sexta-feira, 28 de setembro de 2012

SÃO MIGUEL NA BÍBLIA, NA TRADIÇÃO E CULTO NA IGREJA CATÓLICA



ÍNDICE:

1. São Miguel é um arcanjo
2. São Miguel é o Prínicpe das Milícias Celestes
3. São Miguel é o protetor da Igreja
4. São Miguel é invocado na hora da morte, leva as almas ao céu.
5. Os anjos intercedem por nós e nos protegem
6. Podemos e devemos rezar aos anjos
7.Os anjos devem ser venerados
8. Culto dos anjos na Bíblia
9. O culto das Imagens dos Anjos








1. São Miguel é um Arcanjo, um dos sete que assistem diante de Deus:

"Mas quando o arcanjo Miguel, discutindo com o Diabo, disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar contra ele juízo de maldição, mas disse: O Senhor te repreenda "
(Judas 1,9)

A Bíblia nos fala que há sete Arcanjos que assistem diante de Deus:

"Vi no céu ainda outro sinal, grande e admirável: sete anjos, que tinham as sete últimas pragas; porque nelas é consumada a ira de Deus. " (Apo 15,1)

"Eu sou Rafael, um dos sete anjos que estão sempre prontos para entrar na presença do Senhor glorioso." (Tob 12,15)


2. São Miguel é invocado como o "Príncipe da Milícia (exército) Celeste":

"Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu por vinte e um dias; e eis que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar- me, e eu o deixei ali com os reis da Pérsia."
(Daniel 10,13)


 São Miguel, sendo Príncipe dos exércitos celestes lutou contra Lúcifer e o expulsou do céu, banindo -o para a terra:






"Então houve guerra no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão. E o dragão e os seus anjos batalhavam, mas não prevaleceram, nem mais o seu lugar se achou no céu. E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, que se chama o Diabo e Satanás, que engana todo o mundo; foi precipitado na terra, e os seus anjos foram precipitados com ele. "
(Apo 12,7-9)


3. São Miguel era considerado o protetor do povo judeu, e agora é invocado como o  protetor da Igreja, a família de Cristo:
 
"Contudo eu te declararei o que está gravado na escritura da verdade; e ninguém há que se esforce comigo contra aqueles, senão Miguel, vosso príncipe."
(Daniel 10,21)
 
"Naquele tempo se levantará Miguel, o grande príncipe, que se levanta a favor dos filhos do teu povo; e haverá um tempo de tribulação, qual nunca houve, desde que existiu nação até aquele tempo; mas naquele tempo livrar-se-á o teu povo, todo aquele que for achado escrito no livro. "
(Daniel 12,1)



Um trecho da Bíblia, em que se supõe ser uma menção a São Miguel, o Príncipe dos Exércitos Celestes, encontramos no livro de Josué:

 " Ora, estando Josué perto de Jericó, levantou os olhos, e olhou; e eis que estava em pé diante dele um homem que tinha na mão uma espada nua.

   Chegou-se Josué a ele, e perguntou-lhe: És tu por nós, ou pelos nossos adversários? 
 
14 Respondeu ele: Não; mas venho agora como príncipe do exército do Senhor. Então Josué, prostrando-se com o rosto em terra, perguntou-lhe: Que diz meu Senhor ao seu servo? 
15 Então respondeu o príncipe do exército do Senhor a Josué: Tira os sapatos dos pés, porque o lugar em que estás é santo. E Josué assim fez:"
(Jos 5, 13-15)

4. São Miguel Arcanjo também é invocado na hora da morte, para que conduza a alma dos cristãos ao céu, pois lemos na Bíblia, que ele disputou com o demônio o corpo morto de Moisés. 

