sábado, 25 de agosto de 2012

A INFLUÊNCIA DO PAGANISMO NA BÍBLIA




Escuto e leio tantos não católicos criticando a Igreja Católica sobre imagens, culto a Maria, Santos , Anjos, Papa, etc.

Afirmam que a Igreja Católica é fruto do Paganismo e que a Religião Pura segue só a Bíblia. 

Esquecem que não há religião neste mundo que não tenha sido influenciada por outra, ou que tenham histórias parecidas.

 Por isso, resolvi pesquisar as influências do Paganismo na Bíblia, para mostrar que não há religião pura, que surgiu do nada, sem influências de outras culturas, de aspectos históricos, sociais, ou doutrinais. 

Segundo o site "Cosmo a Pé", a forma de culto dos não católicos, apesar de falarem mal da Igreja Católica,  não é bíblica, e é resultado de anos de sua história da reforma, como por exemplo: a estrutura sermão, hino, apelo, de alguns cultos, ou gritos, exorcismos, espetáculos miraculosos histéricos, entre outros modelos de liturgia não católica.

Saber que a Bíblia tem tanta influência pagã, quanto qualquer outro livro, não diminui em nada o valor sagrado dela para quem tem fé, pois, acredito, como Santo Agostinho, no que ele chamava de as sementes do Verbo.

Santo agostinho dizia que as sementes do verbo eram a vontade de Deus, ou sua luz, ou o conhecimento de certas verdades, que, de  alguma forma, tinha chegado ao conhecimento dos povos e que em todos eles havia algo de bom. 

Prefiro essa visão de Santo Agostinho.

Se ficarmos só com a Bíblia, sem nossa fé,  e estudarmos bem a história dela, dizia um professor de Liturgia, jogaremos a Bíblia no lixo. 

A diferença no Catolicismo é que afirmamos que a Bíblia junto com a Tradição e o Magistério são nossa fonte de fé.

É pela tradição da Igreja que creio na Bíblia, ela quem formulou a lista dos livros sagrados.

 Pela Tradição, creio que ela foi fundada por Cristo, e temos uma linha de pensamento de como interpretar a Bíblia.

Mas a tradição e o Magistério só não é a Igreja.

Tudo o que a Tradição e o Magistério dizem encontramos respaldo na Bíblia, assim uma completa a outra.














O povo de Israel sofreu a influência da cultura pagã, tanto quanto a Igreja Católica teve influência da cultura greco-romana, porém isso não tira o fato de que ambos foram guiados por Deus na construção de seu culto e doutrina.

Muito do que está na Bíblia remete a conceitos pagãos:
  
Semi-deuses, monstros, culto aos deuses, heróis, entidades misteriosas, milagres prodigiosos, etc. 

Muitos dos personagens e eventos que são encontrados nas mitologias greco-romana e egípcias, encontramos paralelo nas histórias Bíblicas, e isso sem falar nos textos que possuem muito em comum, os quais não temos certeza de quem copiou quem. 







ÍNDICE:

1.OS SÁTIROS

2.DRAGÃO E BASILÍSCO

3.DRAGÃO
 
4.UNICÓRNIOS

5.LILITE

6.O LEVIATÃ E O DRAGÃO

7.CRENÇA NOS DEUSES

8.OS ANJOS (MENSAGEIROS)

9.O CONCEITO DE UM OPONENTE A DEUS (SATANÁS):

10.NAC A SERPENTE DO ABISMO E SATANÁS

11. A IMORTALIDADE DA ALMA


12. A CRENÇA NUM  FILHO DE DEUS:

13. DIONÍSO (BACO)  E JESUS

14. UM ESPÍRITO SANTO EM FORMA DE AVE

15. PEDRO E A CHAVE DOS CÉU

16. A EPOPÉIA DE GILGAMESH E A HISTÓRIA BÍBLICA DE NOÉ

17. CULTO E FESTAS JUDÁICAS

18. A SUBSTITUIÇÃO DO PAGANISMO E SUAS PRÁTICAS PELO CRISTIANISMO SE DEU LENTAMENTE.







TRECHOS BÍBLICOS DE INFLUÊNCIA PAGÃ:


Alguns trechos bíblicos que mostram a crença pagã fazendo parte da Bíblia:



1. OS SÁTIROS



 


 
Isaías 13,21 - "As feras terão aí seu covil, os mochos freqüentarão as casas, as avestruzes morarão aí, e os sátiros farão aí suas danças."




Sátiro
s. m.,
semideus pagão da mitologia greco-romana, com pés e pernas de bode;
homem libidinoso e cínico;
devasso;
dissoluto
.


 Em Levítico 17:7: Nunca mais oferecerão os seus sacrifícios aos sátiros, com os quais se prostituem. Esta será para eles uma lei perpétua de geração em geração.




2. DRAGÃO E BASILÍSCO: 





 



 Em Isaías 14:29 podemos ler: "Não te alegres, tu, toda a Filístia, por estar quebrada a vara que te feria; porque da raiz da cobra sairá um basilisco, e o seu fruto será uma serpente ardente, voadora. "




 O mesmo trecho em outra versão diz:

 Isaías 14:29Não te alegres, ó terra dos filisteus, de que tenha sido quebrada a vara que te feria, porque da estirpe da serpente nascerá uma áspide, e seu fruto será um dragão voador.

 Um fala em basilisco e serpente voadora. No outro há a menção de uma áspide (pequena serpente venenosa, semelhante à víbora) e ou diretamente a dragões. 

A versão King James relata assim:Rejoice not thou, whole Palestina, because the rod of him that smote thee is broken: for out of the serpent’s root shall come forth a cockatrice, and his fruit shall be a fiery flying serpent.

Que diabos é um “cockatrice”

"Also called basilisk in the legends of Hellenistic and Roman times, a small serpent, possibly the Egyptian cobra, known as a basilikos (“kinglet”) and credited with powers of destroying all animal and vegetable life by its mere look or breath. Only the weasel, which secreted a venom deadly to the cockatrice, was safe from its powers.


 Usando a versão Luterana: Jesaja 14:29 (Luther Bibel 1545): Freue dich nicht, du ganzes Philisterland, daß die Rute, die dich schlug, zerbrochen ist! Denn aus der Wurzel der Schlange wird ein Basilisk kommen, und ihre Frucht wird ein feuriger fliegender Drache sein. 

Lembrando:
Basilisk = Basilisco
Drache = Dragão








3. DRAGÃO



Naquele dia o Senhor castigará com a sua dura espada, grande e forte, o leviatã, a serpente fugitiva, e o leviatã, a serpente tortuosa; e matará o dragão, que está no mar.
Isaías 27:1

 
Desperta, desperta, veste-te de força, ó braço do Senhor; desperta como nos dias da antigüidade, como nas gerações antigas. Porventura não és tu aquele que cortou em pedaços a Raabe, e traspassou ao dragão,
Isaías 51:9

 
Viu-se também outro sinal no céu: eis um grande dragão vermelho que tinha sete cabeças e dez chifres, e sobre as suas cabeças sete diademas;
Apocalipse 12:3

 
Então houve guerra no céu: Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão. E o dragão e os seus anjos batalhavam,
Apocalipse 12:7

 
E foi precipitado o grande dragão, a antiga serpente, que se chama o Diabo e Satanás, que engana todo o mundo; foi precipitado na terra, e os seus anjos foram precipitados com ele.
Apocalipse 12:9

 
Quando o dragão se viu precipitado na terra, perseguiu a mulher que dera à luz o filho varão.
Apocalipse 12:13





 




 
A terra, porém acudiu à mulher; e a terra abriu a boca, e tragou o rio que o dragão lançara da sua boca.
Apocalipse 12:16

 
E o dragão irou-se contra a mulher, e foi fazer guerra aos demais filhos dela, os que guardam os mandamentos de Deus, e mantêm o testemunho de Jesus.   [12:18] E o dragão parou sobre a areia do mar.
Apocalipse 12:17

 
E a besta que vi era semelhante ao leopardo, e os seus pés como os de urso, e a sua boca como a de leão; e o dragão deu-lhe o seu poder e o seu trono e grande autoridade.
Apocalipse 13:2

 
E vi subir da terra outra besta, e tinha dois chifres semelhantes aos de um cordeiro; e falava como dragão.
Apocalipse 13:11

 
E da boca do dragão, e da boca da besta, e da boca do falso profeta, vi saírem três espíritos imundos, semelhantes a rãs.
Apocalipse 16:13

 
Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e o amarrou por mil anos.
Apocalipse 20:2

 
a sua cauda levava após si a terça parte das estrelas do céu, e lançou-as sobre a terra; e o dragão parou diante da mulher que estava para dar à luz, para que, dando ela à luz, lhe devorasse o filho.
Apocalipse 12:4

 
e adoraram o dragão, porque deu à besta a sua autoridade; e adoraram a besta, dizendo: Quem é semelhante à besta? quem poderá batalhar contra ela?
Apocalipse 13:4












4. UNICÓRNIOS:
Na versão King James, podemos ler em Salmos 22:21 : Save me from the lion’s mouth: for thou hast heard me from the horns of the unicorns.

Mas, nas traduções para o português, encontramos somente: Salvai-me a mim, mísero, das fauces do leão e dos chifres dos búfalos.

Ou seja, alguém tá agindo de má fé nessas traduções.
Vamos dar uma olhadinha na versão luterana:

Hilf mir aus dem Rachen des Löwen und errette mich von den Einhörnern!

Einhorner = Unicórnio
EIN = UM
HORNER = CHIFRE
Mas, não é só em salmos. 

Isaías também os menciona em Isaías 34:7. 

Mas, se você procurar nas versões traduzidas, encontrará o seguinte: 

Em vez de búfalos, os povos aí tombarão, uma multidão de robustos guerreiros, em lugar de touros. Sua terra embeber-se-á de sangue, o chão impregnar-se-á de gordura.


 Búfalos? Bufalos vivem no sul da África e não na Palestina. Como Isaías viu algum búfalo? 

 Na versão do próprio Lutero de onde é baseada todas as Bíblia protestantes:

Jesaja 34:7 (Luther Bibel 1545) : Da werden die Einhörner samt ihnen herunter müssen und die Farren samt den gemästeten Ochsen. Denn ihr Land wird trunken werden von Blut und ihre Erde dick. 

Alguns mudaram a tradução para:


“E os bois selvagens cairão com eles, e os bezerros com os touros; e a sua terra embriagar-se-á de sangue até se fartar, e o seu pó se engrossará com a gordura.”



Fica também patente a falibilidade dos tradutores.


 5. LILITE


 



Em Isaías 34:14 : 
" E as feras do deserto se encontrarão com hienas; e o sátiro clamará ao seu companheiro; e Lilite pousará ali, e achará lugar de repouso para si." 



Em algumas traduções, ao invés de Lilite, escreveram espectro noturno, mas o original hebráico deixa claro: "A Lilit"







6. O LEVIATÃ E O DRAGÃO



Amaldiçoem-na aqueles que amaldiçoam os dias, que são peritos em suscitar o leviatã.
Jó 3:8

 
Poderás tirar com anzol o leviatã, ou apertar-lhe a língua com uma corda?
Jó 41:1



 

Tu esmagaste as cabeças do leviatã, e o deste por mantimento aos habitantes do deserto.
Salmos 74:14

 
Ali andam os navios, e o leviatã que formaste para nele folgar.
Salmos 104:26

 
Naquele dia o Senhor castigará com a sua dura espada, grande e forte, o leviatã, a serpente fugitiva, e o leviatã, a serpente tortuosa; e matará o dragão, que está no mar.
Isaías 27:1



7. CRENÇA NOS DEUSES:

No começo, os israelitas ainda acreditavam que os deuses existiam, mesmo eles cultuando um único Deus. Um Deus maior, Javé, Jeová, entre os deuses.  Mas, logo começa-se a se afirmar que há um só Deus e os outros não existem, são apenas ídolos. 

Porém, em muitas passagens vemos resquícios da crença nos deuses aparecendo na Bíblia, o que mostra essa evolução doutrinária:
Quem entre os deuses é como tu, ó Senhor? a quem é como tu poderoso em santidade, admirável em louvores, operando maravilhas?

