!
      4 - Você fala que a Igreja cresceu sobre o Paganismo. E novamente se contradiz, pois o que é o Espiritismo? Nada mais do que uma crença pagã. Tudo no Espiritismo vem do Paganismo. Tanto que o Espiritismo já era condenado pela Bíblia no tempo de Moisés (Levítico 20,27; Deuteronômio 18,10ss). O Espiritismo é só uma costura da pregação de Jesus com crenças pagãs, ou seja, nada de novo.
      5- Jesus diz claramente que fundou a Igreja. Leia a BÍBLIA ( Mateus 16,18; 18,17).
      6 - A Missa foi instituída por Jesus Lucas 22,19
      7 - Sâo Domingos não mandou matar ninguém. Vá estudar a história direito, ao invés de repetir mentiras.
      8 - A Bíblia é a Palavra de Deus, pois Jesus acreditava nisso, e os Apóstolos também, pois eram judeus.
      9 - Quantos de vocês mentem, enganam, iludem o povo e ganham dinheiro como charlatãs, fazendo curas falsas, e previsões mentirosas. E ainda querem julgar e condenar os outros.
      10 - A Igreja recebeu do Senhor autoridade (Mt 18,17) e Ela é a COLUNA DA VERDADE (I Tim 3,15).
      11 - A BÍBLIA diz que SÓ MORREMOS UMA VEZ (Heb 9,27). E vc se contradiz ao usar partes da Bíblia que lhe convém para tentar justificar sua doutrina e não dar créditos a outras partes que a condenam.

      Excluir
  12. Há evidências de reencarnação na Bíblia?

    Do Gênesis ao Apocalipse há evidências de múltiplas existências na Bíblia. David, nos Salmos, no Livro de Jó e muitos outros se referem a vidas múltiplas na Bíblia. Por exemplo, eu cito o Gênesis 2:7, onde as traduções não relatam, mas lá está escrito que Deus soprou nas narinas do Homem um sopro de “vidas”, e não de vida como em todas as traduções em português.

    Desde que S. Jerônimo traduziu a Bíblia, ele já informava sobre as alterações no texto. Sendo assim, não se torna incompatível a aceitação literal das atuais versões da Bíblia?

    Das Bíblias traduzidas do latim, sim. Porém, as traduções feitas do original hebraico não sofrem esta influência, pois, o que ocorreu com S. Jerônimo é que ele já se preocupava com os textos gregos, produzindo assim, a Vulgata, que de suas traduções poderiam acontecer a incompatível aceitação literal das atuais versões, que é o caso da tradução do Pe. Antonio Pereira de Figueiredo, que traduziu direto do latim.

    O senhor poderia dizer francamente se a Torá é um documento possível de ser traduzido sem riscos de ferir profundamente o seu significado?

    É praticamente impossível, uma vez que as letras hebraicas são símbolos e não vocábulos. Só os grandes mestres rabínicos teriam esta condição, e mesmo assim, como nem sempre eles conhecem o português, seria uma tarefa quase impossível.

    Qual a tradução bíblica que mais se aproxima do texto original?

    A Bíblia de Jerusalém, que pode ser encontrada em qualquer livraria católica.

    Por que a Igreja está sempre em confronto com a doutrina espírita?

    É uma questão dogmática. A Igreja não aceita a reencarnação e por isso toma como parâmetro para se opor a doutrina espírita, esquecendo que a Igreja já foi reencarnacionista até o ano de 533 quando o II Concílio de Constantinopla retirou dos cânones da Igreja a reencarnação. Este Concílio ainda condenou Orígenes, um dos pais da Igreja e discípulo de S. Clemente, que afirmava que a doutrina do carma e do renascimento era uma questão dogmática. Para nós, isto não importa. Está na Bíblia e não é pela descrença que alguém deixa de reencarnar.

    Qual o verdadeiro significado da palavra Elohim? Ela é apresentada como um dos nomes de Deus, mas parece ser uma palavra plural...

    ResponderExcluir
    Respostas

    1. Você distorce tudo e estuda tudo pela metade.
      1- A palavra chaim (“vida”, chaiâi com sufixo possessivo) é traduzida como plural “vidas”. De fato, chaim é uma palavra palavra plural, mas não de “vida”. Ao pé da letra, ela significa “vivos” (plural de chayy) e é em geral traduzido por “vida”, “duração da vida”, “anos de vida”.

