terça-feira, 30 de novembro de 2010

"ÉS TODA BELA, Ó MINHA AMIGA, E NÃO HÁ MANCHA EM TI." CANT. 4,7







 Ó espelho limpidíssimo de pureza,
 Maria Santíssima,
nós nos alegramos sumamente
ao considerar as sublimes virtudes e os dons magníficos
que o Espírito Santo infundiu à Vossa alma,
desde o primeiro momento
da Vossa Imaculada Conceição.
Agradecemos e louvamos à Santíssima Trindade
que Vos cumulou destes privilégios,
e Vos suplicamos, ó Mãe benigníssima,
que obtendo-nos a prática das virtudes,
nos torneis dignos de receber
 os dons e as graças
 do Espírito Santo.










 

Ó Maria,
concebida sem pecado,
 rogai por nós
que recorremos a Vós.



"ÉS TODA BELA, Ó MINHA AMIGA,
E NÃO HÁ MANCHA EM TI."
CANT. 4,7









MÃE DE DEUS , QUE FOSTES PRESERVADA DO PECADO PARA QUE JESUS NÃO RECEBESSE UM CORPO E SANGUE MANCHADO PELO PECADO DE ADÃO.

ELE QUE TE PRESERVOU PELO MISTÉRIO ANTECIPADO DE SEU SACRIFÍCIO, ESCUTE AS NOSSAS PRECES QUE ELEVAMOS E ENTREGAMOS AOS TEUS ROGOS E EM TUAS MÃOS.
OLHAI PELOS JOVENS E SALVE NOSSA SOCIEDADE T]Ã CORROMPIDA E PERDIDA, QUE NÃO PENSA MAIS EM DEUS E EM VALORES MORAIS, MAS SÓ PENSA EM DINHEIRO E PRAZER, COMO SE SÓ ISSO FOSSE FELICIDADE E QUE POR ISSO TUDO FOSSE JUSTIFICADO.

LIVRA-NOS DO PODER DO MALIGNO QUE ARRASTA MILHÕES DE PESSOAS ATRTAVÉS DAS IDEIAS NEOLIBERAIS, QUE DESVALORIZA O SER HUMANO E O TRANSFORMA EM PURO OBJETO.

QUE AO FESTEJAR TUA IMACULADA CONCEIÇÃO, POSSAMOS RELEMBRAR NOSSO CHAMADO À SANTIDADE E FUGIR DAS OCASIÕES DE PECADO, PROCURANDO SER PESSOAS ÍNTEGRAS MELHORES A CADA DIA E FELIZES E REALIZADOS EM PLENO AMOR A DEUS.

ASSIM SEJA 
















OS SETE PECADOS MORTAIS OU CAPITAIS

"§1866 Os vícios podem ser classificados segundo as virtudes que contrariam, ou ainda ligados aos pecados capitais que a experiência cristã distinguiu seguindo S. João Cassiano e S. Gregório Magno. São chamados capitais porque geram outros pecados, outros vícios. São o orgulho, a avareza, inveja, a ira, a impureza, a gula, a preguiça ou acídia. "


TRECHO DO CATECISMO DA IGREJA CATÓLICA




A manipulação genética, o uso de drogas, a desigualdade social e a poluição ambiental estão entre os novos pecados capitais pelos quais os cristãos devem pedir perdão, segundo a nova lista apresentada pela Santa Sé.

O Vaticano atualizou a lista de pecados capitais para adaptá-la à "realidade da globalização".

Os novos pecados capitais - merecedores de condenação segundo a Igreja Católica - serão agregados aos anteriores:

 gula, luxúria, avareza, ira, soberba, vaidade e preguiça.

Publicada no jornal do Vaticano, Osservatore Romano, a lista foi divulgada depois que o Papa Bento XVI aunciou a "queda do sentimento de pecado no mundo secularizado", em meio à redução no número de católicos que praticam a confissão.


segunda-feira, 29 de novembro de 2010

"POR ISTO O PRÓPRIO SENHOR VOS DARÁ UM SINAL" ISAÍAS 1,14

NOVENA DA IMACULADA CONCEIÇÃO


"POR ISTO O PRÓPRIO SENHOR VOS DARÁ UM SINAL: EIS QUE UMA VIRGEM CONCEBERÁ E DARÁ À LUZ UM FILHO, E O CHAMARÁ  "DEUS CONOSCO". "
 ISAÍAS 7,14










ORAÇÃO:

Ó mística rosa de pureza, Maria Santíssima, nós nos alegramos convosco por terdes, na Vossa Imaculada Conceição, triunfado gloriosamente da infernal serpente, sendo concebida sem a mancha do pecado original.