Assim, ele passou a ser considerado o anjo da morte, que conduz as almas ao paraíso:

"Veio a morrer o mendigo, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico, e foi sepultado. "
(Luc 16,22)

"Mas quando o arcanjo Miguel, discutindo com o Diabo, disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar contra ele juízo de maldição, mas disse: O Senhor te repreenda "
(Jud1,9)



 





A tradição devocional atribui ao Arcanjo S. Miguel a tarefa de pesar as almas para separar os puros dos amaldiçoados e condenados, baseando-se nas escrituras (Judas 1,9),(Luc 16,22), ( Dn 5,27).


Desta crença resulta outra representação comum de S. Miguel com uma balança de dois pratos na mão destinada a pesar as almas.

Há algumas passagens bíblicas sobre pesar as almas: 





"TEQUEL: Pesado foste na balança, e foste achado em falta. " ( Dn 5,27)

" Certamente que os filhos de Adão são vaidade, e os filhos dos homens são desilusão; postos na balança, subiriam; todos juntos são mais leves do que um sopro."
(Sl 62,9)




Na hora da morte, comparecemos diante do Tribunal divino e temos nosso julgamento individual:

 “como está determinado que os homens morram uma só vez, e logo em seguida vem o juízo”. (Hb 9,27)

 
"Mas tu, por que julgas teu irmão? Ou tu, também, por que desprezas teu irmão? Pois todos havemos de comparecer ante o tribunal de Cristo." (Rm 14,10)


 Se somos bons vamos para o céu se não temos mais nada a purificar (LC 23, 42-43), (Fl 1, 21-24), (II Cor 5,1-2), se tiver alguma culpa a se purificar antes de entrar no céu, aguardamos nossa entrada num estágio de Purificação, o Purgatório ( Sl 14 ; Hb 12, 22-23 ; Mt 5,8 ), ( I Cor 3, 10-15), ( I Pe 3, 18-19 ; 4, 6 ), se maus somos condenados ao inferno.

Os anjos participam desse julgamento divino, no último dia (Mt 13,49) e assim que morremos (Luc 16,22), conduzindo as almas para o céu ou o inferno:

"Veio a morrer o mendigo, e foi levado pelos anjos para o seio de Abraão; morreu também o rico, e foi sepultado. "
(Luc 16,22)


"Assim será no fim do mundo: sairão os anjos, e separarão os maus dentre os justos"
(Mt 13,49)

 
"Porque o mesmo Senhor descerá do céu com alarido, e com voz de arcanjo, e com a trombeta de Deus; e os que morreram em Cristo ressuscitarão primeiro."  (I Tes 4,16)









Na pintura, São Miguel conduz alma do Purgatório para o céu.






 

  5.Podemos e devemos invocar os anjos e São Miguel, pois eles " são espíritos ministradores, enviados para servir a favor dos que hão de herdar a salvação" (Heb 1,14).


Os anjos intercedem por nós, como vemos no texto em que um anjo interde por Jerusalém:

" E o anjo de Javé perguntou: «Javé dos exércitos, até quando ficarás sem ter compaixão de Jerusalém e das outras cidades de Judá, contra as quais estás irado há já setenta anos?" (Zac 1, 12)




 


 Santa Joana Darc ouvia a voz de São Miguel mandando-lhe salvar a França




Os anjos assistem e
apresentam nossas orações (Apo 8,3-4) (Tob 12,12) diante de Deus (Mt 18,10), intercedem por nós, nos protegem com suas orações e quando são enviados por Deus para nos ajudar (Ex 23,20) (Jo 5,4), por isso é importante pedir ao Senhor que nos envie seus protetores (Jz 13,8-9):


Vede, não desprezeis a nenhum destes pequeninos; pois eu vos digo que os seus anjos nos céus sempre vêm a face de meu Pai, que está nos céus.
(Mt 18,10)

" Quando tu e Sara rezáveis, era eu que apresentava as vossas súplicas diante do Senhor glorioso. A mesma coisa eu fazia quando sepultavas os mortos. " (Tob 12,12)

"Veio outro anjo, e pôs-se junto ao altar, tendo um incensário de ouro; e foi-lhe dado muito incenso, para que o oferecesse com as orações de todos os santos sobre o altar de ouro que está diante do trono.
E da mão do anjo subiu diante de Deus a fumaça do incenso com as orações dos santos. "(Apo 8,3-4)





 "Eis que eu envio um anjo adiante de ti, para guardar-te pelo caminho, e conduzir-te ao lugar que te tenho preparado." (Ex 23,20)



[Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; então o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse.]
(Jo 5,4)









São Miguel Arcanjo e Santa Margarida, mártir, apareciam e conversavam com Santa Joana Darc.