Êxodo 15:11

Pois o Senhor vosso Deus, é o Deus dos deuses, e o Senhor dos senhores, o Deus grande, poderoso e terrível, que não faz acepção de pessoas, nem recebe peitas;
Deuteronômio 10:17

 Deus está na assembléia divina; julga no meio dos deuses:
Salmos 82:1


 
Entre os deuses nenhum há semelhante a ti, Senhor, nem há obras como as tuas.
Salmos 86:8

 
Porque o Senhor é Deus grande, e Rei grande acima de todos os deuses.
Salmos 95:3

 
Porque grande é o Senhor, e digno de ser louvado; ele é mais temível do que todos os deuses.
Salmos 96:4


Agora sei que o Senhor é maior que todos os deuses; até naquilo em que se houveram arrogantemente contra o povo.
Êxodo 18:11

 
Também eu vos disse: Eu sou o Senhor vosso Deus; não temais aos deuses dos amorreus, em cuja terra habitais. Mas não destes ouvidos à minha voz.
Juízes 6:10


Pois que grande nação há que tenha deuses tão chegados a si como o é a nós o Senhor nosso Deus todas as vezes que o invocamos?
Deuteronômio 4:7



Pois tu, Senhor, és o Altíssimo sobre toda a terra; tu és sobremodo exaltado acima de todos os deuses.
Salmos 97:9

 
Porque eu conheço que o Senhor é grande e que o nosso Senhor está acima de todos os deuses.
Salmos 135:5

 
Dai graças ao Deus dos deuses, porque a sua benignidade dura para sempre
Salmos 136:2

 
Graças te dou de todo o meu coração; diante dos deuses a ti canto louvores.
Salmos 138:1






8. OS ANJOS (MENSAGEIROS)








Quase todas as culturas tiveram um Mensageiro celeste similar aos Anjos:

Hermes, filho de Zeus, mensageiro dos deuses. Tinha asas em sua sandália mágica, para poder voar e transmitir as mensagens de Zeus, o Pai dos deuses.

A doutrina da hierarquia celeste, segundo alguns começou com a influência dos babilônicos, um exemplo, são os querubins e serafins.

Desde a época das civilizações clássicas já existia o conceito que Deus trabalha a partir de mensageiros, na Grécia antiga os entregadores de mensagem eram conhecidos como angelos, que se tornou angelus quando traduzida para o latim utilizado em Roma, e daí para o nosso português: anjo. 

A origem do nome "querubim" (keruv em Hebraico) ainda é obscura.

 Alguns pesquisadores defendem que sua raiz está na palavra babilônica "karabu", significando "um ser abençoado, bendito".





 



 Outros defendem que sua origem está no nome do deus assírio "Kirabu", cuja representação é de um ser com aparência humana com corpo de um touro alado.


 A tradução hebraica mais próxima é Keruv (repolho), que enfatiza "invólucro" e "envolver", pois Deus se acomoda "no meio" dos querubins.

Uma das poucas bases fundamentais e certas da aparência de um querubim que chegou a nós é que ele é um ser alado. 

Portanto, partindo deste ponto, podemos encontrar representações de animais ou seres híbridos com parte de animais que tem, sem dúvida, alguma relação com os querubins bíblicos.  

Na Assíria achava-se o Kirubu, expressão que designa um touro alado, achado em vários templos mesopotâmicos antigos. 

Adicionalmente a este ser, encontra-se outro em forma de um leão alado (chamado “shedu” ou “lamassu”) que só não serviam como adorno nas paredes e portas dos templos, mas eram achados em pares (de leões ou touros alados), servindo também como guardas postos na entrada dos templos mesopotâmicos.




 



 É provável então a leitura do termo “keruvim araiot” (querubins-leões) como uma expressão hebraica relacionada a figura em forma de leão (shedu), ao contrário do querubim na forma de um touro (kerubu). 














9. O CONCEITO DE UM OPONENTE A DEUS (SATANÁS):


“Sob a influência das doutrinas de Zaratustra, os judeus começaram a crer na existência dum espírito que procurava desfazer a obra de Jeová. E a esse adversário deram o nome de Satã”.

“Passaram a odiá-lo e temê-lo, e no ano 331 convenceram-se de que Satã andava pela terra”. (VON LOON, 1951, p. 122). 



 


Deus do mal, Ahriman


Assim, da cultura persa, que possuía o deus do bem (Ahura-Mazda) e o do mal (Ahriman), tiraram o ser denominado Satã correspondendo a esse último.

Alguns trechos do livro de Jó (1,6-7.12), que expressa, claramente, essa doutrina:

 6 Ora, chegado o dia em que os filhos de Deus vieram apresentar-se perante o Senhor, veio também Satanás entre eles.
7 O Senhor perguntou a Satanás: Donde vens? E Satanás respondeu ao Senhor, dizendo: De rodear a terra, e de passear por ela.(...)
 12 Ao que disse o Senhor a Satanás: Eis que tudo o que ele tem está no teu poder; somente contra ele não estendas a tua mão. E Satanás saiu da presença do Senhor. 

  




10. NAC A SERPENTE DO ABISMO E SATANÁS

(Nac, Ape, Apophis alegorias da Serpente Satanás) 

Hino a Râ quando se levanta (Livro dos Mortos, escrito há milênios antes dos Evangelhos)

(...) As almas do Leste (oriente) seguem-te, louvam-te as almas do Oeste (ocidente). Soberano de todos os deuses, teu coração se alegra dentro do teu sacrário;  pois o demônio-serpente Nac foi condenado ao fogo , e teu coração será alegre para sempre.

"Mateus 24 27 Porque,  assim como o relâmpago sai do oriente e se mostra até o ocidente, assim será também a vinda do filho do homem. 28 Pois onde estiver o cadáver, aí se ajuntarão os abutres. 29  Logo depois da tribulação daqueles dias, escurecerá o sol, e a lua não dará a sua luz; as estrelas cairão do céu e os poderes dos céus serão abalados.

Apocalipse 20
1 E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo e uma grande cadeia na sua mão. 2
 Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás , e o amarrou por mil anos. 3 Lançou-o no abismo,  (...)   Esta é a primeira ressurreição.





 11. A IMORTALIDADE DA ALMA



 Após o exílio, na  Babilônia, os judeus assimilaram as doutrinas da imortalidade da alma, da ressurreição e do juízo final, que constituíam em importante ensino por parte dos fariseus e eram motivo de discussões com os saduceus, que não partilhavam essa crença. 






12. A CRENÇA NUM  FILHO DE DEUS:

 Os egípcios também acreditavam na possibilidade de um deus fecundar uma mulher, leiamos:  

“Tamanha suntuosidade, tornou ImHotep uma figura célebre em todo Egito – depois de sua morte, ganhou status de um deus. Passou a ser considerado filho Ptah, o deus supremo de Mênfis, que teria fecundado uma mulher mortal.

Essa crença igualmente era compartilhada pelos gregos, vejamos:  

“Filho de Zeus e de uma mulher mortal, Alcmena, Heracles foi o maior e mais popular herói de toda a Grécia Antiga, embora a lenda tenha tido origem estritamente peloponésica”.

Não devemos nos esquecer que os gregos também exerceram domínio sobre os judeus. 







13. DIONÍSO (BACO) 


 

 

Dionísio era muito cultuado na cultura greco-romana, o deus do vinho, que provavelmente poderia ser adorado também em Séforis, principal reduto greco-romano da Galiléia, distante a 5 kilômetros de Nazaré e Caná (milagre onde Jesus transforma água em vinho), onde foram encontrados em 1982 , mosaicos ilustrando Dioníso. 



Mito que também foi muito cultuado. Filho de um deus com uma mortal, nascido por interferência do deus maior para os gregos no ventre de uma mulher. 

Como na imagem ao lado, também é figurado montado em cima de um jumentinho.  Podia transformar água em vinho e o vinho era o seu sangue. Teve o corpo partido em vários pedaços, morreu e ressuscitou. 

Outro mito anterior e semelhante é o do deus Egípcio Osíris, que tem o corpo partido em 14 pedaços e depois ressurge, ou do próprio Jesus, que simbolicamente parte seu corpo em 12 pedaços e o reparte com seus discípulos.

 Algo parecido lemos na Bíblia:

Marcos 14, 22:

 E, comendo eles, tomou Jesus pão e, abençoando-o, o partiu e deu-lho, e disse: Tomai, comei, isto é o meu corpo. (...) E, tomando o cálice, e dando graças, deu-lho; e todos beberam dele.
E disse-lhes: Isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que por muitos é derramado.
(...) Mas, depois que eu houver ressuscitado, irei adiante de vós para a Galiléia.





 14. UM ESPÍRITO SANTO EM FORMA DE AVE 

A imagem de um Espírito-Santo que tinha a forma de pássaro já havia sido criada uns 3000 anos atrás, e freqüentemente é encontrado em inscrições Egípcias e no Livro dos Mortos.

Toda alma do deus, ou de qualquer mortal era representada como ave flutuando sobre a cabeça de seu possuidor.



15. PEDRO E A CHAVE DOS CÉU

 Essa é uma mensagem do Livro dos Mortos da antiga religião egípcia, livro este que acompanhava as múmias milênios antes do Novo Testamento :

CAPÍTULO LXVIII
(...)As portas do céu estão abertas para mim, as portas da terra estão abertas para mim, as trancas e ferrolhos de Seb estão abertos para mim, e o primeiro templo foi descerrado para mim pelo deus Petra"

NO NOVO TESTAMENTO :
Mateus 16:18

 Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do hades não prevalecerão contra ela; dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares, pois, na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus. 









16. A EPOPÉIA DE GILGAMESH E A HISTÓRIA BÍBLICA DE NOÉ: 


 


Esta epopeia contém a mais antiga referência conhecida ao dilúvio, que é recorrente em várias culturas e que está presente na Bíblia.

Abaixo, apresenta-se uma lista com algumas das mais notáveis diferenças e semelhanças que podem ser observadas. 

1. No Gênesis, Deus resolve destruir a Terra e seus habitantes vivos devido a grande maldade do homem. Na Epopéia, os deuses, em conselho, liderado por Enlil, decidem exterminar a raça humana por causa de sua balburdia, o que incomodava e atrapalhava seu sono. 

2.  Na Epopéia, o deus alerta ao herói anônimo para que este construa um barco e escape ileso da tempestade que viria.


3. No Gênesis, a arca é feita de madeira e revestida com betume. Na Epopéia, o barco também é feito de madeira, porém, calafetada com óleo. 


6. O herói anônimo da Epopéia, leva com ele em seu barco,seu ouro, sua família e parentes, seus animais (domésticos e selvagens) e artesãos, além disso,o deus também ordena que leve com ele "a semente de toda criatura viva". 


7. O dilúvio de Noé dura quarenta dias e quarenta noites. Na Epopéia de Gilgamesh, a tempestade dura apenas uma semana. Obs.: O dilúvio na Epopéia é dramaticamente descrito não como apenas chuva, mas como uma tempestade tão terrível ao ponto de aterrorizar os próprios deuses que a convocaram. 

8. A arca de Noé encalha no monte Ararat, o mesmo morro em que o barco do dilúvio na Epopéia fica preso, porém, nesta outra narrativa, ao mesmo morro é dado o nome de Nivir. 

9. Em ambas as histórias, seus protagonistas utilizam-se de pássaros para verificar se as águas já haveriam de ter secado.  


10. Noé queima sacrifício a Deus, que aceitá-os. Em seguida, Deus ordena a Noé e sua família,o mesmo que ordenara a Adão e Eva: que eles deveriam se multiplicarem e dominar a todos os animais, sem jamais porém, comer do sangue destes, além disso, o final do relato diluviano noGênesis é caracterizado pela promessa de Deus a Noé que não mais destruiria o mundo sob aságuas de um dilúvio.

 De forma semelhante, mas diferente, o herói na Epopéia de Gilgamesh também faz sacrifícios aos deuses, que se amontoam como moscas em volta. 

No fim, o deus aIshtar repreende o deus Enlil por ter enviado o dilúvio e destruído os homens, Enlil, por suavez, se enche de cólera de ver que alguns humanos sobreviveram e por isso, o deus o repreende, conduzindo o herói (apresentado apenas no fim como sendo Utnapishtim) e sua esposa à vida eterna.