      Veja que São Paulo comentando esse texto, mostra que Adão não podia reencarnar, pois era um ser mortal e não espiritual, celeste como Cristo. São Paulo mostra que reencarnação não existe, ao descrever Adão como alma vivente, ou seja, que virá a morrer, enquanto o Cristo é Espírito Vivificante, Deus:

      "Assim está também escrito: O primeiro homem, Adão, foi feito em alma vivente; o último Adão em espírito vivificante.
      Mas não é primeiro o espiritual, senão o natural; depois o espiritual.
      O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu."
      1 Coríntios 15,44-47

      2- São Jerônimo estudou com rabinos, foi para Jerusalém, traduziu a Bíblia do grego e do hebráico para o latim sua tradução, até hoje, é a mais excelente. Ele traduziu, mas também deixou suas observações escritas do que havia em hebráico e o que foi adaptado.
      Toda tradução é uma adaptação.
      3 - A reencarnação nunca foi uma crença da Igreja primitiva. Isso é pura bobagem comprovada historicamente.
      4 - A reencarnação nunca foi nomeada em Concílio nenhum da Igreja Católica Universal nascente.
      5- Origenes não defendeu reencarnação, defendeu a pré-existência das almas.
      6 - Elohim só mostra que Deus se revela em Três pessoas divinas.

      Excluir
  13. Para os que afirmam que a Igreja católica Apostólica Romana tem santos, apontem os santos. Pelo que sabemos o único Santo existente é o Pai Maior(DEUS), Onipresente, Onisciente e Onipresente. Jesus o Único espírito Puro a pisar o Orbe terrestre não tem deidade, ele é tão somente o filho de Deus. E há quem afirme que eles fizeram um pacto. Tudo sobre a vida de jesus é por demais contraditório. Pedro teria repassado a Lucas muitos ensinamentos, visto que Pedro era analfabeto e não sabia escrever.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Contraditório é você e suas teorias doutrinais.
      1- Quem afirma que a Igreja Católica tem Santos é a Bíblia (Levítico 20,26; Atos 9,32; 26,10; I Coríntios 1,2). A mesma Bíblia que você nega ser Palavra de Deus, mas usa para tentar justificar sua doutrina, isso não é contraditório?
      Nós somos Santos pelo sangue de Jesus e pelo batismo, não precisamos morrer e nascer várias vezes para nos aperfeiçoarmos numa busca sem fim, pois nenhum homem pode ser perfeito, só Deus é perfeito. Só Deus, o Perfeito, pode nos fazer perfeito, nos santificar, nos salvar, e não sua teoria de reencarnação. Reencarnação é negar a salvação de Jesus, é negar o dom de Deus, é negar que só Deus nos faz perfeitos.
      2- Sabe por que vocês usam os Evangelhos e rezam nosso Pai- nosso em seus rituais espíritas? Porque vocês querem atrair os cristãos para vocês tentando passar a ideia de que Espiritismo e Cristianismo é a mesma coisa quando, na verdade, o Espiritismo nega Jesus como Salvador e Deus como você mesmo mostra em seus textos. Ou seja, o Espiritismo é Anti-Cristo.

      Excluir
  14. Meu nome é Eduardo e sou Testemunha de Jeová. Mas só assisto as reuniões porque tenho pavor de ser desassociado caso saibam que não acredito em nada do que elas pregam ali dentro. Sobre reencarnação, gostaria de dar minha opinião. Defender a igreja católica, como aparentemente fez o autor do artigo é um direito nato dele.

    Mas não vamos nos esquecer que estamos falando de uma religião que por mais de mil anos foi totalitária, perseguidora, mandona, e cometeu erros que nunca reconheceu. Alguns poucos erros só foram aceitos há poucos anos, como por exemplo o incidente com Galileu Galilei que quase lhe custou a vida.