 6. Devemos e podemos pedir que Deus nos envie seus anjos:
 "8 Então Manoá suplicou ao Senhor, dizendo: Ah! Senhor meu, rogo-te que o homem de Deus, que enviaste, venha ter conosco outra vez e nos ensine o que devemos fazer ao menino que há de nascer.
9 Deus ouviu a voz de Manoá; e o anjo de Deus veio outra vez ter com a mulher, estando ela sentada no campo, porém não estava com ela seu marido, Manoá." (Jz 13,8-9)


 Algumas passagens bíblicas de oração dirigidas aos anjos:

 
Bendizei ao Senhor, vós anjos seus, poderosos em força, que cumpris as suas ordens, obedecendo à voz da sua palavra!
(Sal 103,20)
 
Louvai-o, todos os seus anjos; louvai-o, todas as suas hostes!
(Sal 148,2)


 7.Os anjos devem ser venerados:



"E Davi, levantando os olhos, viu o anjo do Senhor, que estava entre a terra e o céu, tendo na mão uma espada desembainhada estendida sobre Jerusalém. Então Davi e os anciãos, cobertos de sacos, se prostraram sobre os seus rostos. "
(1 Cron 21,16)






Uma famosa aparição de São Miguel aconteceu no Monte Gargano, Itália, onde há um santuário.









8. Culto dos anjos na Bíblia

O culto aos anjos não foi proibido por São Paulo ao falar dele em Colossenses 2, 16-19:

  "Ninguém, pois, vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa de dias de festa, ou de lua nova, ou de sábados,
que são sombras das coisas vindouras; A realidade é Cristo.
  Ninguém vos roube a seu bel-prazer a palma da corrida,sob pretexto de humildade ou culto aos anjos. Desencaminham-se essas pessoas em suas próprias visões e , cheias do vão orgulho de seu espírito materialista, não se mantêm unidas à Cabeça da qual todo o corpo, pela união das junturas, se alimenta e cresce conforme um crescimento disposto por Deus."


Esse texto, mal interpretado , é usado pelos não católicos como argumento para dizer que a Igreja Católica criou uma heresia.

É preciso entender que esse texto na íntegra fala das várias observâncias, objetos de discussão entre os cristãos e os doutores judaizantes.


Quem condenava os cristãos "pelo comer e pelo beber", senão os fariseus que já haviam condenado os discípulos de Cristo por esse mesmo motivo, por violarem as proibições da Tradição dos Antigos?

Quem, senão os fariseus, poderia condenar os cristãos por causa de "um dia de festa", "lua nova" ou "sábado"?

Evidentemente quem isso fazia eram os ciosos guardiães da Tradição dos Antigos , os fariseus e seus discípulos.

E quem falava, naquele tempo, sobre o culto aos anjos, propondo uma doutrina gnóstica  descrevendo as visões da Merkabah, o anjo Uriel, o anjo Metraton, o anjo Melquisedec, etc, que não são citados na  tradição bíblica, daí serem visões próprias, eram os fariseus.

É importante entender que o Apóstolo diz que ninguém nos engane com pretexto de humildade e culto dos anjos, ele não está dizendo que ser humilde ou cultuar os anjos é ruim e contrário aos ensinamentos bíblicos, pois há muitas passagens que mostram esse culto.

Ele está dizendo que alguns sob  pretexto de humildade e do culto aos anjos procuram seduzir os fiéis para  uma nova doutrina que não se "mantêm unida à Cabeça (Jesus Cristo) da qual todo o corpo (a Igreja), pela união das junturas, se alimenta e cresce conforme um crescimento disposto por Deus."