17. CULTO E FESTAS JUDÁICAS

Algumas festas bíblicas tiveram origem na influência de outros povos e culturas pagãs e foram revestidas de um novo significado, assim como aconteceu na Igreja Católica, nem por isso foram condenadas por Deus, mas foram usadas por Ele para manifestação de seu poder:




O DIA DO SÁBADO:



A palavra sábado deriva do latim sabbatum, que por sua vez deriva do Shabat hebraico (שבת, transliterado como shabāt), que designa o dia de descanso entre os judeus.
Povos pagãos antigos reverenciavam seus deuses, dedicando o dia de Sábado ao deus Saturno, o que originou em inglês a denominação Saturn's day, posteriormente abreviada para Saturday, e no holandês Zaterdag, com o significado de "Dia de Saturno".
Entre os romanos, por exemplo, este dia dedicado a Saturno, deus da agricultura, e representava um dia de descanso na semana pela boa colheita.




O CALENDÁRIO JUDÁICO


Para criar o seu calendário anual Israel se inspira na experiência dos seus vizinhos; Egito e a Mesopotâmia. Eles contavam o dia baseado no movimento da lua. Eles adotavam, pois, um calendário lunar.


OS SACRIFÍCIOS

Na Bíblia hebraica, Deus ordena que os israelitas ofereçam sacrifícios de animais no santuário, ou tabernáculo. 
Algo comum entre os pagãos era a prática do sacrifício, que influenciou o culto de Israel.
Quando os israelitas já haviam chegado à terra de Canaã, ordenou-se que todos os sacrifícios terminassem, exceto os que aconteciam no Templo de Jerusalém. Na Bíblia, Deus pede sacrifícios como um sinal de sua aliança com povo de Israel. O sacrifício também era feito para que Deus perdoasse os pecados, uma vez que o animal estaria sendo punido no lugar do pecador.
  

FESTA DA PÁSCOA


 A origem da festa é pagã, ela precede a instalação do povo de Israel na terra de canaã, ela está ligada a vida nômade de pastores de rebanhos de cabra e de ovelhas que são obrigados a mudar-se constantemente a procura de pasto para o rebanho. Cada mudança constitui para estes pastores uma verdadeira aventura, pois, eles são obrigados a se aventurar por terrenos desconhecidos que oferecem para eles e para o rebanho todo tipo de perigo. 

Os pastores tentam então se proteger destes perigos através de rituais de sacrifícios antes de partir para um novo lugar, uma nova pastagem. 

Para os nômades a celebração começa ao cair da tarde as vésperas da próxima mudança de lugar. 

 Eles imolam um cordeiro ou um cabrito que os participantes assam sem quebrar nenhum osso e depois comem com pão sem fermento e com ervas amargas. O pão sem fermento seria a comida do beduíno, as ervas amargas serviriam como um tipo de tempero que dá um certo gosto a comida. Eles comiam tudo sem deixar nenhum resto. Durante a refeição eles estavam prontos para partir, com os rins singidos e com as sandálias nos pés.

 Com o sangue da vítima eles marcavam as entradas das cabanas como um sinal de proteção contra as forças destruidoras. O Sangue protegeria, assim, os animais dos futuros perigos. Mais tarde esse costume é assumido pelos antigos pastores de Israel, ainda quando estes eram seminômades. Para estes, o ritual era feito na primavera e na lua cheia. Eles faziam o mesmo ritual desta vez com o objetivo de proteger suas casas e seus hóspedes dos possíveis males. Resumindo, vários escritores concordam então que a páscoa judaica  teve sua origem no mundo seminômade de Israel, que por sua vez tem suas raízes no mundo nômade pagão.




FESTA DE PENTECOSTES

Ela é no começo uma festa agrária e de orígem cananeana. É somente próximo a era cristã que ela é colocada em relação com historia Santa. A partir daí ele se torna a festa da Aliança ou da Lei ele passa assim a ser relacionada com os eventos do Sinai. Celebrada na primavera ele é até hoje relacionada com a colheita.




FESTA DAS TENDAS

Sukkot é em primeiro lugar a festa da colheita. Ela está ligada a colheita da uva feita pelos os cananeus no começo do outono. 


A colheita da uva era para os cananeus uma ocasião de celebrar a divindade que permitiu a vinha de dar bons frutos, em segundo lugar era um momento para eles de festejar junto uma boa safra . Os cananeus construiam cabanas com folhas, elas lhes serviam de habtação que dia lhes protegiam do sol e a noite do sereno. Durante acoheita eles habtavam nessas cabanas para vigiar de perto suas colheitas.

Geralmente a festa era uma ocasião para se beber bastante.


Essa festa vai ser copiada pelos Israelitas
que aproveitam do momento da colheita de seus produtos de outonos para festajar também o seu Deus. O livro dos Juizes 21,19-23 é uma prova clara de que no começo sukkot era apenas uma festa da colheita, na qual os Israelitas festavam a colheita e celebravam o seu Deus.











 Zeus, o pai dos deuses , era o Pai , rei do céu e da terra.
Podemos ver, aí, um paralelo na crença em um Pai todo-poderoso, criador do céu e da terra.

Nem por isso, nossa fé é pagã,
 ela possui aspectos distintos do paganismo, mesmo que tenha coisas parecidas e possamos encontrar paralelos.





18. A SUBSTITUIÇÃO DO PAGANISMO E SUAS PRÁTICAS PELO CRISTIANISMO SE DEU LENTAMENTE.






Desde o século IV, quando se tornou religião oficial do Império Romano, o cristianismo (Igreja Católica) e o paganismo começaram a disputar espaço e influência entre os fiéis.

História

A primeira proibição efectiva dos cultos pagãos foi decretada no Império Romano em 392. 

Por essa altura, deu-se a última séria tentativa da aristocracia apresentar um pretendente pagão à chefia do Império.

Em 435 as medidas contra o paganismo foram reforçadas com a pena de morte para quem continuasse a fazer rituais pagãos, que envolviam sacrificios humanos e de animais.

 As dificuldades da Igreja ainda cresceram com as invasões bárbaras do século V. 

A maioria dos invasores eram pagãos, mas verificou-se um ponto de viragem à volta do ano 500, quando os Francos se converteram do paganismo ao cristianismo. 

Com a conversão dos lombardos arianos e dos pagãos anglo-saxónicos à volta do ano 680, o cristianismo passou a dominar quase por completo o espaço cultural da Europa ocidental.

Entre os habitantes do campo e nos estratos mais baixos da sociedade, porém, o paganismo continuou de forma mais ou menos mitigada.

 Os pagãos não se tornaram cristãos do dia para a noite. 

Os sacerdotes cristãos passaram a cristianizar muitas festas pagãs, dando-lhes um novo sentido,a fim de evangelizá-los, algo totalmente bíblico, como vimos acima, já que o mesmo foi feito gradualmente por Israel ao ser confrontado com outras culturas.

A maioria dos templos Pagãos foram sendo derrubados e no seu lugar erigidas igrejas da nova fé.

 O que a Igreja não conseguía destruir das antigas práticas religiosas, adaptava, transformando-as em práticas cristãs.

 No Natal, por exemplo, mantiveram-se ao lado do culto associado ao nascimento de Jesus, as fogueiras e as festas dos caretos (no nordeste transmontano de Portugal), etc. 

Nessa época os Romanos festejavam Saturno e o nascimento do deus Mitra - cultuado entre os soldados romanos. 

Os camponeses começaram a aceitar a religião que falava de Jesus, um homem que havia sido pregado na cruz pelos romanos. 

Ele lembrava o deus Odin que havia se pendurado em uma árvore para adquirir a sabedoria das Runas.




Com o tempo passaram a associar Maria, mãe de Jesus, à Mãe Terra, o que não significa que ela foi endeusada, mas foi usada como figura estratégica na evangelização.



Durante um longo período, houve uma fé dupla: acreditavam em Jesus, mas não abandonavam inteiramente as suas crenças e práticas pagãs. 

Isso foi mais claro nas regiões germânicas onde a influência do cristianismo faz-se sentir nas inscrições em que se nota uma clara mistura das duas crenças quando lemos em uma mesma pedra a invocação de protecção ao deus Thor e, ao mesmo tempo, ao Cristo.

Algumas orações cristãs de gosto popular, apresentam paralelismos em recitações de encantamentos pagãos, o que mostra a estratégia dos sacerdotes para substituir a antiga religião.

 Algumas invocavam Jesus e diversos deuses Celtas a um só tempo. Não vamos pensar que tal dominação ocorreu de forma pacífica ou rápida.

 Na verdade, a Igreja Católica nunca conseguiu extinguir, de fato, as crenças classificadas pagãs, pois é uma ilusão achar que uma história cultural possa ser substituída do dia para a noite.



No final do século XIV, a perseguição aos "hereges" assumiu também a forma de perseguição a cultos e práticas pagãs. 

Durante quase 400 anos, muitas pessoas morreram acusadas de prática de bruxaria, época conhecida como "Caça às bruxas".

 Muitos dos acusados eram denunciados por médicos, tentando implantar a medicina científica contra os curandeiros e "bruxos" adeptos das medicinas naturais.

Desde finais do século VII e até 1789 - ano da Revolução Francesa - o paganismo esteve praticamente ausente nas altas esferas intelectuais e políticas do mundo ocidental.

Podemos concluir que as acusações de que a Igreja Católica é pagã é fruto apenas de ignorância e falta de bom senso. 

Ignorância dos fatos e influências históricas e culturais que modelaram tanto a Bíblia quanto a Igreja.

 A Igreja teve uma história de lutas ideológicas e usou todas as estratégias possíveis para fazer sua doutrina,a mensagem do o Evangelho, prevalecer sobre as culturas. 

A Igreja tem uma história de trevas e luz, mas para quem tem fé na palavra de Cristo : "o inferno não prevaleceu e nem prevalecerá sobre ela", pois o Espírito Santo a guia, como guiou a formulação das escrituras sagradas através da história do povo de Israel e da influência dos outros povos sobre ele.


Interessante é a observação de C. S. Lewis. Além de ser um dos maiores defensores da Fé Cristã dos últimos tempos, foi um renomado especialista em mitologias e estórias antigas. Segundo ele:

"A história de Cristo é simplesmente um mito verdadeiro. Um mito que trabalha em nós da mesma forma que os outros, mas com esta diferença tremenda: que ele realmente aconteceu e a pessoa deve estar contente em aceitá-lo na mesma forma, lembrando que é mito de Deus onde os outros são mitos dos homens; isto é, as histórias pagãs são Deus expressando a si mesmo por meio das mentes dos poetas, usando tais imagens como ele as encontrou lá, enquanto o cristianismo é Deus expressando a si mesmo por meio daquilo que chamamos de 'coisas reais' [...] a saber, a encarnação real, a crucificação e a ressurreição." (Hooper,1999).

Esta observação de C.S.Lewis parece estar em plena conformidade com o ensinamento de São Paulo:

"Os pagãos, que não têm a lei, fazendo naturalmente as coisas que são da lei, embora não tenham a lei, a si mesmos servem de lei; eles mostram que o objeto da lei está gravado nos seus corações, dando-lhes testemunho a sua consciência, bem como os seus raciocínios, com os quais se acusam ou se escusam mutuamente" (Rm 2,14-15) (grifos meus).