    Portanto, essa religião a meu ver, nunca teve e tampouco tem qualquer autoridade para selecionar o que é verdadeiro ou não nas escrituras. O problema das religiões hoje - incluindo as evangélicas e essa porcaria de Testemunhas de Jeová - é que usam a bíblia conforme basicamente foi configurado como canônico pela igreja católica. - Fala sério!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eduardo, você é totalmente contraditório e deveria querer ser desassociado das testemunhas de Jeová simplesmente porque não é saudável participar de algo no qual você não crê. Você mente para você, para os outros, para Deus.
      Se crê no Espiritismo, seja espírita! Percebe-se em seu texto que você odeia a religião que frequenta e isso é lastimável, pois você não se realizará nunca assim!
      Sobre a Igreja Católica, façamos algumas correções:
      A Igreja Católica foi a única instituição, a única Igreja, a pedir perdão pelos pecados de seus filhos em 2000 anos de sua história e quem fez isso foi o Santo Papa João Paulo II. Pesquise e você achará textos bons sobre isso.
      Quem cometeu erros foram os membros da Igreja, assim como Pedro e os Apóstolos erraram e Jesus os perdoou e não os abandonou, mas enviou sobre eles o Espírito Santo.
      Jesus disse que estaria sempre com sua Igreja e que as portas do inferno nunca a venceriam, lembra? Você acha que Jesus ia dizer isso e depois querer que surgissem várias denominações brigando para tentarem ser a verdadeira? Será que a verdadeira fé não é apenas aquela que veio desde os Apóstolos?
      A Bíblia, como você mesmo sabe e diz, foi feita pela Igreja Católica, logo negar a autoridade da Igreja é negar a Bíblia, pois a Igreja vem antes mesmo de a Bíblia ser escrita. A fé cristã antes de tudo era oral e só depois passou a ser escrita, por isso nossa Igreja tem uma fé diferente da de vocês, pois vocês não têm a tradição dos primeiros cristãos.
      Sobre Galileu Galilei ter sido condenado a fogueira,etc. Releia seus estudos pois tudo isso não passa de exagero e mentira de protestantes fanáticos e ateus. Galileu não correu risco de morte coisa nenhuma.
      LEIA SOBRE ESSAS MENTIRAS EM:
      http://ocatequista.com.br/archives/13412
      http://catolicismosemsegredo.spaceblog.com.br/1304579/GALILEU-GALILEI-VERDADES-E-MENTIRAS/

      Excluir
    2. Olá, Orion. Obrigado por suas considerações. Sei que de fato, sou contraditório e seus conselhos foram corretos.

      Sobre a sua defesa em relação aos membros da igreja terem errado e Jesus os ter perdoado, etc, essa é a mesma desculpa que as Testemunhas de Jeová dão.

      Sim, sei que o papa pediu perdão... Séculos mais tarde. O mal que fizeram para aquelas pessoas lá atrás não tem mais como ser restaurado. Essa é minha bronca com as religiões. Se dizem que representam a Deus, não podem errar. Ponto!

      Excluir
    3. Eduardo, não sei nem nunca li algo dizendo que os Testemunhas de Jeová peçam perdão pelos erros cometidos no passado. Muito do que você cresceu ouvindo sobre a Igreja Católica não é nem metade da verdade, são meias verdades ou distorções muitas vezes que nem levam em conta o contexto histórico e científico da época. Não podemos julgar e condenar as pessoas do passado com base nos conhecimentos que temos hoje de tolerância, respeito às religiões, etc. Até porque essas ideias que temos hoje fazem parte desse processo de amadurecimento e caminhada de uma Igreja e sociedade que aprendeu com seus tropeços.
      Até onde sei a única Igreja que foi capaz de pedir perdão e reconhecer os erroscometidos por seus fiéis foi a Igreja Católica. Nunca ouvi falar de outra.
      A única Igreja que tenho conhecimento e demonstra o tempo todo buscar aproximação com as outras igrejas e religiões é a Igreja Católica.
      Claro que muitas igrejas tradicionais protestantes e a Igreja Ortodoxa, principlamente, têm se aproximado cada vez mais. E isso é fundamental para ue sejamos uma só Igreja e não divisões e inimigos. É importante ao menos dialogarmos e rezarmos juntos mesmo que discrodemos em alguns pontos de fé.
      Isso a Igreja Católica tem desejado e buscado.
      Claro que o mal que foi feito no passado não pode ser modificado, mas nós, no presente, podemos sim.
      Talvez sua concepção de Igreja perfeita e de religião verdadeira deva ser reanalisada.
      Creio que minha religião é a verdadeira. A fé Católica é a única verdadeira. Para mim, que sou católico. E essa fé continua a mesma: os 7 sacramentos, a invocação dos Santos, Maria, a Missa, etc. A fé nunca foi modificada, nunca errou.
      Os Papas em matéria de fé nunca erraram ao pronunciar um dogma.
      Mas muitos Papas erraram em matéria científica, social, geográfica, política,etc.
      Essa é a diferença que fazemos. Nossa fé não tem erro, pois Deus guia a Igreja em matéria de fé, como Jesus disse, no Evangelho de João, que o Espírito ensinaria tudo. Mas esse ensinamento do Espírito é em matéria doutrinal e não tem cunho político. As atitudes de Papas, padres, Bispos ou leigos pecadores em nada mancha a veracidade da fé católica. E essa fé é confirmada pelos milagres de Deus na vida de seus Santos e dos fiéis que perseveram nessa fé, como vemos com São Francisco, Santa Clara, etc, que enfrentaram a Igreja sem sair dela ou dos milagres em Lourdes, Fátima, Mediugórie,etc.
      Temos muitas histórias santas de grandes Santos que mostram que apesar de tantos pecadores Deus ainda continua vivo no meio de nós, santificando seus servos. Nossa Igreja é a representante de Cristo na terra, mas ela mesma diz que a Igreja Católica são todos que creem no Cristo, mesmo os que se afastaram dela, pois só há uma fé. E todos que buscam Cristo com pureza de fé pertencem a essa única Igreja. Todos pecamos, mas a verdadeira doutrina continua inalterada desde o início dos séculos e essa doutrina está na Igreja Católica, única fundada pelo Senhor.