São Paulo faz uma crítica às seitas heréticas, gnósticas, que começavam a nascer e deturpar o ensinamento cristão, mas de nenhum modo combate ou critica o culto aos Anjos, conforme ensinado pela Bíblia, culto de veneração(Gen 19,1), tendo-os como modelos de fé e de oração (ICor 13,1):

 "14 e aquilo que na minha carne era para vós uma tentação, não o desprezastes nem o repelistes, antes me recebestes como a um anjo de Deus, mesmo como a Cristo Jesus."(Gal 4,14)





 





Outras passagens que são usadas para criticar o culto aos Anjos são:


10 Então me lancei a seus pés para adorá-lo, mas ele me disse: Olha, não faças tal: sou conservo teu e de teus irmãos, que têm o testemunho de Jesus; adora a Deus; pois o testemunho de Jesus é o espírito da profecia.
 (Apo 19,10)

 
8 Eu, João, sou o que ouvi e vi estas coisas. E quando as ouvi e vi, prostrei-me aos pés do anjo que mas mostrava, para o adorar.
9 Mas ele me disse: Olha, não faças tal; porque eu sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus. (Apo 22,8-9)

Nessas duas passagens, vemos que João se ajoelha para adorar um Anjo, e isso é criticado, mas na passagem do Gênesis vemos Abraão, Ló e Balaão que se ajoelham diante de Anjos, mas não são repreendidos por eles:

 
2 Levantando Abraão os olhos, olhou e eis três homens de pé em frente dele. Quando os viu, correu da porta da tenda ao seu encontro, e prostrou-se em terra, 
(Gen 18,2)

 Â tarde chegaram os dois anjos a Sodoma. Ló estava sentado à porta de Sodoma e, vendo-os, levantou-se para os receber; prostrou-se com o rosto em terra, (Gen 19,1)



Então o Senhor abriu os olhos a Balaão, e ele viu o anjo do Senhor parado no caminho, e a sua espada desembainhada na mão; pelo que inclinou a cabeça, e prostrou-se com o rosto em terra.
(Nm 22,31)

Podemos concluir, pois, que não é proibido o culto, ajoelhar-se, reverenciar os Anjos, o que é proibido é adorá-los.
  Não é o gesto em si ( ajoelhar-se) que é condenado, mas a intenção (de adorar) com que o Apóstolo fazia isso.

E isso a Igreja diferencia em seu culto, reverenciando os servos de Deus (culto de dulia) e adorando o Único Deus, a Trindade Santa, Pai, Filho e Espírito Santo (culto de Latria).



9. O Culto das Imagens dos Anjos



Deus ordenou que se fizessem imagens de Anjos (querubins), para ornamentar a Arca da Aliança, simbolizando o quão ela era sagrada e já mostrando o valor da venração. E isso não é idolatria: 




"18 Farás também dois querubins de ouro; de ouro batido os farás, nas duas extremidades do propiciatório.
19 Farás um querubim numa extremidade e o outro querubim na outra extremidade; de uma só peça com o propiciatório fareis os querubins nas duas extremidades dele.
20 Os querubins estenderão as suas asas por cima do propiciatório, cobrindo-o com as asas, tendo as faces voltadas um para o outro; as faces dos querubins estarão voltadas para o propiciatório." (Ex 25, 18-20)

 
Do mesmo modo, também foram feitas imagens de Anjos e outras figuras (I REIS 6,35) para ornamentar o Templo, assim como temos imagens em nossas igrejas católicas e isso foi agradável a Deus, pois " a glória do Senhor encheu o templo" (I REIS 8, 10-11).