FONTES:

http://pt.scribd.com/doc/16864169/O-DILUVIO-EM-GILGAMESH-E-NO-GENESIS

    26 comentários:

    1. O Cristianismo não tem nada a ver com o Catolicismo. O Cristianismo não é uma religião, é um modo de vida. Tal como Cristo viveu, assim nós devemos seguir o exemplo. Viver uma vida espiritual. Desligar do lado material (carne).
      Em relação ao paganismo.. Até Cristo disse que não devíamos adorar a ele mas sim ao Pai que está no Céu.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Nada a ver é seu texto:
        1- O Cristianismo nasceu católico. Pegue os textos dos primeiros cristãos dos anos 100 - 500. Todos falam da Igreja Católica. Todos falam a doutrina católica. Aliás, tudo o que você sabe de Cristo, agradeça a Igreja Católica. Foi ela quem definiu a Bíblia, escolheu os evangelhos, definiu a divindade Cristo, o misterio da Trindade, definiu o Cristianismo em si.
        2- Cristianismo é religião. Filosofia não prega divindades. Leia sua Bíblia:
        Se alguém entre vós cuida ser religioso, e não refreia a sua língua, antes engana o seu coração, a religião desse é vã. Tiago 1:26
        A religião pura e imaculada para com Deus e Pai, é esta: Visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações, e guardar-se da corrupção do mundo. Tiago 1:27

        Jesus mesmo diz que fundou a Igreja:

        Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; Mateus 16:18

        Jesus e a Igreja formam um Corpo, um mistério, são um só:

        Grande é este mistério; digo-o, porém, a respeito de Cristo e da igreja. Efésios 5:32

        Vós, maridos, amai vossas mulheres, como também Cristo amou a igreja, e a si mesmo se entregou por ela, Efésios 5:25

        Porque nunca ninguém odiou a sua própria carne; antes a alimenta e sustenta, como também o Senhor à igreja; Efésios 5:29
        E sujeitou todas as coisas a seus pés, e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da igreja, Efésios 1:22


        Igreja não é você isolado é comunidade e devemos obediência aos ministros da Igreja:

        E, se não as escutar, dize-o à igreja; e, se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano. Mateus 18:17

        Lembrai-vos dos vossos pastores, que vos falaram a palavra de Deus, a fé dos quais imitai, atentando para a sua maneira de viver. Hebreus 13:7


        Obedecei a vossos pastores, e sujeitai-vos a eles; porque velam por vossas almas, como aqueles que hão de dar conta delas; para que o façam com alegria e não gemendo, porque isso não vos seria útil. Hebreus 13:17

        Se Jesus disse que é um com o Pai, é o Verbo de Deus e é Deus, como não vamos adorá-lo?
        Jesus é adorado:

        Ele disse: Creio, Senhor. E o adorou. João 9:38
        E, quando o viram, o adoraram; mas alguns duvidaram. Mateus 28:17
        E, adorando-o eles, tornaram com grande júbilo para Jerusalém. Lucas 24:52

        E outra vez, quando introduz no mundo o primogênito, diz:E todos os anjos de Deus o adorem. Hebreus 1:6



        Que com grande voz diziam: Digno é o Cordeiro, que foi morto, de receber o poder, e riquezas, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e ações de graças. Apocalipse 5:12


        Você diz que Cristo disse que não devíamos adorar a ele mas sim ao Pai que está no Céu. ONDE???!!!
        DEIXE DE INVENTAR HISTÓRIAS!!! VÁ ESTUDAR!!!!



        Excluir
    2. PRINCIPE ORION

      E vocÊ também é outro que está errado !

      Na bíblia sagrada não diz em versículo nenhum que a Igreja Católica era a de Deus.
      Nos próprios que vocÊ mencionou não fala nada sobre ''igreja católica''.
      Mas de fato, Deus tinha sua própria igreja, mas em lugar nenhum da bíblia diz o nome dela, embora ela exista sim.

      Em varios as pectos os católicos pregam ''paganismo'' mesmo não sabendo!

      Um exemplo é a oração da ''ave maria''. ,
      Primeiro pelo fato da Bíblia sagrada conter apenas que devemos Orar à Deus.

      A oração da Ave Maria foi instituída na igreja católica romana na segunda metade do ano 1508. Depois foi finalmente aprovada pelo Papa Sixtus V, ao final do Século XVI.

      Você pode ver que em Mateus Capítulo 6 Versículo 7 e 8 diz :

      E, orando, não useis de vãs repetições, como os gentios, que pensam que por muito falarem serão ouvidos. Não vos assemelheis, pois, a eles; porque vosso Pai sabe o que vos é necessário, antes de vós lho pedirdes”. (Mateus 6:7-8)

      Na oração da ''ave maria'' contém muitas e muitas repetições.

      Na Bíblia não encontramos a expressão “Ave”, como saudação a Maria ou a qualquer outra pessoa.

      O anjo saudou Maria usando a palavra “Salve”.

      E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres”. (Lucas 1:28)

      Com relação à expressão Maria “mãe de Deus”, ou seja, “mãe do próprio Criador do Universo”, esta é outra barbaridade, blasfêmia! Total falta de raciocínio, bom senso e conhecimento bíblico.

      Isso tuso é apenas um exemplo de um dos atos pagãos da Igreja Católica.

      Tem as falsas comemorações..
      Como por exemplo o Natal !

      Quando perguntamos as pessoas a origem dessa comemoração alegam ser o nascimento de Jesus.

      Mas em lugar algum da bíblia diz o dia em que Jesus nasceu. E a história vai ainda mais além sobre esse dia 25. Mas isso você terá que pesquisar, pois são assuntos muito complexos pra deixar em um comentário.


      E aproveito pra dizer uma coisa. Isso vai pro criador da pagina!

      Não iluda pessoas com essas mentiras, só de ler o começo ja vi barbaridades.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Leonardo Santos,
        vejamos suas contradições e argumentos fracos:

        1 - "Mas de fato, Deus tinha sua própria igreja, mas em lugar nenhum da bíblia diz o nome dela, embora ela exista sim."

        Onde está e esteve essa Igreja durante 2000 anos?
        Você estudou história?
        Responda:
        Quem fez a Bíblia? Quem deu o nome de Biblia à Bíblia?
        Quem escolheu os 4 Evangelhos quando existiam vários nos início dos séculos?
        Quem fez a lista dos livros do Novo Testamento?
        Quem decidiu que a Bíblia sria formada pelo Antigo e o Novo Tesmento?
        Quem fez a lista desses livros do Antigo e Novo Testamento?
        Quem dividiu a Bíblia em Capítulos e versículos?

        RESPOSTA: A IGREJA CATÓLICA!

        Responda: Qual a única Igreja que existiu por mais de 1000 anos desde os Apóstolos?
        Qual a Igreja que definiu que Jesus era Deus? Qual a Igreja que definiu que Desu estava em Três Pessoas e deu o nome a esse mistério de Santíssima Trindade?

        RESPOSTA: A IGREJA CATÓLICA!

        Jesus fala que fundou uma Igreja. Só uma Igreja existia.

        Qual o nome da Igreja fundada por Cristo que está presente em textos e Cartas de Bispos Cristãos dos anos 100, 200, 300, 400, 500?

        REPOSTA: A IGREJA CATÓLICA!!

        AGORA, CONTE-ME SUA TEORIA DE UMA IGREJA VIRTUAL SEM HISTÓRIA E PROVE COM DOCUMENTOS HISTÓRICOS.

        2 - OUTRO ARGUMENTO SEU SEM FUNDAMENTO :

        "Primeiro pelo fato da Bíblia sagrada conter apenas que devemos Orar à Deus."

        Em que parte da Bíblia se proíbe orar pedindo a intercessão dos Santos, invocando seus nomes?

        RESPOSTA: EM NENHUM LUGAR DA BÍBLIA SE DIZ ISSO!

        A Bíblia nos manda pedir a intercessão dos Santos:
        Gênesis 20,7; Jó 42,8; Êxodo 17,10-13; 2 Coríntios 1,8-11; Efésios 6,17-20; Filipenses 1,15-19;Colossenses 4,1-4; 2 Tessalonicenses 3,1-2; Hebreus 13,17-18

        Nas necessidades é bom pedir a ajuda dos Santos - Rom 12,13

        Orar invocando os nomes dos Santos e seus méritos para alcançar misericórdia diante de Deus é totalmente bíblico:
        Êxodo 32,13;
        Deuteronômio 9,27
        Salmos 105,42; 131,10;
        2 Reis 2,14, 13,23;
        Mateus 27, 46-49;
        Lucas 16, 24
        Devemos e podemos recordar os Santos e mencioná-los em oração - I Tessalonicenses 1,2-3

        A intercessão de um Santo pode muito: Tiago 5,15-18; 1 João 5,15-16; Provérbios 15,8. 29

        As almas dos justos que morreram nos rodeiam como testemunhas e intercedem - Hebreus 12,1; Apocalipse 5,7-8; Apocalipse 6,8-10; Mateus 9,4; Marcos 12,27; Lucas 16,21-31


        Excluir

      2. Leonardo Santos,

        3- ARGUMENTO SEU DE FALTA DE ESTUDO DO TEXTO GREGO:

        "E, orando, não useis de vãs repetições,...”. (Mateus 6:7-8)
        Na oração da ''ave maria'' contém muitas e muitas repetições."

        Original Grego:

        "προσευχόμενοι δὲ μὴ βατταλογήσητε ὥσπερ οἱ ἐθνικοί, δοκοῦσιν γὰρ ὅτι ἐν τῇ πολυλογίᾳ αὐτῶν εἰσακουσθήσονται. Transliterado: proseucomenoi de mh battologhshte wsper oi eqnikoi dokousin gar oti en th polulogia autwn eisakousqhsontai"

        "βατταλογήσητε" tem a acepção de gaguejar, isto é, (por conseqüência) tagarelar tediosamente, isto é, FICAR FALANDO, FALANDO exatamente como fazem alguns protestantes.

        Nada, portanto de "vãs repetições" como adulteram os protestantes para perseguir e condenar os católicos.

        Rezar é um termo que engloba várias formas de oração, a mental, a vocal, a cntemplação e amental. Vocês só conhecem a forma Orar. Nós rezamos, meditamos, contemplamos, fazemos orações vocais, mentais, e recitamos orações, fórmulas já escritas.

        A Bíblia nos fala que JESUS REPETIU UMA ORAÇÃO TRÊS VEZES e que há várias fórmulas de oração, como os Salmos que podemos rezar, cantar.

        A Bíblia tem Orações repetitivas? Sim!

        Leia: Números 6,22-27; Salmos 105(106), 106 (107); 117 (118); Isaías 6,3; Mateus 26,44; Marcos 14,39; Apocalipse 4,8-11; 15,3-4

        4 - ARGUMENTO FUNDAMENTALISTA SEU:

        "Na Bíblia não encontramos a expressão “Ave”, como saudação a Maria ou a qualquer outra pessoa.
        O anjo saudou Maria usando a palavra “Salve”."


        Isso é uma questão de Tradução sem importância
        O Evangelho foi escrito em Grego. O Papa Dâmaso pediu a São Jerônimo para traduzi-lo para o latim, língua do Império Romano e dos cristãos de Roma já pelo ano 300.

        São Jerônimo traduziu a saudação do Grego " Deus te Salve" pela saudação Romana "Ave".
        Os romanos usavam a forma "Ave" para saudar uns aos outros.

        Ave, Salve, ou Deus te Salve, tanto faz. Em espanhol, reza-se: "Deus te salve, Maria, Lhena eres de Gracias".

        Questão de tradução sem importância de fato. Cada língua deve fazer sua adpatação. Em Inglês reza-se: Hail, Mary!
        Nada demais. Maria entende do mesmo jeito.

        Excluir
      3. 5 - ARGUMENTO SEU POR FALTA DE ESTUDO DO CATECISMO:

        " à expressão Maria “mãe de Deus”, ou seja, “mãe do próprio Criador do Universo”, esta é outra barbaridade, blasfêmia!"
        Preste atenção:

        Jesus é Deus. + Maria é Mãe de Jesus = Maria é Mãe de Deus.
        1+1=2

        Você está confundido ou interpretando errado a Bíblia. No ano 300, no Concílio de Niceia, a Igreja declarou que Cristo é Deus, o dogma da Divindade de Cristo, foi o primeiro dogma da Igreja.


        Deus é UM SÓ em TRÊS PESSOAS:

        Há um só corpo e um só Espírito, como também fostes chamados em uma só esperança da vossa vocação;
        Um só Senhor, uma só fé, um só batismo;
        Um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, e por todos e em todos vós.
        Efésios 4:4-6

        19 Ide, pois, e ensinai a todas as nações; batizai-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.Mateus 28,19

        Jesus é Filho do Pai:

        Graça, misericórdia e paz, da parte de Deus Pai e da do Senhor Jesus Cristo, o Filho do Pai, seja convosco na verdade e amor. 2 João 1:3

        O Filho é igual ao Pai:
        “Eu o e o Pai somos um”.
        João 10,30

        Jesus é Filho do Pai concebido pelo Espírito Santo:

        Ora, o nascimento de Jesus Cristo foi assim: Que estando Maria, sua mãe, desposada com José, antes de se ajuntarem, achou-se ter concebido do Espírito Santo. Mateus 1:18

        Logo, Jesus é Filho do Pai pelo Espírito Santo que fez Maria conceber. Assim, Maria é Esposa do Espírito Santo ao mesmo tempo em que é Mãe e Filha de Deus.
        Complicado?
        É o que chamamos de mistério... e por isso Ela é admirada. Está dentro de um mistério profundo e único, que nenhum ser humano está.