      Excluir
  15. O Papa (cada um deles), representante de Deus na terra, sucessor de Pedro, é infalível. Sendo sob sua direção é que a Igreja Católica está, também a Igreja é infalível. Afinal Deus não falha e seu representante não falhou e não falhará. Se falhar, a Igreja ou o Papa, em dúvida estará colocando a própria Divindade. Quem nunca falhou não tem porque pedir perdão... (Sic...)

    ResponderExcluir
  16. O Papa Francisco diz que ele enenhum outro papa é ou foi infalível e se diz pecador como qualquer pessoa. E agora?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vocês, protestantes, e a eterna ignorância da doutrina católica e bíblica!

      Primeiro, cite qual texto você leu essa notícia.
      Segundo, todos os Papas foram pecadores, né?
      Terceiro, inafbilidade Papal significa que o Papa, EM MATÉRIA DE FÉ, QUANDO PROMULGA UM DOGMA, NÃO PODE ERRAR.

      Ou seja, se não é um dogma de fé ( parte da doutrina que não se pode negar) ele pode errar como qualquer ser humano.

      Jesus deixou Pedro, o primeiro Papa, à frente de seus Apóstolos. Pedro tinha erros, mas em matéria de fé, era Pedro quem respondia em nome de toda a Igreja.
      Veja que nos Evangelhos e nos Atos dos Apóstolos, Pedro é sempre o líder, é o que fala, o que age, mas era um homem cheio de falhas também.

      Nada de mais. Perfeito só Deus e sua Mãe, porque ele a tornou Santa em vista de sua Encarnação.
      Nós outros somos todos pecadores e falhos.

      Ah, nosso Papa tem sido um exemplo de humildade, né? Graças a Deus!

      Rezemos por ele para que continue sendo exemplo de fé, de verdadeiro Pastor para sua Igreja, pois só uma Igreja foi fundada por Cristo sobre Pedro:a Igreja Católica.

      Só essa Igreja fez a Bíblia e nos ensinou que ela é a Palavra de Deus.
      Só essa Igreja existe desde o início dos séculos.
      Só essa Igreja quem definiu que Jesus era Deus.
      Só essa Igreja quem definiu que Deus está em três pessoas divinas, o Pai, o Filho e o Espírito Santo.
      Só essa Igreja foi fundada por Nosso Senhor e Deus Jesus Cristo e nunca será destruída pelo inferno.
      Estude e creia.

      Excluir
  17. A IGREJA CATÓLICA NÃO DEVE NADA E NEM PEDIDOS DE DESCULPAS A NENHUM DE NÓS, POIS NÓS MESMOS SOMOS DESCENDÊNCIA DOS QUE GOVERNARAM NO PASSADO.
    OS PERSEGUIDOS MORRERAM JUNTO COM OS SEUS, E NÓS SOMOS FILHOS DAS VÍBORAS QUE SOBRARAM.
    PARABÉNS AO AUTOR DESSA PUBLICAÇÃO, POIS ARGUMENTOU COM POR MENORES A RESPEITO DO ASSUNTO, E TENDO EU CONHECIMENTO SOBRE TODAS AS ALEGAÇÕES QUE FORAM FEITAS, AS ENDOSSO.
    NÃO SOU CATÓLICO, PORÉM SOU CRISTÃO, E ACREDITO NAS ESCRITURAS EM CONFORMIDADE COM TODOS OS ACHADOS ARQUEOLÓGICOS QUE SUSTENTAM A GENUÍNA FÉ CRISTÃ.
    TODOS QUE DEFENDEM A REENCARNAÇÃO SEMPRE PARECERAM PARA MIM PESSOAS DE MUITO POUCO ESTUDO E CONHECIMENTO.

    ResponderExcluir