Podemos orar diante das imagens, pois nossa oração é direcionada para aquele, ou aqueles que elas representam como os israelitas diante da imagem da serpente de bronze (Num 21, 8-9) ou diante da Arca, símbolo da presença de Deus (Números 7,89; 10,35) , diante dos querubins da Arca (Ex 25, 18-22) e do templo (IRe 6, 35)






FONTES:




terça-feira, 25 de setembro de 2012

DEUS QUER QUE RECORRAMOS AOS SEUS SANTOS

 

 

 

Cristo fez de nós "um reino de sacerdotes"( Apo 5, 10)  e uma função do sacerdote é interceder pelo povo, como Moisés disse que foi mediador entre Deus e o povo (Dt 5,5) .

 

 

 

  Há um só Mediador da Salvação (I Timóteo 2:5), que é Jesus, mas o Senhor quer que recorramos à intercessão de seus Santos (Jó 42,7-9), (At 18,11-12), (1 Tim 2,1), pois eles são "operários e administradores dos mistérios de Deus" (1 Co 4,1), daí Moisés chamar-se de mediador (Dt 5,5).

 

 

 

 

 

 

 Santa Rosália intercedendo pelo fim da peste em Palermo

 

 

 

 

 

 

Assim, lemos no Livro de Jó (1,5), que Jó intercedia pelos pecados de seus filhos:

"E sucedia que, tendo decorrido o turno de dias de seus banquetes, enviava Jó e os santificava; e, levantando-se de madrugada, oferecia holocaustos segundo o número de todos eles; pois dizia Jó: Talvez meus filhos tenham pecado, e blasfemado de Deus no seu coração. Assim o fazia Jó continuamente."

E , mais adiante, lemos que Deus quis que os amigos de Jó recorressem à mediação dele e que ele perdoaria os amigos de Jó em virtude dos méritos dele:

"8 Tomai, pois, sete novilhos e sete carneiros, e ide ao meu servo Jó, e oferecei um holocausto por vós; e o meu servo Jó orará por vós; porque deveras a ele aceitarei, para que eu não vos trate conforme a vossa estultícia; porque vós não tendes falado de mim o que era reto, como o meu servo Jó.
(Jó 42,8)

 Dessa forma, recorrer aos Santos é uma prática que agrada a Deus, como Ele quis que o povo recorresse à mediação de Jó, Moisés,  os profetas e os Apóstolos (At 18,11-12), pois diz a escritura que:


 "...a oração do justo, sendo fervorosa, pode muito" (Tgo 5, 16) 



"O Senhor está longe dos maus, mas atende a oração dos justos" (Pr 15,29) 




 






 




SantaTecla intercedendo pelo fim da peste no séc II.














Algumas passagens bíblicas que mostram a mediação dos Santos:

" Disse ainda Abraão: Ora, não se ire o Senhor, pois só mais esta vez falarei. Se porventura se acharem ali dez? Ainda assentiu o Senhor: Por causa dos dez não a destruirei. "
(Gen 18,32)

" Moisés, porém, suplicou ao Senhor seu Deus, e disse: Senhor, por que se acende a tua ira contra o teu povo, que tiraste da terra do Egito com grande força e com forte mão? (...)13 Lembra-te de Abraão, de Isaque, e de Israel, teus servos, aos quais por ti mesmo juraste, e lhes disseste: Multiplicarei os vossos descendentes como as estrelas do céu, e lhes darei toda esta terra de que tenho falado, e eles a possuirão por herança para sempre.
14 Então o Senhor se arrependeu do mal que dissera que havia de fazer ao seu povo."
(Ex 32,11. 13-14)


 "(estava eu nesse tempo entre o Senhor e vós, para vos anunciar a palavra do Senhor; porque tivestes medo por causa do fogo, e não subistes ao monte) , dizendo ele: "
(Dt 5,5)








Santa Francisca Romana intercedendo por Roma










 "Disse-me, porém, o Senhor: Ainda que Moisés e Samuel se pusessem diante de mim, não poderia estar a minha alma com este povo. Lança-os de diante da minha face, e saiam eles." (Jer 15,1)



"Também a este respondeu Elias: Se eu sou homem de Deus, desça fogo do céu, e te consuma a ti e aos teus cinqüenta. Então o fogo de Deus desceu do céu, e consumiu a ele e aos seus cinqüenta. "
(2 Re 1,12)