        A Santíssima Trindade toda habitou em Maria de forma única:

        E, respondendo o anjo, disse-lhe: Descerá sobre ti o Espírito Santo, e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra; por isso também o Santo, que de ti há de nascer, será chamado Filho de Deus.
        Lucas 1:35


        Maria é Mãe de Jesus:
        E, ao terceiro dia, fizeram-se umas bodas em Caná da Galiléia; e estava ali A MÃE de Jesus.
        João 2:1

        Jesus é Deus, adorado:

        E, quando viu Jesus ao longe, correu e adorou-o. Marcos 5:6

        E, indo elas a dar as novas aos seus discípulos, eis que Jesus lhes sai ao encontro, dizendo: Eu vos saúdo. E elas, chegando, abraçaram os seus pés, e o adoraram. Mateus 28:9

        18 Porque por ele ambos temos acesso ao Pai em um mesmo Espírito.
        Efésios 2



        O Filho , chamado de Verbo, que é Deus, se encarnou em Maria:

        1 No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus.
        Ele estava no princípio com Deus.
        Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez.
        João 1:1-3

        14 E o Verbo se fez carne, e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade
        João 1,14

        Maria é Mãe de Deus, não é deusa, é humana. Não é adorada, é venerada, honrada, amada, pois esteve intimamente unida a Deus num mistério inigualável e único que nenhum ser humano jamais experimentará. É uma honra a visita dela, como nos diz Santa Isabel no Evangelho de Lucas.


        Deus se fez Homem.
        Deus não é Metade Homem e Metade Deus.
        Jesus é Deus Totalmente e Homem Totalmente ao mesmo tempo.
        Jesus não é um Semi deus.

        6 -ARGUMENTO FUNDAMENTALISTA POR FALTA DE ESTUDO DE HISTÓRIA.

        Ao converter os romanos, a Igreja precisou destruir a festa do Deus do Sol, que continuava a acontecer.

        Essa festa foi substituída pela festa DO VERDADEIRO DEUS SOL, QUE É JESUS:

        8E isso, por causa das profundas misericórdias de nosso Deus, através das quais dos céus NOS VISITARÁ O SOL NASCENTE (JESUS), 79para iluminar aqueles que estão nas trevas...
        (Lucas 1,78-79)

        E a Igreja conseguiu. Ninguém se lembra mais de um deus sol pagão . Todos se lembram que Jesus nasceu, o verdadeiro Sol.

        Isso é uma festa litúrgica. A Liturgia é tornar presente uma fato sagrado que aconteceu.

        O Natal pode e deve ser comemorado sempre. Sempre devemos lemrbar que Jesus nasceu.

        Nada demais.

        A Igreja cristianizou uma festa que era pagã, destruindo, assim, o paganismo.

        Excluir
    3. Há um detalhe, por mais que a Bíblia tenha influencia pagãs, as doutrinas básicas do cristianismo é que a solidifica e não estão contaminadas.

      Em termo gerais o que complica o catolicismo romano é seu entendimento sobre a justificação forense pela fé, algo que não é aceito e entendido. Só que a justiça forense é base da religião cristã o que falta ao catolicismo é esse entendimento correto. E contra essa doutrina não há argumento, simples assim.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. As doutrinas básicas do Cristianismo, assim como a Bíblia, foram estabelecidas pela Igreja Católica também. A crença na Divindade de Cristo e no MIstério da Trindade, que são a base do Cristianismo foram estabelecidas pela Igreja Católica.

        Leia os textos dos Bispos dos anos 100,200,300,400, e veja que tudo o que eles pregavam, nossa Igreja ainda prega.

        Acho que a Carta de São Tiago é um argumento inegável à sua Doutrina mal entendida da justificação "somente" pela fé:

        "Assim também a fé, se não tiver as obras, é morta em si mesma.
        Mas dirá alguém: Tu tens a fé, e eu tenho as obras; mostra-me a tua fé sem as tuas obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.
        Tu crês que há um só Deus; fazes bem. Também os demônios o crêem, e estremecem.
        Mas, ó homem vão, queres tu saber que a fé sem as obras é morta? (...)
        Porque, assim como o corpo sem o espírito está morto, assim também a fé sem obras é morta."
        Tiago 2:8-26

        Os protestantes luteranos e os católicos assinaram uma Declaração Conjunta da Justificação em 1999, resolvendo de vez essa ideia torta que você tem.

        A justificação é graça de Deus dada pela fé, mas Deus não nos salvará se não fizermos por onde. A fé deve se traduzir em obras. "Nem todo que diz Senhor será salvo". Já leu esse versículo no Evangelho?

        Estude nosso Catecismo e lá você verá uma ótima explicação sobre a Justificação:

        http://catecismo-az.tripod.com/conteudo/a-z/j/justificacao.html

        Leia também esse texto:

        http://www.veritatis.com.br/doutrina/fe-e-obras/948-a-graca-e-a-justificacao

        Discordo de você ao dizer que o que complica o Catolicismo é seu conceito de salvação de fé e obras.

        Pelo contrário, é isso o que o diferencia.
        A Igreja Católica é a instituição que mais possui obras de caridade no mundo. Era pelo amor que os cristãos eram admirados no início do Cristianismo, como nos diz os Atos dos Apóstolos.

        Estranho são as igrejas recolherem dizímo e nada fazerem pelos mais pobres, enriquecendo apenas os pastores ou só ajudarem os de sua própria igreja. Isso é que não é Cristianismo.

        Será que essa concepção de que não precisamos de obras não influenciou nosso mundo capitalista?
        Será que as pessoas não estão mais egoístas no Brasil depois que algumas igrejas começaram a afirmar que não precisamos fazer caridade para se arpoximar de Deus?

        Agora, o dízimo é uma cobrança enorme. Não é estranho?

        Excluir
      2. omo pela desobediência de um homem muitos se tornaram pecadores, assim também por meio da obediência de um só muitos se tornarão justos”.

        A propagação de uma natureza corrupta desde nosso pai Adão é uma correta verdade bíblica e teológica, mas nesta passagem não é a ênfase de Paulo (comparar com Rom. 5: 12 em diante). Sua ênfase é esta: Devido a nossa ligação com Adão, o que resulta judicialmente é a condenação. Não obstante, dada a nossa ligação com Cristo o que procede judicialmente é a justificação. Assim como a condenação não significa “tornar mau”, de igual forma a justificação não significa “tornar bom”.

        Considerando a antítese de “justificar” (“condenar”) podemos ver que “justificar” significa “absolver” e não “tornar justo”. As expressões usadas nas passagens bíblicas revelam que são derivadas, não da operação de purificar a alma ou de infundir justiça nela, mas do procedimento das cortes em seus julgamentos, ou de pessoas ofendidas em seu perdão junto aos ofensores (comparar com Rom. 8:33, 34).

        Continua

        Excluir
      3. 3. Ao determinar o verdadeiro significado bíblico de justificação, um exame das expressões equivalentes demonstra que elas comunicam a mesma ideia que no sentido jurídico de “justificar” e de “justificação”. [Ver Deut. 25:1; Prov. 17:15].

        Em João 3:18, a recompensa de crer não é a purificação (conquanto verdadeiramente esta a siga) mas a não-condenação; ou seja, absolvição ou justificação. De igual forma, diz-se que ouvir a palavra de Jesus e crer Nele (João 5:24) traz, não a liberdade da corrupção, mas a liberdade da condenação em juízo.

        Quiçá a passagem que mais claramente apresente o significado de um equivalente da justificação é 2 Coríntios 5: 19-21. No verso 19 é explicada a obra de reconciliação, não de como purificar os homens de seus pecados, mas de como “não imputando aos homens as suas transgressões”. A justificação é a não imputação do pecado. O verso 21 estabelece claramente: “Aquele que não conheceu pecado, Ele o fez pecado por nós, para que Nele fôssemos feitos justiça de Deus”.

        Em que sentido foi Cristo feito pecado? Por imputação ou por comunicação? Contando-o ou reconhecendo-o como pecador, o tornando-o um pecador? Pode haver só uma resposta a fazer justiça à evidência bíblica: Cristo foi feito pecado por imputação, não por comunicação, tendo nosso pecado sobre Si, não em Si! De igual modo, podemos perguntar como somos feitos justiça de Deus em Ele. A resposta é a mesma. Somos feitos justiça de Deus por imputação, não por comunicação. Somos tratados como se fôssemos justos e não porque somos justos em nós mesmos de fato. Cristo foi tratado como pecador porque veio e tomou nosso lugar e nós tratados como justos porque, mediante a fé, nos apropriamos de Sua sorte.

        Continua

        Excluir
      4. 4. Falar da justificação, no sentido de “tornar justo” é dar à justificação o mesmo significado que a santificação tem na maior parte das Escrituras. A justificação e a santificação chegam a ser sinônimas, ambas significando “tornar santo”. O que nas Escrituras tem o sentido de uma libertação externa da sentença do pecado (justificação) é mudado para algo que significa uma liberação interna do poder do pecado (santificação). Esta é a posição oficial da Igreja de Roma, a sua igreja. O que a Bíblia ensina como um processo judicial, Roma transformou na infusão de uma qualidade. Contudo, um processo judicial e a infusão de uma qualidade são coisas verdadeiramente diferentes! O Concilio de Trento, e alguns de seus devotos que o seguiram, caíram no terrível erro de fazer com que uma figura represente duas coisas inseparáveis, porém bastante diferentes, perdão (liberdade da pena do pecado) e renovação (liberdade do poder do pecado). O Concilio declarou que a justificação consiste em ambas as coisas: a remissão e a renovação interna.

        O Catolicismo romano tem falado assim: Quando se leva a cabo a justificação, quer isto dizer que nada sucede no crente? A resposta a esta pergunta é—Não! Logo, diz Roma, se também algo sucede dentro do crente, por que fazer com que a justificação se refira somente à realidade externa?

        A resposta a isto é que a realidade tida em mente deve corresponder à figura empregada. Entender a justificação como incluindo a conseqüência necessária da santificação é como tomar a expressão figurada do “pé de um monte” para que signifique tanto a base como o cume da montanha. Não se pode separar a base do cume, mas não se deve usar a figura do pé para incluir, ao mesmo tempo, o cume. Tal como o pé e o cume da montanha são inseparáveis, assim também a justificação e a santificação são inseparáveis. Sem embargo, tal como se deve distinguir entre o pé da montanha e seu cume, assim se deve distinguir entre a justificação e a santificação. Ainda assim, porém, tal como não se inclui necessariamente o cume da montanha quando alguém se refere a seu pé, não se necessita referir necessariamente à santificação quando se fala da justificação.

        Um abraço querido irmão! E fique na paz.

        Excluir
      5. Quer dizer que aceitei Jesus estou salvo? Posso roubar, matar, mentir,adulterar, pecar à vontade?
        É isso que sua doutrina deixa a entender.
        Você leu os documentos que citei? Não! Leu o Catecismo da Igreja Católica? Não!

        Veja o que a Igreja Católica, no site do Vaticano, em seu documento" DECLARAÇÃO CONJUNTA SOBRE A DOUTRINA DA JUSTIFICAÇÃO", em que dialoga com os protestantes luteranos escreveu:

        "9. No Novo Testamento os temas "justiça" e "justificação" são abordados de maneira diferenciada em Mateus (cf. 5, 10; 6, 33; 21, 32), em João (cf. 16, 8-11), na Epístola aos Hebreus (cf. 5, 13; 10, 37 s.) e na Epístola de Tiago (cf. 2, 14-26). [10] Também nas cartas paulinas o dom da salvação é descrito de diferentes modos, entre outros como "libertação para a liberdade" (Gl 5, 1-13; cf. Rm 6, 7), como "reconciliação com Deus" (2 Cor 5, 18-21; cf. Rm 5, 11), como "paz com Deus" (Rm 5, 1), como "nova criação" (2 Cor 5, 17), como "vida para Deus em Cristo Jesus" (Rm 6, 11-23) ou como "santificação em Cristo Jesus" (cf. 1 Cor 1, 2; 1, 30; 2 Cor 1, 1). Salienta-se entre esses conceitos a descrição como "justificação" do pecador pela graça de Deus na fé (cf. Rm 3, 23-25), que foi destacada de maneira especial no tempo da Reforma."