Agradecemos e louvamos a Santíssima Trindade que Vos concedeu tal privilégio, e Vos suplicamos nos alcanceis forças para vencer todas as ciladas do demônio, e nunca manchar a nossa alma com o pecado.






Ó MÃE QUERIDA, COMEÇO, HOJE, MINHA NOVENA
EM VOSSA HONRA,
PEÇO-VOS QUE NÃO OLHEIS MEUS PECADOS
POIS SÃO MUITOS,
MAS O AMOR E DEVOÇÃO QUE VOS OFERTO
E QUE ROGUEIS POR MIM JUNTO A DEUS
PARA QUE EU DESCUBRA SEU AMOR
E O VIVENCIE EM INTENSIDADE,
RODEAI-ME DE PESSOAS BOAS
 E COLOCAI EM MEU DESTINO
O BEM E AS GRAÇAS
QUE VOS PEÇO
NO ÍNTIMO DE MEU CORAÇÃO.

SE FOR PARA A GLÓRIA DE DEUS
E PARA QUE EU VIVA AINDA MAIS INTENSAMENTE
SEU AMOR,
QUE ASSIM SEJA E ASSIM SE FAÇA.





Ó MARIA,
CONCEBIDA SEM PECADO,
ROGAI POR NÓS
QUE RECOREMOS A VÓS!

sábado, 27 de novembro de 2010

OS VÔOS DE SANTA CRISTINA, A ADMIRÁVEL - A SANTA QUE VOAVA COMO UM PÁSSARO











Santa Cristina, cognominada a Admirável, ( St. Christina, the astonishing, ou mirabilis) oferece-nos um notável exemplo de milagres de levitação.

 Não temos que discutir aqui o caráter histórico das excentricidades atribuídas a essa santa, que os próprios bolandistas (historiadores jesuítas) qualificam de paradoxal.

Para nós, é suficiente que esses doutos autores tenham aceitado as narrativas que lhe dizem respeito, declarando-as, pelo menos na parte que citamos dignas de crédito e consideração.
Omitir tais narrativas por temor do escândalo que a incredulidade pode provocar, seria ceder a um respeito humano que há muito tempo nos deveria ter detido, e que nos parece tão contrário à piedade como à Ciência.
Eis, em algumas palavras, o resumo dessa singular existência.






 





Cristina nasceu em San-Frond, na província de Liège, pelo meado do século XII órfã em pouco tempo, ela ficou com duas irmãs mais velhas e ocupava-se em guardar os rebanhos nos campos.
Ativados, porém, pela contemplação, os ardores da sua alma tornaram-se tão intensos que o corpo não pôde resistir. 



Ela caiu doente e morreu. No dia seguinte, levaram os seus despojos à igreja para a cerimônia dos funerais.

 
Na ocasião do Agnus Dei da missa que se celebrava por ela, viram-na de repente mexer-se, levantar-se no esquife e voar, como um pássaro, até à abóbada do templo.

Os assistentes fugiram espantados, à exceção da irmã mais velha, que ficou imóvel, mas não sem terror, até ao fim da missa. 


 




Atendendo à ordem do sacerdote, Cristina desceu ilesa e voltou para casa, onde tomou a refeição com as suas irmãs.










Contou depois aos amigos, que vieram para interrogá-la, que, logo depois da sua morte, os anjos a tinham sucessivamente transportado ao purgatório, ao inferno, ao paraíso.

Aí, fora-lhe dada à escolha de ficar para sempre neste lugar ou de voltar a Terra para, com os seus sofrimentos, trabalhar no resgate das almas do purgatório, o que ela aceitara sem hesitação.

Pelo purgatório tinha ela que passar, pois que desde então começa para essa virgem admirável a vida mais estranha.

A presença e o contacto dos homens são-lhe insuportáveis. Para evitá-los, ela foge para os desertos, voa para cima das árvores, para o alto das torres, para as empenas das igrejas, para todos os pontos elevados. 




 





Julgam-na possessa, perseguem-na, apanham-na com muita dificuldade, e prendem-na com cadeias de ferro.









 Ela, porém, se solta e continua as suas corrida aéreas, indo de uma para outra árvore, como faria um pássaro.

A fome, todavia, aperta-a. Invoca então o Senhor e, contra todas as leis da Natureza, os seios destilam-lhe um leite abundante com que ela se alimenta durante nove semanas.

 Cai segunda vez nas mãos dos que a perseguiam, mas escapa-lhes novamente, e vai a Liège pedir a um sacerdote a divina Eucaristia. 