 
"Havendo eles passado, Elias disse a Eliseu: Pede-me o que queres que eu te faça, antes que seja tomado de ti. E disse Eliseu: Peço-te que haja sobre mim dobrada porção de teu espírito. "
(2 Re 2,9)




"Então dissera ele: Que se há de fazer, pois por ela? E Geazi dissera: Ora, ela não tem filho, e seu marido é velho.
15 Pelo que disse ele: Chama-a. E ele a chamou, e ela se pôs à porta.
16 E Eliseu disse: Por este tempo, no ano próximo, abraçarás um filho. Respondeu ela: Não, meu senhor, homem de Deus, não mintas à tua serva.
17 Mas a mulher concebeu, e deu à luz um filho, no tempo determinado, no ano seguinte como Eliseu lhe dissera. "
(2 Re 4, 14-17)

"E Eliseu orou, e disse:  senhor, peço-te que lhe abras os olhos, para que veja. E o Senhor abriu os olhos do moço, e ele viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo em redor de Eliseu. "
(2 Re 6,17)


 

"Orai uns pelos outros, para serdes salvos, porque a oração do justo, sendo fervorosa, pode muito"(Tgo 5, 16)












São Sebastião intercedendo no céu.



















" Pela fé Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício que Caim, pelo qual alcançou testemunho de que era justo, dando Deus testemunho das suas oferendas, e por meio dela depois de morto, ainda fala. "
(Heb 11,4) 



"Elias era homem pobre como nós, e orou com fervor para que não chovesse, e por três anos e seis meses não choveu sobre a terra.
18 E orou outra vez e o céu deu chuva, e a terra produziu o seu fruto."
(Tg 5,17)


 
"Partiu Ananias e entrou na casa e, impondo-lhe as mãos, disse: Irmão Saulo, o Senhor Jesus, que te apareceu no caminho por onde vinhas, enviou-me para que tornes a ver e sejas cheio do Espírito Santo. "
(At 9,17) 

"E Deus pelas mãos de Paulo fazia milagres extraordinários,"
(At 19,11)







 




 São Sebastião intercedendo por devotos










Por isso, podemos orar a Deus invocando seus Santos e seus méritos, como vemos no salmo:

"Pelo nome de Davi, vosso servo, não rejeiteis a face daquele que vos é consagrado" (Sl 131,10)

E ainda em outras passagens, vemos o uso dos méritos dos Santos em oração a Deus:

  Lembra-te de Abraão, de Isaque, e de Israel, teus servos, aos quais por ti mesmo juraste, e lhes disseste: Multiplicarei os vossos descendentes como as estrelas do céu, e lhes darei toda esta terra de que tenho falado, e eles a possuirão por herança para sempre.
(Êxodo 32:13)


 14 Então, pegando da capa de Elias, que dele caíra, feriu as águas e disse: Onde está o Senhor, o Deus de Elias? Quando feriu as águas, estas se dividiram de uma à outra banda, e Eliseu passou. 
(2 Re 2,14) 






 



 Santa Bárbara intercedendo por devoto moribundo















Deus nos escuta em atenção aos seus Santos:
 
O Senhor, porém, teve misericórdia deles, e se compadeceu deles, e se tornou para eles, por amor do seu pacto com Abraão, Isaque e Jacó; e não os quis destruir nem lançá-los da sua presença .
(2 Reis 13:23)


 Porque se lembrou da sua santa palavra, e de Abraão, seu servo.
(Salmos 105:42)
 


   Oferecer súplicas e orações a Deus pela mediação dos Santos, nossos modelos de fé (Hb 6,12), é prática baseada na Bíblia e na Tradição da Igreja que possui registro dessa oração já no século II. 




 




 São João Batista protegendo devoto








 Os Santos nos cercam e nos protegem com sua intercessão, pois são uma nuvem de testemunhas ao nosso redor (Hb 12,1) torcendo por nós para que alcancemos a salvação com eles, como vemos na palavra que diz :

 "Foi então dada a cada um deles uma veste branca, e foi-lhes dito que aguardassem ainda um pouco, até que se completasse o número dos companheiros de serviço e irmãos que estavam com eles para ser mortos” (Ap 6,11).