        11. Justificação é perdão dos pecados (cf. Rm 3, 23-25; At 13, 39; Lc 18, 14), libertação do poder dominante do pecado e da morte (cf. Rm 5, 12-21) e da maldição da lei (cf. Gl 3, 10-14). Ela significa acolhida na comunhão com Deus, já agora, mas de forma plena no reino vindouro de Deus (cf. Rm 5, 1 s.). Une com Cristo e sua morte e ressurreição (cf. Rm 6, 5). Acontece no recebimento do Espírito Santo no batismo como incorporação no corpo uno (cf. Rm 8, 1 s., 9 s.; 1 Cor 12, 12 s.). Tudo isso provém somente de Deus, por amor de Cristo, por graça, pela fé no "evangelho de Deus com respeito a seu Filho" (cf. Rm 1, 1-3)."

        Leu? Acho que o que o Vaticano diz é o que você diz ou não?

        Excluir
      6. Onde está o problema? Em vocês enfatizarem que a salvação é apenas fé.

        São Tiago diz que a fé se mostra em obras e Jesus nos diz que nem todo que diz Senhor entrará no céu (Mateus 7:21), e que no último dia ele nao perguntará se você leu a Bíblia ou foi à Igreja, mas dirá:


        "Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo;
        Porque tive fome, e destes-me de comer; tive sede, e destes-me de beber; era estrangeiro, e hospedastes-me;
        Estava nu, e vestistes-me; adoeci, e visitastes-me; estive na prisão, e foste me ver.
        Mateus 25:34-36
        Então os justos lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, e te demos de comer? ou com sede, e te demos de beber?
        E quando te vimos estrangeiro, e te hospedamos? ou nu, e te vestimos?
        E quando te vimos enfermo, ou na prisão, e fomos ver-te?
        E, respondendo o Rei, lhes dirá: Em verdade vos digo que quando o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes.
        Então dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos;
        Mateus 25:37-41
        Porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;
        Sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e enfermo, e na prisão, não me visitastes.
        Então eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão, e não te servimos?
        Então lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim.
        E irão estes para o tormento eterno, mas os justos para a vida eterna."
        Mateus 25:42-46

        É Deus quem nos justifica, mas Deus não nos salva se nós não fizermos por onde.
        Colabore:


        assim também OPERAI A VOSSA SALVAÇÃO COM TEMOR E TREMOR
        Filipenses 2:12


        Aquele, pois, que cuida estar em pé, OLHE NÃO CAIA.
        1 Coríntios 10:12

        O problema de vocês protestantes é sempre o mesmo.
        Vocês pegam um trecho da Bíblia e acham que sabem de tudo
        Vocês não procuram confrontar os textos, entender o contexto e nem levam em conta a interpretação dos primeiros cristãos, nossa tradição de fé.

        Vocês leem um trecho de Paulo dizendo que a justificação vem pela fé e pronto.
        E jogam fora a Carta de Tiago que diz que a fé se manifesta em obras.

        E o incrível é que se acham donos de uma verdade que vocês não têm história, nem tradição alguma sobre ela.

        Leia o catecismo da Igreja Católica,e consulte os documentos do Vaticano antes de falar mal de nossa fé.


        Veja a DECLARAÇÃO CONJUNTA SOBRE A
        DOUTRINA DA JUSTIFICAÇÃO em:

        http://www.vatican.va/roman_curia/pontifical_councils/chrstuni/documents/rc_pc_chrstuni_doc_31101999_cath-luth-joint-declaration_po.html

        Excluir

      7. Olha o que protestantes luteranos e católicos escreveram na DECLARAÇÃO CONJUNTA SOBRE A
        DOUTRINA DA JUSTIFICAÇÃO :

        22. Confessamos juntos que Deus, por graça, perdoa ao ser humano o pecado, e o liberta ao mesmo tempo do poder escravizador do pecado em sua vida e lhe presenteia a nova vida em Cristo. Quando o ser humano tem parte em Cristo na fé, Deus não lhe imputa seu pecado e, pelo Espírito Santo, opera nele um amor ativo. Ambos os aspectos da ação graciosa de Deus não devem ser separados. Eles estão correlacionados de tal maneira que o ser humano, na fé, é unido com Cristo que em sua pessoa é nossa justiça (cf. 1 Cor 1, 30): tanto o perdão dos pecados quanto a presença santificadora de Deus. Porque católicos e luteranos confessam isso conjuntamente, deve-se dizer:

        "23. Quando luteranos enfatizam que a justiça de Cristo é nossa justiça, querem sobretudo assegurar que ao pecador, pelo anúncio do perdão, é representada a justiça perante Deus em Cristo e que sua vida é renovada somente em união com Cristo. Quando dizem que a graça de Deus é amor que perdoa ("favor de Deus") [12], não negam com isso a renovação da vida do cristão, mas querem expressar que a justificação permanece livre de cooperação humana, tampouco dependendo do efeito renovador de vida que a graça produz no ser humano.

        24. Quando católicos enfatizam que ao crente é presenteada A RENOVAÇÃO DA PESSOA INTERIOR pelo recebimento da graça, [13] querem assegurar que a graça perdoadora de Deus sempre está ligada ao presente de uma nova vida, que no Espírito Santo se torna efetiva em amor ativo; mas NÃO NEGAM COM ISSO O DOM DA GRAÇA divina na justificação permanece independente de cooperação humana."

        Excluir
    4. Prezado irmão acho que você não leu também minhas considerações, nunca disse que o crente está agora apto a fazer o que bem entender! Onde disse isso? Em lugar nenhum! Agora tentar mesclar justificação pela fé e obras é um erro sem precedentes, e é isso que romanismo o faz, fazendo isso impede que sacrifico de Cristo seja total e completo. E esse é o problema do romanismo.

      O crente é justificado pela fé somente, a gratidão (boas obras) é o resultado de sua salvação da por Cristo e a sua obtenção (salvação ) não é por causa das boas obras.

      Ademais os meus primeiros comentários não foram postados, poderia colocá-los para que pudessem ler, podessem analisar e fazerem suas escolhas.

      Fique na paz!

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. Você não disse que o crente está apto a fazer o que bem entender, mas isso é algo que está implícito em sua doutrina, já que vocês pouco exigem a prática das boas obras.

        1 - Você desconhece nossa doutrina.
        AA IGREJA CATÓLICA AFIRMA QUE SOSMOS SALVOS PELO DOM GRATUITO DA GRAÇA DE DEUS. Ninguém é salvo pelas obras. Isso é deturpação protestante de nossa doutrina. SOMOS SALVOS E JUSTIFICADOS PELO SANGUE DE CRISTO. Isso é a base de nossa fé católica.

        VEJA O QUE O CATECISMO DA ÚNICA IGREJA FUNDADA POR CRISTO, NOSSA DOUTRINA DIZ:

        §1996 A graça NOSSA JUSTIFICAÇÃO VEM DA GRAÇA DE DEUS. A graça é favor, o socorro gratuito que Deus nos dá para responder a seu convite: tomar-nos filhos de Deus, filhos adotivos participantes da natureza divina, da Vida Eterna.


        §1989 A primeira obra da graça do Espírito Santo é a conversão que opera a justificação segundo o anúncio de Jesus no princípio do Evangelho: "Arrependei-vos (convertei-vos), porque está próximo o Reino dos Céus" (Mt 4,17). Sob a moção da graça, o homem se volta para Deus e se aparta do pecado, acolhendo, assim, o perdão e a justiça do alto. "A JUSTIFICAÇÃO COMPORTA A REMISSÃO DOS PECADOS, A SANTIFICAÇÃO E A RENOVAÇÃO DO HOMEM INTERIOR".

        §1987 GRAÇA E JUSTIFICAÇÃO A justificação A graça do Espírito Santo tem o poder de nos justificar, isto é, purificar-nos de nossos pecados e comunicar-nos "a justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo" e pelo batismo.


        §1991 A justificação é, ao mesmo tempo, o acolhimento da justiça de Deus pela fé em Jesus Cristo. A justiça designa aqui a retidão do amor divino. Com a justificação, a fé, a esperança e a caridade se derramam em nossos corações E É NOS CONCEDIDA A OBEDIÊNCIA À VONTADE DIVINA.


        §1992 A JUSTIFICAÇÃO NOS FOI MERECIDA PELA PAIXÃO DE CRISTO, que se ofereceu na cruz como hóstia viva, santa e agradável a Deus, e cujo sangue se tornou instrumento de propiciação pelos pecados de toda a humanidade. A justificação é concedida pelo Batismo, sacramento da fé. Toma-nos conformes à justiça de Deus, que nos faz interiormente justos pelo poder de sua misericórdia. Tem como alvo a glória de Deus e de Cristo, e o dom da vida eterna:

        Excluir
      2. Agora, porém, independentemente da lei, se manifestou a justiça de Deus, testemunhada pela lei e pelos profetas, justiça de Deus que opera pela fé em Jesus Cristo, em favor de todos os que crêem pois não há diferença, sendo que todos pecaram e todos estão privados da glória de Deus e são justificados gratuitamente, por sua graça, em virtude da redenção realizada em Cristo Jesus. Deus o expôs como instrumento de propiciação, por seu próprio sangue, mediante a fé. Ele queria assim manifestar sua justiça, pelo fato de ter deixado sem punição os pecados de outrora, no tempo da paciência de Deus; ele queria manifestar sua justiça no tempo presente, para mostrar-se justo e para justificar aquele que tem fé em Jesus (Rm 3,21-26)."


        §1266 A Santíssima Trindade dá ao batizado a graça santificante, a graça da justificação, a qual

        * torna-o capaz de crer em Deus, de esperar nele e de amá-lo por meio das virtudes teologais;

        * concede-lhe o poder de viver e agir sob a moção do Espírito Santo por seus dons;

        * permite-lhe crescer no bem pelas virtudes morais.

        Assim, todo o organismo da vida sobrenatural do cristão tem sua raiz no santo Batismo.

        §1990 A JUSTIFICAÇÃO APARTA O HOMEM DO PECADO, que contradiz o amor de Deus, e lhe purifica o coração. A JUSTIFICAÇÃO OCORRE GRAÇAS À INICIATIVA DA MISERICÓRDIA DE DEUS, QUE OFERECE O PERDÃO. A justificação reconcilia o homem com Deus; liberta-o da servidão do pecado e o cura.



        J.9.5 Justificação obra mais excelente do amor de Deus

        §1994 A justificação é a obra mais excelente do amor de Deus, manifestado em Cristo Jesus e concedido pelo Espírito Santo. Sto. Agostinho pensa que "a justificação do ímpio é uma obra maior que a criação dos céus e da terra", pois "os céus e a terra passarão, ao passo que a salvação e a justificação dos eleitos permanecerão para sempre". Pensa até que a justificação dos pecadores é uma obra maior que a criação dos anjos na justiça, pelo fato de testemunhar uma misericórdia maior.

        J.9.6 Perdão e justiça que vêm do alto aspectos d~ justificação

        §2018 A justificação, como a conversão, apresenta duas faces. Sob a moção da graça, o homem se volta para Deus e se afasta do pecado, acolhendo, assim, o perdão e a justiça que vêm do alto."

        ACHO QUE NOSSA DOUTRINA É IGUAL A SUA NO QUE CONCERNE AO FATO DE QUE A SALVAÇÃO É DOM GRATUITO DE DEUS E É DEUS QUEM NOS JUSTIFICA.

        ENTENDEU?
        ESPERO QUE SAIBA LER E INTERPRETAR PORQUE EM NADA ACHO DIFERENTE SEU PONTO DE VISTA DO NOSSO.

        HÁ UMA DIFERENÇA: VOCÊS DESPREZAM O VALOR E A NECESSIDADE DAS BOAS OBRAS.

        Mas nossa satisfação, aquela que pagamos por nossos pecados, só vale por intermédio de Jesus Cristo, pois, NÃO PODEMOS COISA ALGUMA POR NÓS MESMOS, "tudo podemos com a cooperação daquele que nos dá força"(Cf Fl 4,13). E, assim,NÃO TEM O HOMEM DE QUE SE GLORIAR, mas toda a nossa "glória" está em Cristo... em quem oferecemos satisfação, "produzindo dignos frutos de penitência (Cf Lc 3,8.), que dele recebem seu valor, por Ele são oferecidos ao Pai e graças a Ele são aceitos pelo Pai.

        §1815 O dom da fé permanece naquele que não pecou contra ela. Mas "é morta a fé sem obras" (Tg 2,26): ´PRIVADA DA ESPERANÇA E DO AMOR, A FÉ NÃO UNE PLENAMENTE O FIEL A CRISTO ( ou seja a fé deve se esxpressa na caridade e na esperança para unir o fiel ao Senhor, ENTENDEU? ) e não faz dele um membro vivo de seu Corpo.