 





Munida desse alimento celeste, sai da cidade, levada pelo Espírito com a rapidez de um turbilhão, atravessa o Meusa, ligeira como um fantasma, e torna a começar a sua vida errante, longe das moradas humanas, nos cimos das árvores e das torres, muitas vezes sobre as estacas que cercavam as sebes, nos ramos mais delgados, onde pousava e se balançava como um pardal.




Envergonhados dessas aparentes extravagâncias, que o público atribuía a uma legião de demônios, as suas irmãs e os seus amigos pagaram a um malvado, homem de muita força, para que a agarrasse. 



 




Tendo-se esse homem posto ao seu encalço e não conseguindo agarrá-la, pôde, contudo aproximar-se bastante para quebrar-lhe, com uma pancada de clava, o osso de uma perna, e foi nesse estado que a trouxe às irmãs.

 


Por compaixão, elas mandaram levá-la num carro a um médico de Liège, recomendando-lhe ao mesmo tempo em que a curasse e prendesse bem.

Este a encerrou numa adega que tinha por única abertura a entrada, atou-a com segurança a uma coluna, e tornou a fechar a porta, depois de ter aplicado ao membro fraturado as ligaduras convenientes.

Logo que ele se retirou, Cristina atirou fora o aparelho, tendo como indigno recorrer a outro médico que não fosse o Senhor Jesus. A sua esperança não foi iludida.

Uma noite, o Espírito de Deus veio derramar-se sobre ela, quebrou suas cadeias, curou-a de sua fratura, e ela, livre, corria e pulava de alegria no seu cárcere, louvando e bendizendo Aquele por quem resolvera viver e morrer.

Não tardou que, sentindo-se o seu espírito angustiado entre essas paredes, ela conseguisse, com a ajuda de uma grande pedra, abrir uma saída e, veloz como uma seta, arremessando-a para fora, reconquistar a sua liberdade.









Apanhada terceira vez, apertaram-na de tal forma a um banco de pau, que as cadeias em breve penetraram-lhe nas carnes.

Acabrunhada de sofrimentos, aos quais veio juntar-se o tormento da fome, recorreu de novo ao Senhor, e viu então correr de seus peitos, assim como já referimos, um óleo límpido com qual molhou o pão e untou as chagas. 









 
Enternecidas com esse espetáculo, as irmãs, até então desumanas por incredulidade, tiraram-lhe as cadeias e permitiram-lhe que seguisse, em toda a liberdade, o Espírito que a animava.

 
Continuou, com efeito, as suas santas loucuras durante longos anos, porque decorreram quarenta e dois anos entre a sua ressurreição e a sua morte, que se efetuou no ano de 1224.











Esse poder ascensional produz-se algumas vezes com tal energia que nenhum obstáculo é capaz de contê-lo. O que acabamos de narrar a respeito de Cristina, a Admirável, bastaria como prova, mas não é este o único exemplo de levitação entre os Santos de Deus da Igreja.


















sexta-feira, 26 de novembro de 2010

ORAÇÃO A SANTA CATARINA DE ALEXANDRIA








VIDA DE SANTA CATARINA E ORAÇÕES:






Ó SANTA CATARINA DE ALEXANDRIA, SÁBIA E ELOQUENTE CRISTÃ, DESTEMIDA ESPOSA DE CRISTO, MILAGROSA É TUA INTERCESSÃO, POR ISSO A TI RECORRO, CONFIANTE DE QUE EM TUDO SEREI ATENDIDO.

ROGAI, SANTA CATARINA, QUE O ESPÍRITO DE DEUS ME ENCHA DE SUA SABEDORIA, INTERCEDEI POR MIM PARA QUE SAIBA FAZER AS MELHORES ESCOLHAS EM MIHA VIDA.

SEDE MINHA AMIGA E ENSINAI-ME A AMAR A VIDA A CADA SEGUNDO, EDUCANDO-ME NO AMOR PARA QUE A OUTROS EU TAMBÉM PASSE ESSA LIÇÃO MARAVILHOSA DE CRISTO JESUS, NOSSO SENHOR.










QUEBRAI AS RODAS DO SOFRIMENTO DE MINHA VIDA Ó SANTA CATARINA, AFASTAI COM VOSSAS ORAÇÕES AS NUVENS DE NEGATIVISMO QUE PAIRAM NOS ARREDORES,
 E PROTEJEI-ME DE MEUS INIMIGOS, PACIFICANDO-OS, FAZENDO-ME VIVENCIAR O MISTÉRIO DO PERDÃO E DA PAZ.

Ó SANTA CATARINA, QUE PEDISTES A DEUS QUE ATRAVÉS DE TEU SANGUE DERRAMADO ,  TODOS AQUELES QUE A VÓS RECORRESSEM FOSSEM ATENDIDOS.

PEÇO-VOS A GRAÇA DE.... SEI QUE SEREI ATENDIDO POR DEUS E POR VÓS, QUE RECEBESTES O AUXÍLIO DA VIRGEM MARIA E DE SÃO MIGUEL ARCANJO, E QUE TIVESTES POR ESPOSO O JESUS MENINO QUE MARIA CARREGOU BRAÇOS, E FOSTES TRANSPORTADA PELA MÃO DOS ANJOS AO MONTE SINAI.
SANTA CATARINA DE ALEXANDRIA, ROGAI POR NÓS!










quinta-feira, 25 de novembro de 2010

MILAGRE DIVERSOS DE SANTOS SOBRE LEVITAÇÃO- PARTE 3

MARGARIDA DO SANTÍSSIMO SACRAMENTO

Margarida do Santíssimo Sacramento  passava quase instantaneamente de um ponto a outro. Encontravam-na no coro, na enfermaria, na sala dos exercícios, mesmo sem que as portas estivessem abertas, e, várias vezes, suas irmãs a viram levantada acima do solo, como se o seu corpo tivesse perdido o peso.

Um dia em que ela ia colher uvas para uma doente, avistaram-na elevando-se sem esforço até à altura das uvas, despegá-las, e tornar a descer.

ANA CATARINA EMMERICH



 Ana-Catarina Emmerich conta de si própria que, desempenhando as funções de sacristã, trepava e demorava-se em pé nas janelas, sobre as cornijas, sobre ornatos em relevo, fazendo toda a limpeza em lugares humanamente inacessíveis, sem medo nem inquietação, acostumada como estava, desde a infância, a ser assistida pelo seu bom anjo, e sentindo-se, além disso, levada e sustentada no ar por uma invisível virtude.
 
Não somente a agilidade e a simples ascensão se encontram fora do êxtase, mas também o vôo no que ele tem de mais maravilhoso.



SÃO JOSÉ DE CUPERTINO

Num dia da Imaculada Conceição, ele convidou o padre guardião à repetir com ele:

Pulchra Maria! (Maria é bela!)
E logo que repetiu estas palavras, o santo, entrando em êxtase, passa o braço em volta da cintura do seu superior e leva-o consigo para os ares, repetindo juntos:

Pulchra Maria! Pulchra Maria!


Outra vez, trazem-lhe um cavalheiro, em estado de demência, para que obtenha de Deus a sua cura. O santo manda-o ajoelhar e, pondo-lhe a mão na cabeça, diz-lhe:

Sr. Baltazar, não tenha receio. Recomendo-o a Deus e à sua santíssima Mãe. . .

 No mesmo instante, dá o grito que habitualmente anuncia o êxtase: Ah.

Agarra o homem pelos cabelos, eleva-se com ele ao espaço, onde o conserva suspenso por algum tempo, e, quando os seus pés de novo pousaram no chão, o doente estava curado.

COMENTÁRIOS:


A ascensão aérea não é a única forma da agilidade sobrenatural; produz-se também no andar sobre as águas. Os primeiros exemplos são oferecidos pelo Evangelho. Sabe-se que o Salvador caminhou sobre as ondas como na terra firme, e permitiu ao príncipe dos apóstolos que avançasse para ele sobre as vagas agitadas. O prodígio reproduziu-se mais de mil vezes no mar, nos lagos, nos rios e nos ribeiros, para atestar que Deus compraz-se em libertar os seus santos da escravidão natural.

SÃO RAIMUNDO PENAFORTE







O Breviário romano assinala, entre os mais brilhantes milagres atribuídos a S. Raimundo de Penaforte, a sua travessia da ilha Maiorca a Barcelona, isto é, uma extensão de cento e sessenta milhas marítimas, que ele e o seu companheiro transpuseram em seis horas, sem outra barquinha senão a sua capa.










SÃO JACINTO






S. Jacinto, não encontrando barqueiro para atravessar o Vístula, armou-se com o sinal da cruz e entrou resolutamente no rio, cujas águas se tornaram firmes debaixo dos seus pés. Os seus companheiros, porém, menos confiantes, não ousavam segui-lo.

Volta então a eles e, estendendo a capa sobre as águas, os faz subir para cima e os conduz assim até à outra margem, diante denumerosa multidão.

A Igreja imortalizou esse milagre, consignando-o na bula de canonização e na legenda do Breviário.

Em outra conjuntura, o mesmo santo renova esse prodígio de um modo mais prodigioso ainda.








Os tártaros acabavam de tomar de escalada a cidade de Kieve entregavam já tudo à pilhagem, quando avisaram o santo, que estava no altar, de que não havia um instante a perder se quisesse salvar-se com a comunidade.

Ele submeteu-se a esse aviso e, sem deixar as vestes sagradas, toma em suas mãos o santo cibório e dispõe-se a sair.

Chegado quase ao meio da igreja, ouviu uma voz forte e queixosa que saía de uma estátua da Virgem, de alabastro, pesando de oitocentas a novecentas libras:

- Meu filho Jacinto, diz ela, abandonar-me-ás às profanações dos tártaros? Leva-me contigo. -

Gloriosa Virgem, respondeu o devoto servo, essa imagem é tão pesada! Como poderei carregá-la?

- Pega nela, meu filho; torná-la-ás leve.

O santo, tendo numa das mãos a Santa Eucaristia, pega com a outra na estátua, que se tornara tão leve como uma cana; e, carregando com esse duplo tesouro, passam são e salvo com os seus, através dos bárbaros que já invadiam o mosteiro, e chega às margens do Dnieper.

Aí ele faz do capote uma barca para seus irmãos, e atravessa a pé enxuto o rio em toda a sua largura, imprimindo nas águas as suas pegadas.


Teríamos muitos outros fatos semelhantes a contar, porque abundam nas vidas dos santos;

BEM AVENTURADO GIL






Um dia em que o bem-aventurado Gil, dos frades pregadores, permanecia suspenso no ar pelo êxtase, o seu companheiro e as pessoas da casa onde estavam tentaram fazer descer o seu corpo para o chão; porém nem mesmo conseguiram mudá-lo de posição.

Santa Luzia, a mártir de Siracusa, ameaçada com os lupanares, tornou-se tão imóvel que nem os algozes que tinham ordem de levá-la, nem várias juntas de bois, às quais a amarraram com cordas, puderam fazê-la mover.

SÃO PASCOAL BAILÃO









S. Pascoal Railão manifestou algumas vezes a sua presença ou, antes, a sua virtude por meio de percussões (percussiones) nas imagens que o representam; mas é principalmente nos relicários, que contêm as suas relíquias, que esses ruídos extraordinários se fazem ouvir, ora suaves e harmoniosos, ora mais acentuados, ora retumbantes como um estourar de bombas.

SANTA OTA

O abade Ribet diz, noutro lugar (II, 547), que Santa Ota era, duas vezes por dia, levantada e sustentada por anjos, enquanto orava.




Encontrar-se-ão também casos de levitações, efetuadas por religiosos ou religiosas de menor notoriedade, nas obras do Dr. Calmet e nas cartas de Nicolina.

 

Eis ainda alguns outros fatos:

 

Na segunda parte do primeiro século da nossa era, o diácono Filipe era arrebatado por um Espírito ao voltar de Gaza, onde fora batizar Candócia,rainha da Etiópia.

Amélineau (Os Monges Egípcios, publicação do Museu Guimet) conta que, tendo os pagãos de Antinoë acusado Schnoudi de haver quebrado os ídolos, este foi soerguido, pelos anjos do Senhor, até uma altura donde podia ainda fazer-se ouvir.

Ficou assim suspenso por cima do tribunal do governador durante bastante tempo ; depois, desceu pouco a pouco. A multidão levou-o em triunfo.

TOMÁS, ARCEBISPO DE VALENÇA

Em 1555, isto é, no reinado de Carlos V, Tomás, arcebispo de Valença, esteve suspenso no ar em êxtase, que durou doze horas.

Este fenômeno foi constatado não só pelos habitantes do seu palácio e do seu clero, mas também por grande  número de cidadãos.

Ao voltar a si, tinha ainda na mão o breviário que estava lendo quando o êxtase começara, e contentou-se em dizer que não sabia em  que ponto ficara da leitura.



S. PEDRO CLAVER






O bem-aventurado Pedro Clavet, apóstolo dos negros, passou uma noite ajoelhado no ar e com um crucifixo nas mãos.

MILAGRE DE SÃO DIOGO

Existem vários quadros e gravuras representando casos de levitação. O mais conhecido é O Milagre de S. Diogo, por Murilo (catalogado no Museu do Louvre sob o número 550 bis).







 Outro quadro, que se acha numa igreja de Viterbo, mostra um sacerdote elevando-se aos ares no momento em que consagra a hóstia.

Referências









MILAGRES DIVERSOS DE SANTOS RELACIONADOS A LEVITAÇÃO -- PARTE 2 - ÊXTASES



SANTA TERESA D`AVILA






Em arroubo, escreve de si mesma Santa Teresa, o meu corpo tornava-se tão leve, perdendo de tal modo o peso que algumas vezes eu deixava de sentir os pés tocarem no chão.
MARIA DE AGREDA



Quando Maria de Agreda ficava em êxtase, seu corpo elevava-se igualmente, como se fora imponderável, e um sopro, mesmo de longe, o fazia oscilar e mover como uma leve pena. Poder-se-iam citar exemplos aos centos.

Conta-se, em particular, que diversos santos padres, entre outros, São Pedro de Alcântara, São Filipe de Néri, São Francisco Xavier, São José de Cupertino e São Paulo da Cruz, tinham no altar esses êxtases aéreos.

 

Às vezes não é uma simples elevação acima do solo, mas sim uma verdadeira ascensão aos ares.
DOMINGOS DE JESUS-MARIA

Domingos de Jesus-Maria, religioso carmelita, tão célebre pelos seus êxtases, elevava-se a ponto de seus irmãos mal poderem, estendendo os braços, tocar-lhe na planta dos pés.

SANTA INÊS DE BOÊMIA




 Num dia da Ascensão, enquanto salmodiava no jardim entre duas das suas companheiras, a bem-aventurada Inês de Boêmia, em súbito arroubo, elevou-se aos ares na presença delas até que não tardaram a perdê-la de vista, e só tornou a aparecer no fim de uma hora, com o rosto radiante de graça e de alegria.

SANTA COLETA








Diversas vezes, durante as suas orações contemplativas, Santa Coleta desaparecia inteiramente no espaço, à vista das suas irmãs.

Certos êxtases imprimem ao corpo um movimento rápido e impetuoso que, com justeza, se qualificou de vôo.

SÃO PEDRO DE ALCANTARA






São Pedro de Alcântara chegava algumas vezes, em seus transportes, até ao teto do coro.

São Pedro de AlcântarA, ouvindo cantar no jardim do convento, por um frade que se exercitavam no ofício, as primeiras palavras do Evangelho segundo São João: In principio erat Verbum, foi subitamente arrebatado, dando ao corpo, por uma espécie de  instinto irresistível, a forma de uma bola; sem tocar no chão, arrojou-se, atravessou com incrível celeridade, sem que mal algum lhe acontecesse, três portas muito baixas que conduziam à igreja e veio parar defronte do altar-mor, onde seus irmãos, que corriam ao seu encalço, o foram encontrar abismado no êxtase.

Acontecia muitas vezes que ele se ajoelhasse ao pé das árvores e aí, em êxtase, se elevasse, com a ligeireza de pássaro, até aos ramos mais altos.
BEM AVENTURADO FILIPINO

O bem-aventurado Filipino, também da Ordem de São Francisco, permanecia suspenso nos ares, por cima dos grandes carvalhos, como uma águia que paira em liberdade.


SÃO JOSÉ DE CUPERTINO







Esses prodígios superabundam na vida do bem-aventurado José de Cupertino.

Viam-no voar até às abóbadas da igreja, sobre as bordas do púlpito,ao longo das paredes donde pendia o crucifixo ou alguma imagem piedosa, em direção à estátua da Santa Virgem e dos Santos, pairar sobre o altar e por cima do tabernáculo, arremessar-se ao alto dos ares, agarrar-se e balançar-se nos menores ramos com a ligeireza de um pássaro, enfim, transpor de um pulo grandes distâncias.

Uma palavra, um olhar, o menor incidente que tivesse ligação com a piedade, produziam-lhe esses transportes.

Quiséramos descrever algumas dessas cenas que o mundo tacharia de estranhas e ridículas, e que achamos admiráveis, visto atestarem o maravilhoso poder das almas santas sobre o corpo e a Natureza e, melhor ainda, sobre o coração de Deus, que as liberta a seu gosto das servidões vulgares;







quarta-feira, 24 de novembro de 2010

MILAGRES DIVERSOS DE LEVITAÇÃO - O SANTO QUE VOAVA



SÃO JOSÉ DE CUPERTINO




 

Se conhece de mais de 200 santos que experimentaram a levitação. Este dom extraordinário consiste na elevação do corpo humano sem a participação de nenhuma força física.

 

É um presente, um dom de Deus para determinadas almas muito elevadas espiritualmente. São José de Copertino teve numerosas levitações.

 

Um domingo, festa do Bom Pastor, São José de Cupertino apresentou-se com um cordeirinho nos ombros e ao pensar em Jesus Bom Pastor, foi-se levantando pelos ares.

Caía em êxtases com muita freqüência, durante a Missa, ou quando rezava os Salmos.

Durante os 17 anos que esteve no Convento de Grotella, seus companheiros de Comunidade observaram 70 êxtases.

 

Levitou carregando uma cruz pesada até a montanha




O mais famoso dos êxtases aconteceu quando dez obreiros do Convento desejavam levar uma pesada cruz a uma alta montanha, mas não conseguiam pelo peso e a distancia a percorrer.

Frei José, tomou a Cruz sozinho, pôs sobre os ombros e foi se elevando, como que voando até o alto da montanha, e lá depositou a Cruz, sob os olhos atônitos de seus irmãos.
 




Desculpa-se por levitar - A virtude da obediência:





 

Quanto estava em êxtases, como não retornava, seus irmãos o cutucavam com agulhas, lhe davam pauladas e até colocavam velas acessas para queimar seus dedos, mas mesmo assim José não retornava, a não ser quando ouvia a voz de seu Superior pedindo-lhe que regressasse.

Quando regressava dos êxtases, constantemente se desculpava dizendo a seus companheiros:

“Desculpem-me por estes ataques de vertigens que me ocorrem”.


 

Levitando por amor  a Santíssima Virgem:

 


Um dia chegaram ao Convento o Embaixador da Espanha com a esposa e mandaram chamar ao Frei José para que os atendessem em uma consulta espiritual.

 Este chegou correndo, porém quando chegou correndo para falar com eles, viu um quadro da Virgem Maria, que estava no alto da parede, e dando seu típico pequeno grito, se foi elevando pelo ar até o alto e ficar de frente com o quadro da Sagrada Imagem.

O Embaixador e sua esposa contemplaram com emoção esta ação divina, coisa que jamais tinham visto.

O Santo rezou uns momentos e em seguida desceu suavemente ao solo e extremamente constrangido, subiu correndo a sua habitação, e não saiu do quarto mais nesse dia.
São José de Cupertino levitando por devoção a Virgem Maria






Em Ósimo, onde o Santo passou seus últimos seis anos, um dia os demais religiosos o viram elevar-se até uma Imagem da Santíssima Virgem Maria que estava a três metros e meio de altura e dar um beijo no Menino Jesus, e ali junto a Mãe e o Filho ficou um bom tempo rezando com intensa emoção, suspenso no ar.



São José de Cupertino levitando na Missa







  

O Dia da Assunção da Virgem no ano de 1663, um mês antes de sua morte, celebrou sua última missa, e estando celebrando, ficou suspenso no ar como se estivesse no céu, diante de Deus. Muitos testemunharam este fato.


 

Levitando diante do Papa e perseguido pela Inquisição






 




Numa época em que a heresia de Lutero tentava fortemente penetrar nos países católicos, o Sagrado Tribunal da Inquisição vigiava sobre qualquer anormalidade.

Vendo as grandes multidões que atraía Frei José de Copertino, julgou prudente, de acordo com o Papa, retirá-lo para um convento menos conhecido, onde ele deveria viver praticamente recluso.

Foi-lhe proibido falar com qualquer pessoa além dos religiosos do convento, e mesmo de escrever cartas a quem quer que fosse.

Muitos inimigos, começaram a dizer que todas estas manifestações eram meras invenções e os acusavam de enganador, causando-lhe inúmeros transtornos.

Foi enviado ao Superior Geral dos Franciscanos em Roma e este ao dar-se conta que era tão piedoso e tão humilde, reconheceu que o Frade era um homem santo.

Foi então enviado ao Papa Urbano VII, que desejava saber se era certo ou não os comentários que se faziam a respeito dos êxtases do Frei José.

E estando a falar com o Papa, José se sentiu tão emocionado que de imediato entrou em êxtases e foi se elevando pelo ar.

VOA REZANDO

Num dia da Imaculada Conceição, ele convidou o padre guardião à repetir com ele:

Pulchra Maria! (Maria é bela!)

 
E logo que repetiu estas palavras, o santo, entrando em êxtase, passa o braço em volta da cintura do seu superior e leva-o consigo para os ares, repetindo juntos:

Pulchra Maria! Pulchra Maria!


A CURA DE UM DOENTE NUM VÔO
Outra vez, trazem-lhe um cavalheiro, em estado de demência, para que obtenha de Deus a sua cura.

O santo manda-o ajoelhar e, pondo-lhe a mão na cabeça, diz-lhe:

Sr. Baltazar, não tenha receio. Recomendo-o a Deus e à sua santíssima Mãe. . .

No mesmo instante, dá o grito que habitualmente anuncia o êxtase: Ah. Agarra o homem pelos cabelos, eleva-se com ele ao espaço, onde o conserva suspenso por algum tempo, e, quando os seus pés de novo pousaram no chão, o doente estava curado.





MILAGRES DE SANTOS- O DOM DA LEVITAÇÃO - PADRE PIO

CONSIDERAÇÕES SOBRE O DOM DA LEVITAÇÃO

É conveniente frisar que a levitação não pode ser apresentada como um dos milagres exigidos para a beatificação ou canonização.

Após o processo sobre a heroicidade das virtudes como testemunho divino em prol da santidade de um servo de Deus, os milagres hão de realizar-se após sua morte.

Em nenhuma levitação, considerada autêntica, sem truque, é levantada outra pessoa. Só pode levitar-se o próprio dotado. Outra pessoa só será levitada, se o dotado atuar sobre o instrumento onde aquela estiver sentada, como uma cadeira por exemplo.. É que o ser humano pode atuar parapsicologicamente, por força física sobre sí mesmo, não sobre outra pessoa.

A levitação pode ser definida como o fenômeno no qual uma pessoa se eleva da terra e fica suspensa no ar e também pode ter o poder de elevar objetos.

Tal fenômeno, obviamente é um dom dado por Deus aos místicos, inclusive os da Santa Igreja católica.

São José de Copertino, por exemplo, era famoso pelo dom de levitação e também como ele, Padre Pio de Pietrelcina tinha tais dons.

PADRE PIO VOANDO IMPEDE BOMBARDEIO





Padre Pio era visto freqüentemente por seus irmãos enquanto ele se elevava do chão, durante a sua oração.

Em Bari, cidade da Itália, durante a II Guerra Mundial se encontrava a sede do Comando da Força Aérea Americana. Muitos oficiais se dirigiam para ver o Padre Pio durante a guerra.

Inclusive o general comandante foi protagonista de um episódio assombroso.

Esse imponente oficial americano quis levar um esquadrão de bombardeiros para destruir um depósito de material de guerra alemão, que se localizava próximo a San Giovanni Rotondo, local em que Padre Pio residia.

O general disse:

 “quando os aviões estavam próximos ao alvo, seus homens e ele viram no céu um monge com as mãos erguidas.

As bombas foram cair nos bosques. Os aviões haviam mudado o percurso.

Todos se perguntavam quem era aquele monge a que os aviões tinham obedecido.

Alguém falou ao General que em San Giovanni Rotondo vivia um monge que fazia milagres e ele decidiu que assim que o país estivesse livre, ele iria verificar quem era o monge que eles tinham visto no céu.

Depois da guerra o General foi ao convento dos capuchinhos com alguns pilotos.








Entrando na sacristia ele se achou de frente com vários monges entre os quais ele reconheceu imediatamente o monge que tinha parado os seus aviões: era Padre Pio.

Padre Pio caminhou ao seu encontro e ao chegar perto dele disse: "Então é você que quis matar todos nós."

 Iluminado pelo olhar e pelas palavras do Padre, o General se ajoelhou em frente a ele. Como de costume o Padre Pio tinha falado em dialeto, mas o General se convenceu que o monge tinha falado em inglês.

Este era mais um dos dons do Padre Pio. Todos se entreolharam e o General e seus amigos, que eram protestantes, converteram-se ao catolicismo.

 

CAMINHANDO PELO AR, NA IGREJA






Aqui está a história de Padre Ascânio:

- "Nós estávamos esperando por Padre Pio que deveria vir confessar os penitentes. A sacristia estava abarrotada e todo o mundo olhava para a porta pela qual Padre Pio teria que entrar.

A porta estava fechada, mas de repente eu vi Padre Pio caminhar acima das cabeças das pessoas, indo até o confessionário: posteriormente ele desapareceu.

Depois de alguns minutos ele começou a confessar os penitentes. Eu não disse nada, e pensei que estava sonhando, mas quando o encontrei lhe perguntei:

 "Padre Pio, como você conseguiu caminhar acima das cabeças das pessoas? "

Esta foi a engraçada resposta dele: "Posso assegurar-lhe minha criança, igual a caminhar no chão..."

Milagre de levitação, só quando for a grandes alturas, claramente “sobre-humanas”, por poder claramente divino: como a Ascensão de Jesus Cristo, algumas das levitações de São José de Cupertino, São Gregório Taumaturgo, São Raimundo de Penafort, São Jacinto etc.

Por milagre, por poder divino, alguns santos também podem levitar outras pessoas, como fizeram São Carlos Borromeu, São Bento de Alcântara, entre outros.

Portanto, afaste-se das pessoas que dizem fazer alguém flutuar. Elas, na verdade, estão querendo iludi-lo.



eferências