Ofereçamos, pois, a Deus nossas orações e invoquemos seus Santos, pois isso o agrada e em atenção a seus servos, por meio de seu único Filho, Ele opera milagres.

 Deus escuta nossas súplicas feitas, como dizemos em toda oração liturgica, por Nosso Senhor Jesus Cristo, único Mediador da Salvação (I Timóteo 2:5), que não exclui nossa mediação (1 Tim 2,1), nem a de nossos irmãos vivos ou falecidos, como intercessores (Ap 6,9-11), mas faz de nós seus participantes, "operários e administradores dos mistérios de Deus" (1 Co 4,1).






VÍDEO " O FILME DA VIDA" Católicos Voltem Para Casa 2 - COMERCIAL DA IGREJA AMERICANA

QUE É, O QUE FAZ A IGREJA CATÓLICA - VÍDEO : Catolicos voltem para Casa - Dublado- COMERCIAL DA IGREJA AMERICANA

TESTEMUNHO DE CANTORA EX-PROTESTANTE AO CATOLICISMO

TESTEMUNHO - PASTOR QUE SE CONVERTEU E RECONHECEU O VALOR DE MARIA

A IGREJA CATÓLICA FEZ A BÍBLIA (LISTA DOS LIVROS CANÔNICOS) E A PRESERVOU





 


Se não fosse a Igreja Católica, não existiria a Bíblia como a temos hoje, com os 72 livros canônicos, isto é, inspirados pelo Espírito Santo. 





 “Foi a Tradição apostólica que fez a Igreja discernir que escritos deviam ser enumerados na lista dos Livros Sagrados”(DV 8; CIC,120).




 



Portanto, sem a Tradição da Igreja não teríamos a Bíblia. 

Santo Agostinho dizia:

 “Eu não acreditaria no Evangelho, se a isso não me levasse a autoridade da Igreja Católica”
 (CIC,119).









Por que a Bíblia católica é diferente da protestante? 

A protestante tem apenas 66 livros porque Lutero e, principalmente os seus seguidores,  rejeitaram os livros de Tobias, Judite, Sabedoria, Baruc, Eclesiástico (ou Sirácida), 1 e 2 Macabeus, além de Ester 10,4-16; Daniel 3,24-20; 13-14.


No ano 100 o Sínodo de Jâmnia (ou Jabnes), feito pelos judeus , decidiu que o Antigo Testamento:
(1)            deveria ter sido escrito na Terra Santa;
(2)            escrito somente em hebraico, nem aramaico e nem grego;
(3)            escrito antes de Esdras (455-428 a.C.);
(4)            sem contradição com a Torá ou lei de Moisés.





 




 A Bíblia Católica veio da Versão chamada "dos Setenta" de Alexandria ( 200 anos antes de Cristo), que incluiu os livros que os judeus de Jâmnia, por critérios nacionalistas, rejeitaram.




Pois a Igreja tinha e tem autoridade independente da dos judeus para definir quais livros eram inspirados ou não, do mesmo modo que decidiu o Novo Testamento.

Como havia no início do Cristianismo duas Bíblias judaicas: uma da Palestina (restrita) e a de Alexandrina (completa – Versão dos LXX).

Os Apóstolos e Evangelistas optaram pela Bíblia completa dos Setenta (Alexandrina), considerando canônicos os livros rejeitados em Jâmnia.

Das 350 citações do Antigo Testamento que há no Novo, 300 são tiradas da Versão dos Setenta, o que mostra o uso da Bíblia completa pelos apóstolos.

Verificamos também que nos livros do Novo Testamento há citações dos livros que os judeus nacionalistas da Palestina rejeitaram. 