        Excluir
      3. FORAM PUBLICADOS TODOS OS SEUS TEXTOS.
        SÓ NÃO SÃO PUBLICADOS NESTE BLOG TEXTOS DESRESPEITOSOS OU DE MAGIAS.

        ACHO QUE HÁ APENAS MAL ENTENDIDO DE SUA PARTE.

        ESTUDE NOSSA DOUTRINA NO SITE DO CATECISMO:
        http://catecismo-az.tripod.com/conteudo/a-z/j/justificacao.html


        Excluir
    5. Pode ter sido algum erro quando inseri na publicação e os comentários não foram.

      Não há desprezo para as boas obras, até porque elas é que dão respaldo a fé que possuo. Mas uma coisa bem diferente não são mescladas, andam de mãos juntas mas não se fundem. Essa é base da reforma de Lutero. Agora se existem movimentos petencostais e neo-petencostais que deturbam, não posso responder por eles.

      Pra finalizar, me responda as perguntas abaixo:

      Quem não participa da Eucaristia vai para o céu?

      Ou melhor o crente que não concorda com ela é digno de ir ao Céu?

      Existe salvação fora da igreja Católica Romana?

      PS: Por favor responda segundo a doutrina Católica Romana.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. ESSA É A DOUTRINA DE NOSSA IGREJA, NOSSO CATECISMO:

        §780 A IGREJA É no mundo presente O SACRAMENTO DA SALVAÇÃO, o sinal e o instrumento da comunhão de Deus e dos homens.

        §816 "A única Igreja de Cristo (...) é aquela que nosso Salvador depois de sua Ressurreição, entregou a Pedro para que fosse seu pastor e confiou a ele e aos demais Apóstolos para propagá-la e regê-la... Esta Igreja, constituída e organizada neste mundo como uma sociedade, subsiste na ( "subsistit in") Igreja Católica governada pelo sucessor de Pedro e pelos Bispos em comunhão com ele":

        O Decreto sobre o Ecumenismo, do Concílio Vaticano II, explicita: "Pois SOMENTE POR MEIO DA IGREJA CATÓLICA DE CRISTO, 'a qual é meio geral de salvação', PODE SER ATINGIDA TODA A PLENITUDE DOS MEIOS DE SALVAÇÃO. Cremos que o Senhor confiou todos os bens da Nova Aliança somente ao Colégio Apostólico, do qual Pedro é o chefe, a fim de constituir na terra um só Corpo de Cristo, ao qual é necessário que se incorporem plenamente todos os que, de que alguma forma, já pertencem ao Povo de Deus".



        §830 A palavra "católico" significa "universal" no sentido de segundo a totalidade" ou "segundo a integralidade". A Igreja é católica em duplo sentido. Ela é católica porque nela Cristo está presente. "Onde está Cristo Jesus, está a Igreja católica." Nela subsiste a plenitude do Corpo de Cristo unido à sua Cabeça o que implica que ela recebe dele "a plenitude dos meios de salvação" que ele quis: confissão de fé correta e completa, vida sacramental integral e ministério ordenado na sucessão apostólica. Neste sentido fundamental, a Igreja era católica no dia de Pentecostes e o será sempre, até o dia da Parusia.

        §1129 A Igreja afirma que PARA OS CRENTES (ENTENDA CATÓLICOS) OS SACRAMENTOS ( ENTRE ELES O DA EUCARISTIA) SÃO NECESSÁRIOS À SALVAÇÃO. A "graça sacramental" é a graça do Espírito Santo dada por Cristo e peculiar a cada sacramento. O Espírito cura e transforma os que o recebem, conformando-os com o Filho de Deus. O fruto da vida sacramental é que o Espírito de adoção deifica os fiéis unindo-os vitalmente ao Filho único, o Salvador.

        Excluir

      2. SOBRE OS PROTESTANTES OU "EVANGÉLICOS":


        §818 Os que hoje em dia nascem em comunidades que surgiram de tais rupturas "e estão imbuídos da fé em Cristo não podem ser argüidos de pecado de separação, e A IGREJA CATÓLICA OS ABRAÇA com fraterna reverência e amor... JUSTIFICADOS PELA FÉ RECEBIDA NO BATISMO; ESTÃO INCORPORADOS EM CRISTO, e por isso com razão são honrados com o nome de cristãos e merecidamente RECONHECIDOS PEOS FILHOS DA IGREJA CATÓLICA COMO IRMÃOS no Senhor".

        §1271 O Batismo constitui o fundamento da comunhão entre todos os cristãos, também com os que ainda não estão em comunhão plena com a Igreja católica: "Com efeito, aqueles que crêem em Cristo e foram validamente batizados acham-se em certa comunhão, embora não perfeita, com a Igreja católica. (...) "O Batismo, pois, constitui o vínculo sacramental da unidade que liga todos os que foram regenerados por ele."


        §816 "A única Igreja de Cristo (...) é aquela que nosso Salvador depois de sua Ressurreição, entregou a Pedro para que fosse seu pastor e confiou a ele e aos demais Apóstolos para propagá-la e regê-la... Esta Igreja, constituída e organizada neste mundo como uma sociedade, subsiste na ( "subsistit in") Igreja Católica governada pelo sucessor de Pedro e pelos Bispos em comunhão com ele":

        O Decreto sobre o Ecumenismo, do Concílio Vaticano II, explicita: "Pois somente por meio da Igreja católica de Cristo, 'a qual é meio geral de salvação', pode ser atingida toda a plenitude dos meios de salvação. Cremos que o Senhor confiou todos os bens da Nova Aliança somente ao Colégio Apostólico, do qual Pedro é o chefe, a fim de constituir na terra um só Corpo de Cristo, ao qual é necessário que se incorporem plenamente todos os que, de que alguma forma, já pertencem ao Povo de Deus".

        §819 Além disso, "muitos elementos de santificação e de verdade existem fora dos limites visíveis da Igreja católica": "A palavra escrita de Deus, a vida da graça, a fé, a esperança, a caridade, outros dons interiores do Espírito Santo e outros elementos visíveis" O espírito de Cristo serve-se dessas igrejas e comunidades eclesiais como meios de salvação cuja força vem da plenitude de graça e de verdade que Cristo confiou à Igreja católica. Todos esses bens provêm de Cristo e levam a Ele e chamam, por eles mesmos, para a "unidade católica".

        SOBRE OS DE OUTRA RELIGIÃO:

        I.7.18.2 Necessidade da Igreja para alcançar a salvação

        §846 Como entender esta afirmação, com freqüência repetida pelos Padres da Igreja? Formulada de maneira positiva, ela significa que toda salvação vem de Cristo-Cabeça por meio da Igreja, que é seu Corpo:

        Apoiado na Sagrada Escritura e na Tradição, [o Concílio] ensina que esta Igreja peregrina é necessária para a salvação. O único mediador e caminho da salvação é Cristo, que se nos torna presente em seu Corpo, que é a Igreja. Ele, porém, inculcando com palavras expressas a necessidade da fé e do batismo, ao mesmo tempo confirmou a necessidade da Igreja, na qual os homens entram pelo Batismo, como que por uma porta. Por isso NÃO PODEM SALVAR-SE aqueles que, sabendo que a Igreja católica foi fundada por Deus por meio de Jesus Cristo como instituição necessária, APESAR DISSO NÃO QUISEREM NELA ENTRAR OU NELA NÃO PERSEVERAR.

        §847 Esta afirmação NÃO VISA ÀQUELES QUE, SEM CULPA, DESCONHECEM CRISTO E SUA IGREJA:

        "Aqueles, portanto, que sem culpa ignoram o Evangelho de Cristo e sua Igreja, mas buscam a Deus com coração sincero e tentam, sob o influxo da graça, cumprir por obras a sua vontade conhecida por meio do ditame da consciência PODEM CONSEGUIR A SALVAÇÃO ETERNA".

        §848 "Deus pode, POR CAMINHOS DELE CONHECIDOS, levar à fé todos os homens que sem culpa própria ignoram o Evangelho. Pois 'sem a fé é impossível agradar-lhe' Mesmo assim, cabe à Igreja o dever e também o direito sagrado de evangelizar" todos os homens.§


        Excluir
    6. Prezado irmão o único problema (mal entendimento) do catolicismo é limitar a Salvação a Igreja como reza o parágrafo que senhor o citou:

      Apoiado na Sagrada Escritura e na Tradição, [o Concílio] ensina que esta Igreja peregrina é NECESSÁRIA para a salvação. O único mediador e caminho da salvação é Cristo, que se nos torna presente em seu Corpo, que é a Igreja. Ele, porém, inculcando com palavras expressas a necessidade da fé e do batismo, ao mesmo tempo confirmou a necessidade da Igreja, na qual os homens entram pelo Batismo, como que por uma porta. Por isso NÃO PODEM SALVAR-SE aqueles que, sabendo que a Igreja católica foi fundada por Deus por meio de Jesus Cristo como instituição necessária, APESAR DISSO NÃO QUISEREM NELA ENTRAR OU NELA NÃO PERSEVERAR.

      O sacrifício de Cristo na cruz não está limitado a uma instituição seja ela católica ou protestante, também não estou dizendo que a comunhão dos crentes (a igreja no sentido de comunidade) não seja importante. Afinal de contas a igreja somos nós e não unicamente uma instituição. Basta ler acuradamente 1 Corintios 12:27, Colossenses 1:18 etc

      Além disso Efésios 1: 22-23 diz:
      “E [Deus] colocou todas as coisas a seus [de Cristo] pés, e sobre todas as coisas constituiu como cabeça da igreja que é o seu [de Cristo] corpo…”

      NÓS, todos os crentes juntos, compomos o corpo de Cristo. A Palavra de Deus não diz que neste lugar há um corpo e em qual lugar há outro. Nem diz que esta denominação é um corpo, e a próxima seja outro. O que diz é que "vós sois o corpo de Cristo”, a igreja. A este “vós” eu pertenço, você pertence e geralmente todo crente renascido pertence. Tanto quanto a Palavra de Deus afete, não há distinção alguma, por causa de denominação, cor, status social, lugar onde se vive, ou por causa de qualquer outra razão. Na verdade, Gálatas 3:26-28 nos diz:

      Gálatas 3:26-28
      “Porque TODOS sois filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus. Porque todos quantos fostes batizados em Cristo já vos revestistes de Cristo. Nisto não há judeu nem grego; não há servo nem livre; não há macho nem fêmea; porque todos vós sois um em Cristo Jesus.”

      Nós somos todos, sem qualquer distinção, filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus e nós somos todos, novamente sem qualquer distinção e através da mesma fé, membros do corpo de Cristo.

      Que a igreja ou corpo é um e não muitos também está evidente por muitas outras passagens na Palavra de Deus. Na verdade, começando a partir de Romanos 12:4-5 nós lemos:

      Romanos 12:4-5
      “Porque assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma operação, assim nós, que somos muitos, somos um só corpo em Cristo, mas individualmente somos membros uns dos outros.”

      Também em 1 Coríntios 12:12-13 nos diz:
      “Porque, assim como o corpo é um, e tem muitos membros, e todos os membros, sendo muitos, são um só corpo, assim é Cristo também. Porque todos nós fomos batizados em um Espírito, formando um corpo, quer judeus, quer gregos, quer servos, quer livres, ...”

      Como é evidente a partir destas passagens, a igreja, o corpo de Cristo é um corpo que inclui todos os renascidos, i.e., todos aqueles que confessaram por suas bocas o Senhor Jesus e acreditaram em seus corações que Deus o renasceu da morte.

      A ideia do parágrafo que você citou entende-se que o sacrifício de Cristo não é completo e que a igreja é necessária nesse processo de salvação. Foi o que sempre disse desde o início o ato de justificar é um ato de DECLARAR e não de TORNAR justo o pecador, é um processo que SE DAR NO CÉU E NÃO NA TERRA, e não está limitada a um dogma ou igreja seja ela qual for.

      Além do mais a Salvação NÃO É ALGO QUE SE CONSEGUE (tornar justo), mas é ALGO QUE SE GANHA (declarar justo).

      Acho que já suficiente, não irei mais alongar o assunto, só quero deixar uma mensagem a você, por mais que você não faça parte da minha comunidade (igreja) vós estais salvos, já eu definidamente por não concordar estou perdido nesta visão católica.

      Um abraço e fique na paz.

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. VOCÊ LEU E ETENDEU NADA.
        1- A salvação como você mesmo prega é dado àquele que crê em Cristo e Jesus afirmou que precisamos ser batizados, não a Igreja:

        Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. Marcos 16:16

        Para crer e ser batizado é necessária a Igreja para administrar o sacramento:

        Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Mateus 28:19

        Logo, foi Cristo quem determinou que a salvação vem dele, mas passa pela sua Igreja. ENTENDEU?

        2 - A Igreja Católica afirma que todo legitimanmente batizado, como você creio, faz parte dela, logo irá ser salvo. É claro que você passou anos sendo instruído que nossa Igreja é a prostituta de Roma, a Besta e todas essas baboseiras que os protestantes inventaram.

        Por isso, por mais que explique e tente mostrar que temos a mesma fé, você reage e tenta negá-la. Natural, já que você cresceu ouvindo difamações, calúnias, distorções e mentiras sobre nossa fé. Mas vou pedir que tente buscar estudar mais e abrir bem os ouvidos para OUVIR o novo e o diferente, pois você só escuta o que já te disseram.

        3 - A IGREJA CATÓLICA É MUITO PROGRESSISTA, MAS QUE MUITAS PROTESTANTES EVANGÉLICAS AO ACEITAR VOCÊS COMO IRMÃOS E DIZER QUE SERÃO SALVOS, QUANDO VOCÊS A CALUNIAM.

        4- SEU ERRO É O DE TODO PROTESTANTE: ACREDITAR NUMA IGREJA VIRTUAL SEM HISTÓRIA, NA QUAL QUALQUER UM PODE FUNDAR UMA NOVA E CRIAR DOUTRINAS.

        4.1 - A IGREJA É UMA SÓ E É NECESSÁRIA POIS É CORPO DE CRISTO.
        Você se contradiz ao afirmar que a Igreja não é necessária citando a Bíblia que diz que a Igreja é o Corpo de Cristo.

        A IGREJA E CRISTO SÃO UM SÓ. ESPOSA E ESPOSO, CARNE DA MESMA CARNE. INSEPARÁVEL:

        E o Espírito e a esposa dizem: Vem. E quem ouve, diga: Vem. E quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida. Apocalipse 22:17

        4.2 - A IGREJA SEMPRE TEVE UNIDADE, UMA SÓ DOUTRINA. AS DIVISÕES PROTESTANTES E SUA LIVRE INTERPRETAÇÃO SEMPRE FORAM CONDENADAS PELA BÍBLIA:

        Um só Senhor, uma só fé, um só batismo; Efésios 4:5

        E eu dei-lhes a glória que a mim me deste, para que sejam um, como nós somos um. João 17:22

        Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. 2 Pedro 1:20

        E, se não as escutar, dize-o à igreja; e, se também não escutar a igreja, considera-o como um gentio e publicano. Mateus 18:17


        4. 3 OS APÓSTOLOS MANDAVAM GUARDAR A DOUTRINA, POIS A BÍBLIA É DETURPADA COMO OS PROTESTANTES FAZEM E SÓ UMA IGREJA TEM A DOUTRINA DESDE SUA ORIGEM, A CATÓLICA:

        Se alguém ensina alguma outra doutrina, e se não conforma com as sãs palavras de nosso Senhor Jesus Cristo, e com a doutrina que é segundo a piedade,
        É soberbo, e nada sabe, mas delira acerca de questões e contendas de palavras, das quais nascem invejas, porfias, blasfêmias, ruins suspeitas,
        1 Timóteo 6:3,4

        Retendo firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina, como para convencer os contradizentes. Tito 1:9

        Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina. Tito 2:1
        Tem cuidado de ti mesmo e da doutrina. Persevera nestas coisas; porque, fazendo isto, te salvarás, tanto a ti mesmo como aos que te ouvem. 1 Timóteo 4:16

        5- O SACRIFÍCIO DA CRUZ FOI DADO A TODOS OS HOMENS POR MEIO DA iGREJA DE CRISTO, QUE É SEU CORPO.

        NÃO ESQUEÇA CRISTO É UM COM A IGREJA. COMO VOCÊ QUE O SACRIFÍCIO NÃO ESTÁ LIMITADO A SUA IGREJA?

        TODO QUE ACEITA CRISTO SERÁ SALVO. TODO QUE ACEITA CRISTO FAZ PARTE DA IGREJA.

        QUEM NÃO O ACEITA ESTÁ CONDENADO:

        Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus. João 3:18

        Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. Marcos 16:16

        ISSO É UMA ESCOLHA. E TEMOS DE RESPEITAR A ESCOLHA DOS OUTROS. É O QUE NOSSA IGREJA ENSINA E QUE DEUS PODE SALVAR QUEM ELE QUISER POR MEIOS QUE NÃO SABEMOS, MAS TODO QUE É SALVO É SALVO POR MEIO DE SEU CORPO, A IGREJA, É INCORPORADO NELA DE ALGUMA FORMA.

        Excluir
      2. O engraçado é você repetir o que está escrito que a Igreja Católica ensina e se contradizer o tempo todo.

        Gostaria de lhe apontar essas contradições, mas vou pedir que leia o que você escreveu e o que eu coloquei do texto do Catecismo e veja como mais da metade você arrodeia e diz o mesmo que o Catecismo.

        Para terminar sobre essa questão boba de justificação, que é apenas distorção e mal entendido protestante:

        VOCÊ DIZ E CONCORDO, ASSIM COMO A IGREJA CATÓLICA ENSINA QUE " o ato de justificar é um ato de DECLARAR e não de TORNAR justo o pecador, é um processo que SE DÁ NO CÉU E NÃO NA TERRA"

        AGORA VOCÊ ERRA EM DIZER QUE " e não está limitada a um dogma ou igreja seja ela qual for".

        CRISTO ESTABLECEU QUE A SALVAÇÃO DEVE SER ADMINISTRADA POR MEIO DE SUA IGREJA, PELO BATISMO, O ENSINO, E OS DEMAIS SACRAMENTOS.

        COMO ALGUÉM PODE CHEGAR À SALVAÇÃO POR MEIO DE CRISTO SE A IGREJA NÃO O BATIZAR, NÃO O ENSINAR, NÃO LHE TRANSMITIR A FÉ? IMPOSSÍVEL NÉ? SÓ CONHECEMOS CRISTO PORQUE ALGUÉM ME ENSINOU.

        A IGREJA CATÓLICA NOS ENSINA, COMO VOCÊ DIZ QUE " a Salvação NÃO É ALGO QUE SE CONSEGUE (tornar justo), mas é ALGO QUE SE GANHA (declarar justo)."

        MAS A IGREJA CATÓLICA VAI ALÉM DE VOCÊS, POIS NOS ENSINA QUE SER APENAS BATIZADO SEM VIVER A FÉ, SEM A PRATICAR NÃO GARANTE SALVAÇÃO. PRECISA-SE VIVER A SANTIDADE, PRATICAR E PERSEVERAR NA FÉ:

        Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor;
        Hebreus 12:14

        assim também operai a vossa salvação com temor e tremor;
        Filipenses 2:12


        Mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.
        Mateus 24:13

        Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus.
        Mateus 7:21

        Excluir
    7. Maria não pode ser adorada como qualquer outro personagem bíblico.(Êxodo 20 4,5)
      Nenhum homem é digno de adoração.(Atos 14.14,15 ; 10.25,26).Apóstolos Paulo, Barnabé , Pedro e outros tremendamente usados por Deus não são dignos de serem comparados a Deus, ninguém é. Maria foi usada como um vaso de honra e foi achada digna de conceber o Senhor e isso já tinha sido profetizado que o Senhor viria para uma nova aliança, plano de Deus para as nossas vidas.(Isaías 7.14 ; 9.6 ; Miquéias 2.5 ; Zacarias 9.9 ; Salmos 22. Eu nunca ouvi um absurdo tão grande em dizer que Maria era uma trindade e esposa de Deus, se era esposa era para yer intimidade com o Pai, então porque não sabia os planos de Deus.(João 1-11)se tinha ela o Espírito Santo porque Ele não a revelou nada, deve ser porque estavam esperando a descida do Espírito Santo (Lucas 24.49 ; Atos 2 1-4). As outras coisas não li porque não pude

      ResponderExcluir
      Respostas
      1. JOão Victor Guimarães, abra os olhos e a mente para ler e entender.
        Você está difamando a fé católica e dizendo mentiras.
        1- Ninguém aqui disse que Maria é adorada.
        Chega a ser ridículo o fanatismo e a cegueira de vocês com essa acusação idiota de que adoramos Santos ou Maria! Vão estudar nossa Doutrina e deixem de falar baboseiras!

        2 - Onde está escrito que Maria era uma trindade?
        Sabe ler? Você leu o texto? Vocês são demais!

        3 - Maria concebeu por obra do Espírito Santo. Então, quem colocou Jesus no ventre de Maria foi o Espírito Santo. Isso é Sacratíssimo! Maria não concebeu por obra de um Homem, mas por obra de Deus. Ou seja, o Esposo dela foi Deus, não um homem.
        Como Jesus é Filho de Deus? O Pai de Jesus não é Deus? A Mãe não é Maria? Deus Espírito Santo não atuou como o Esposo? Não houve consumação carnal, sexo. Mas houve a atuação de Deus em Maria! Vocês são de uma seita inventada! Nós temos mais de 2000 anos refletindo sobre isso! Vá estudar!

        4 - Maria é Filha do Pai. Mãe do Filho. Esposa do Espírito Santo.
        Maria é o ÚNICO SER HUMANO (SABE O QUE É SER HUMNO NÉ? NÃO É UMA DEUSA! É O ÚNICO SER HUMANO TOTALMENTE MERGULHADO NO MISTÉRIO DE DEUS: FILHA, MÃE, ESPOSA! ENTENDEU?!)

        5 - Maria não sabia de tudo porque era E É HUMANA! É DIFÍCIL ENTENDER? SÓ JESUS PRA ABRIR A CABEÇA DE VOCÊS DISTORCIDA POR PREGAÇÕES DE PASTORES SEM FORMAÇÃO!)
        Jesus mesmo disse que não sabia de tudo! Enquanto Filho só o Pai sabe o dia e a hora do Fim do mundo.
        Quanto mais Maria! Maria foi serva e o melhor exemplo de como devemos amar Jesus.

        6 - COLOQUE NA SUA CABEÇA: VOCÊS SÃO DE IGREJAS INVENTADAS! AS IGREJAS CRISTÃS DESDE AS ORIGENS SÃO CATÓLICAS.

        7 - NINGUÉM ADORA SANTOS OU MARIA. NÓS "VENERAMOS". VENERAR É HONRAR. DEUS MANDOU HONRAR PAI E MÃE. É RESPEITAR, É TER COMO EXEMPLO DE VIDA.

        OS JUDEUS VENERAVAM MOISÉS, ABRAÃO, ISAAC, JACÓ, DAVI,ETC.
        NÓS VENERAMOS ELES, MAS ACIMA DELES, VENERAMOS A VIRGEM SANTÍSSIMA MARIA, OS APÓSTOLOS, OS MÁRTIRES,E AO LADO DELES TODOS OS ANJOS E SERVOS DE DEUS QUE NOS DÃO EXEMPLO DE VIDA.

        8 - VOCÊS PROTESTANTES NÃO TÊM RESPEITO PELOS SANTOS, SÃO ORGULHOSOS, SE ACHAM IGUAIS AOS SANTOS, DESPREZAM A VIDA E AS OBRAS DOS SANTOS.
        DEUS CASTIGA QUEM NÃO TEM HUMILDADE E SE ACHA MELHOR QUE SEUS SANTOS ESCOLHIDOS.

        LEIA TODO O CAPÍTULO DE NÚMEROS 16 E VEJA O CASTIGO DOS QUE SE ACHAM MELHOR QUE OS SANTOS:


        E se congregaram contra Moisés e contra Arão, e lhes disseram: Basta-vos, pois que toda a congregação é santa, todos são santos, e o Senhor está no meio deles; por que, pois, vos elevais sobre a congregação do Senhor?
        Números 16:3

        E a terra abriu a sua boca, e os tragou com as suas casas, como também a todos os homens que pertenciam a Coré, e a todos os seus bens.
        Números 16:32

        Excluir