Por exemplo: Rom 1,12-32 se refere a Sb 13,1-9;  Rom 13,1 a  Sb 6,3;  Mt 27,43 a Sb 2, 13.18; Tg 1,19 a Eclo 5,11;  Mt 11,29s a Eclo 51,23-30;  Hb 11,34 a 2 Mac 6,18; 7,42;  Ap 8,2 a Tb 12,15.



 Assim, a Igreja Católica, fundada por Cristo, sob a autoridade de Pedro, definiu quais seriam os livros do Novo Testamento e os do Antigo Testamento.




 







Nos mais antigos escritos dos santos Padres da Igreja (patrística) os livros rejeitados pelos protestantes (deutero-canônicos) são citados como Sagrada Escritura. 





São Clemente de Roma, Papa, no ano de 95 escreveu a Carta aos Coríntios, citando Judite, Sabedoria, fragmentos de Daniel, Tobias e Eclesiástico; livros rejeitados pelos protestantes.

Pastor de Hermas, no ano 140, faz amplo uso de Eclesiástico, e do 2 Macabeus;

Santo Hipólito (†234), comenta o Livro de Daniel com os fragmentos deuterocanônicos rejeitados pelos protestantes, e cita como Sagrada Escritura Sabedoria, Baruc, Tobias, 1 e 2 Macabeus.

Vários Concílios confirmaram isto: os Concílios regionais de Hipona (ano 393); Cartago II (397), Cartago IV (419), Trulos (692). 

Principalmente os Concílios ecumênicos de Florença (1442), Trento (1546) e Vaticano I (1870).


Lutero, ao traduzir a Bíblia para o alemão, traduziu também os sete livros (deuterocanônicos) na sua edição de 1534, e as Sociedades Biblícas protestantes, até o século XIX incluíam os sete livros nas edições da Bíblia.


 “Pela Tradição torna-se conhecido à Igreja o Cânon completo dos livros sagrados e as próprias Sagradas Escrituras são nelas cada vez mais profundamente compreendidas  e  se fazem sem cessar, atuantes.” (DV,8).


A Bíblia não define o seu catálogo; isto é, não há um livro da Bíblia que diga qual é o índice dela. 


Assim, este só pode ter sido feito pela Tradição dos apóstolos, pela tradição oral que de geração em geração chegou até nós, e que os protestantes não têm, nem tiveram.


A Vulgata – O Papa São Dâmaso (366-384), no século IV, pediu a S.Jerônimo que fizesse uma revisão das muitas traduções latinas que havia da Bíblia. 



 








São Jerônimo revisou o texto grego do Novo Testamento e traduziu do hebraico o Antigo Testamento, dando origem ao texto latino chamado de Vulgata, usado até hoje.

Durante séculos, a Igreja manteve o texto sagrado da Vulgata intatcto e protegido através dos monges copistas da Idade Média, já que não havia imprensa e era necessário copiar todo o texto.

Os monges dedicavam toda sua vida à cópia do texto sagrado ornamentando as páginas com arte e amor.





 






 Para se proteger  das heresias, a Igreja durante a Idade Média, só permitia o acesso de pessoas instruídas em sua Tradição e em seu Magistéria ao texto da Bíblia, para que não houvesse deturpação do que está escrito.

Para interpretar e entender a Bíblia é necessário estudo catequético e bíblico se não erros de interpretação sobre aspectos diversos podem surgir, pois se pegarmos citações soltas ao pé da letra, vamos começar a tirar conclusões erradas sobre a fé como o uso de imagens, a virgindade de Maria, os dogmas da divindade de Jesus e da Trindade, etc.

Daí, a Igreja , na Idade Média, ter assumido a  atitude radical de proibir a leitura da Bíblia aos que não tivessem formação adequada.

Hoje, vemos claramente como a livre interpretação da Bíblia produz péssimos efeitos em nosso meio:

cada um a usa para fundar sua própria igreja; cada um justifica seus vícios ou erros com a Bíblia na mão; a Bíblia é usada para justificar assassinatos, fanatismo, violências, exploração financeira dos mais simples, etc.














FONTE: